quarta-feira, 10 de março de 2021

Polícia prende homem que se passava por “falso padre”, em Formosa (GO)



A Polícia Civil de Goiás, em trabalho conjunto entre as delegacias de Formosa e Anápolis,  cumpriu ontem um mandado de prisão preventiva contra um homem, de 55 anos, pelo crime de estelionato. 

O rapaz se apresentava como um “falso padre”. Ele foi preso no Setor Central, em Anápolis, e agora se encontra à disposição do Poder Judiciário.

A investigação teve início depois que um conhecido empresário de Formosa procurou a delegacia local para registro de ocorrência. No documento, relatou que possivelmente havia caído em um golpe aplicado por uma pessoa que se apresentou como sendo o “Padre Geraldo”.

Segundo a vítima, o suposto padre, com amplo conhecimento no tocante a assuntos religiosos, adquiriu diversos artigos de sua empresa (terços, bíblias et), valendo-se sempre da condição de padre, sem efetuar o devido pagamento e ludibriando a vítima.

O investigado ainda afirmava ser responsável por organizar viagens de peregrinação e, utilizando-se da fé e religiosidade da vítima, a levou a efetuar diversos depósitos para viagens que jamais seriam realizadas.

O suposto padre afirmava sempre que a quitação das dívidas não estava sendo realizada devido a problemas envolvendo o Padre Robson de Oliveira, ex-reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade, investigado em uma operação do Ministério Público Estadual de Goiás. 

Porém, os crimes praticados pelo autor não possuem relação com as investigações relativas ao Padre Robson. 

O autor, inclusive, tem uma agência de viagens em seu nome, da qual se aproveitava para aplicar os golpes. A vítima de Formosa teve prejuízo financeiro de cerca de R$ 15 mil.

Durante as investigações, agentes e escrivães da unidade policial, em diligências, conseguiram identificar e localizar o suposto falso padre na cidade de Anápolis, onde também é investigado por diversos estelionatos. 

A partir do minucioso relatório policial elaborado, a autoridade policial responsável representou pela prisão preventiva do investigado, sendo o respectivo mandado cumprido nesta data. 

O autor já foi condenado por outros crimes e estava em cumprimento de pena no regime aberto.

Com informações da Polícia Civil 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.