quarta-feira, 10 de março de 2021

Horror: depois de Parintins (AM), agora Goiás registra casos de pacientes amarrados para ser entubados; falta insumos



Além da falta de leitos, hospitais também sofrem com falta de insumos básicos para os atendimentos devido ao avanço da Covid-19, em Goiás. 

É o que revela o presidente da Associação de Hospitais Privados de Alta Complexidade de Goiás (Ahpaceg), Haikal Helou.

O médico disse, em entrevista à TV Anhanguera, que há escassez de oxigênio, adrenalina, relaxante muscular, entre outros itens básicos para o atendimento à saúde.

“Tem pacientes sendo entubados com pessoas segurando, amarrando. É uma coisa que você não esperava ver no século XXI”, explicou.

Segundo ele, também faltam cateteres, luvas e seringas. “A falta de tudo isso torna o trabalho muito difícil, se não impraticável. A falta de relaxante muscular e de oxigênio tocam um alarme no mais alto grau”, completou.

A falta de cateter de alto fluxo - que permite que o paciente com falta de ar receba mais oxigênio de uma vez - foi sentida pelo bancário Gabriel Henrique Miranda. Segundo ele, o pai precisou ser entubado após dias esperando pelo equipamento.

“A gente chegou a ligar em umas 12 empesas: Goiânia, São Paulo, Brasília, Minas Gerais. Não encontra cateter”, desabafou.

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) informou, por meio de nota, que "não há registros de falta de medicamentos para intubação e insumos nos hospitais públicos e conveniados ao Sistema Único de Saúde sob gestão estadual".

A pasta também relatou que a quantidade de oxigênio disponível é monitorada frequentemente e que "até este momento, não há nenhum indicativo de falta do insumo na rede estadual goiana". 

Ainda de acordo com a Secretaria, "empresas fornecedoras relataram que, para o Estado de Goiás, mesmo que todos os leitos estejam sendo utilizados, não há sinalização da falta do gás".

Hospitais lotados

Além da falta de insumos, a lotação de leitos em hospitais continua em níveis críticos. Na manhã desta terça-feira (9), o portal da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) apontava que as Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19 em instituições geridas pelo estado estavam com 96% de ocupação.

Também no portal da SES que informa sobre a internação em hospitais públicos e privados, 99% das UTIs para Covid-19 estavam em uso nesta manhã.

A SES contabilizou mais de 414 mil casos de infecção pelo coronavírus em Goiás desde o início da pandemia. Até segunda-feira (8), mais de 9 mil desses pacientes morreram por causa da Covid-19.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.