sexta-feira, 26 de março de 2021

Campos Belos (GO) perde a professora Ieda, ex-diretora do Colégio Estadual Polivalente




Por Jefferson Victor,

Morreu da última quarta-feira, em Goiânia, a professora Ieda Maria da Silva, 51 anos.

Ela morreu após sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

No domingo, Ieda, que morava em Goiânia, conversou com todas as suas irmãs, mostrava-se bem, sem apresentar nenhuma anormalidade, e durante a noite reclamou de uma forte dor de cabeça seguida de alguns outros sintomas que evidenciavam um estado de urgência.

Levada a um Posto de Saúde, foi detectado suspeita de um AVC, sendo encaminhada ao Hospital Santa Helena onde foi confirmada.

Ela foi internada em uma UTI, mas os médicos já afirmaram à família ser um caso muito grave e com poucas possibilidades de reversão.

Mesmo assim, mantiveram-na no leito até a quarta-feira, onde se confirmou a suspeita de que a paciente tinha morte cerebral, e com isto, procederam os protocolos de desligamentos dos aparelhos, o que ocorreu por volta das 21h da quarta-feira (24).

O corpo da professora foi removido para Campos Belos, sua "terra natal".

Ieda era filha do saudoso Barnabé Manoel da Silva, um dos primeiros mestres de obras da cidade, responsável por grande obras no município, e de dona Maria de Jesus da Silva.

Nascida em Pernambuco, Ieda e família chegaram em Campos Belos quando ela ainda era criança, e como filha mais velha, ingressou na Universidade Estadual de Goiás onde foi graduada em Pedagogia, incentivando suas irmãs, todas muito queridas na comunidade, a também se formar para serem educadoras.

Hilma, uma de suas irmãs, disse emocionada da perda de Ieda, a quem se referiu como uma pessoa bondosa, dedicada, uma guerreira, um exemplo a ser seguido.

Ieda teve três filhos, sendo que Bruna, que tinha problemas de saúde, faleceu aos 19 anos. Além dela, Bianca e Matheus, os quais foram criados com muito carinho e dedicação, ela lutava pra dar-lhes uma vida digna e confortável.

Ela passou a maior parte da sua vida trabalhando como educadora, principalmente no Colégio Polivalente, por 27 anos, ocupando cargos de coordenadora, professora e diretora daquela entidade de ensino das mais conceituada na região do nordeste de Goiás.

“Uma dor cruel”, assim Hilma descreveu o momento em que estão vivendo, dizendo que Ieda gostava de reunir a família, de frequentar a igreja, era cheia de iniciativa, se entregava a sua profissão, e que já estava perto de se aposentar, mas infelizmente não houve tempo hábil para usufruir desse benefício tão merecido.

O corpo, seguindo protocolos, teve um breve velório da Sala Velatória Pax Vida e o sepultamento ocorreu as 17h30 da quinta- feira(25) no Cemitério São João Batista.

Externamos aos familiares e amigos de Ieda, os nossos mais sinceros sentimentos, pedindo a Deus que conforte cada um neste momento de dor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.