quarta-feira, 3 de março de 2021

Bolsonaro diz que a imprensa cria pânico. Não presidente, transparência e informação são essenciais


Em meio ao pior momento da pandemia de covid-19 no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou hoje que "imprensa criou o pânico" sobre a doença no país — que enfrenta uma alta de 11% das mortes em decorrência do coronavírus, enquanto no mundo há um recuo de 6%, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

"O assunto, quando tiver, vai ser pandemia, vacinas", disse ele em conversa com apoiadores no jardim do Palácio da Alvorada na manhã de hoje. 

"O Brasil é um país que, em valores absolutos, mais está vacinando. Temos 22 milhões [de vacinas]. Mês que vem deve ser mais 40 milhões. 

O país está mais avançado nisso. Assinei no ano passado a medida provisória destinando mais de R$ 20 bilhões para comprar vacina. Estamos fazendo o dever de casa", disse.

"Se você ler a imprensa, você não consegue viver.

Cancelei, desde o ano passado [na verdade, 2019] todas as assinaturas de jornais e revistas. Ministros que quiser ler jornal e revista vai ter que comprar. Não leio mais. 

Não vejo Jornal Nacional, não assisto, que é a maneira que você tem de realmente pensar em coisa séria no país," reclamou o presidente. 

Na avaliação do presidente, os veículos de imprensa "criaram o pânico" na pandemia de coronavírus. 

"Criaram o pânico, né? O problema tá aí, lamentamos, mas você não pode viver em pânico. Que nem a política, de novo, do 'fica em casa'. O pessoal vai morrer de fome, de depressão."

A situação brasileira, porém, é grave. Em novembro, a média móvel de mortes chegou a 319 óbitos por dia. Agora, há mais de 40 dias, o país enfrenta médias acima de mil mortes diárias.

Fala que é pânico para quem perdeu pai, mãe, irmãos e avós para a pandemia,  como já publicamos diversas vezes aqui no Blog. 

Com texto da Agência Folha

Um comentário:

  1. Quando o presidente fala que cancelou assinaturas para os ministros não se informarem sobre devidos assuntos . Já sei quando for falar de Lula todos podem ligar mas enquanto falarem das rachadinhas da ALERG, da corrupção da familia bolsonaristas não assiste.Hoje em dia não sou puxa saco de partido nenhum não idolatro político. Meu partido é a saúde, segurança,liberdade de expressão, empatia é outros é o respeito à todos. Temos que parar com essa idolatria é ter a esperança de vacina para todos. Isto o que importam.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.