quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

Tragédia anunciada: UEG de Campos Belos (GO) e Posse (GO) não terão vestibular em 2021; primeiro passo para extinção




Há tempos que este Blog vem publicando, ao longo dos últimos anos, o desmonte, a conta-gotas, que o Governo de Goiás tem promovido com os campus da Universidade de Goiás (UEG), em Posse (GO) e Campos Belos.

As duas unidades ficam no nordeste do estado, a região mais pobre de Goiás, com índices de desenvolvimento humano (IDH) comparáveis a países da África Negra ou subsaariana. 

São IDHs parecidos como os de Angola, Benin, Botsuana, Burkina Fasso, Burundi, Camarões, Cabo Verde, Chade, Congo, Costa do Marfim, Djibuti, Etiópia, Gabão, Gâmbia, Gana entre outros países dos mais pobres do mundo. 

Por isso, a intervenção dos governos estadual e federal é importantíssima, como ferramentas de geração emprego, criação de infraestrutura e principalmente de educação. 

Agora, os campus da UGE, que deveriam receber os maiores investimentos do estado, estão prestes a serem extintos. 

Uma tragédia, principalmente para as comunidades mais pobres, como a quilombola e das famílias da agricultura familiar, que não possuem condições financeiras para apoiar seus filhos nos grande centros.

A tragédia

Nesta terça-feira (2), o Conselho Superior (CsU) da UEG se reuniu para, entre outras pautas, votar o Edital do Vestibular 2021/1.

Seria uma sessão tranquila, com um fator necessário, que era o vestibular, se não fosse a injustiça sem precedentes com o Nordeste de Goiás.

Vários campus da UEG, entre os quais, Campos Belos e Posse, ambos no Nordeste de Goiás, pela primeira vez na história desde que a UEG foi criada, em 1999, não mais receberão nenhum novo aluno.

Vamos repetir, nenhum novo aluno.

O motivo é em razão de que o CsU da UEG não aprovou, no quadro de vagas de toda a UEG, qualquer espaço para vestibulares nas unidades desses municípios.

Hum horror, que anuncia uma possível extinção dos dois campus.

Desmonte em números

No ano de 2018, a UEG possuía 159 cursos de graduações. 

Agora, em 2021, serão apenas 89 cursos, uma queda 44% no número de cursos da instituição que ocupa nesse instante 41 campi em 39 municípios, distribuídos em todas as regiões do estado de Goiás, segundo dados da própria Universidade. 

"Num momento da história em que o Brasil necessita de mais investimentos em qualificação profissional, dada a grave crise econômica e sanitária (causada especialmente pela pandemia da COVID-19), Campos Belos e Posse, e os mais de 20 municípios adjacentes a estes, seus jovens que sairão do Ensino Médio, não poderão contar com os cursos da UEG", afirma Marconi Burum, servidor da UEG em Campos Belos e um dos membros do Conselho Superior que participou da Sessão nesta terça-feira.

"A UEG caminha para fechar seus campi em várias cidades de Goiás, centralizando o ensino superior nos grandes centros urbanos. Esse é um projeto do Governo de Goiás, que mostra seu descaso com a UEG. 

A prova disso é que nós, do CsU, já pedimos ao Governador que permitisse a eleição para Reitor [que hoje está sob intervenção] e que devolvesse os 2% da receita estadual ao orçamento da UEG”, destaca. 

Brum afirmou que a UEG, até 2019, tinha uma rubrica específica constante no artigo 158 da Constituição do Estado de Goiás, o que, se tivesse sido mantida, daria este ano à UEG um orçamento de 600 milhões de reais.

Com os cortes do Governo, em 2021 a UEG terá pouco mais de 300 milhões, o que representa a metade do valor. E por isso, a fórmula encontrada pela UEG para sair da crise orçamentária foi encerrar quase a metade de seus cursos.

“Com esta votação de ontem do CsU, caminhamos para uma tragédia que será difícil de reverter. Ou seja: corre-se o risco de vermos em 2 ou 3 anos o fechamento definitivo das unidades da UEG em Posse e em Campos Belos. A população precisa reagir”, comenta Burum.

"Esse ano tá perdido. Mas temos esperança em 2022 de tentar reverter (embora pela fala dos gestores da UEG ontem. Será bem difícil reverter."

Acompanhe a reunião feita pelo CsU da UEG, que toma essa drástica decisão:


3 comentários:

  1. Triste de tudo é ver os políticos da cidade sequer tentar defender se pronunciado ao que está acontecendo com a nossa UEG. Que tristeza eu sinto. Indignado com a possibilidade de fechamento do Campus de nossa cidade. O pior de tudo é saber que muitos jovens não terão oportunidades de fazer uma faculdade.

    ResponderExcluir
  2. É VERGONHOSO SABER QUE O PREFEITO DE CAMPOS BELOS O SR PABLO ESTEVE DURANTE 3 DIAS EM BRASILIA, RECEBENDO DIÁRIAS VISITANDO GABINETES DE PARLAMENTARES DO CENTRÃO, MENDIGANDO EMENDAS
    QUE COM CERTEZA NÃO TERÁ RESULTADOS. QUANDO DEVERIA ESTAR EM GOIÂNIA LUTANDO COM VEREADORES E SEU VICE PARA DEFENDER
    O NÃO FECHAMENTO DA UEG DE CAMPOS BELOS JUNTO AO GOVERNO CAIADO. ELE VAI ALEGAR QUE ISTO NÃO FOI COMPROMISSO DE CAMPANHA. O POVO TEM QUE SE MANIFESTAR E IR AS RUAS REDE SOCIAIS CONTRA O PREFEITO E CONTRA O FECHAMENTO DA UEG ESTÃO QUERENDO USAR MAIS UM ESPAÇO ESTADUAL, COMO OCORREU COM CASEGO HOJE CRAS, SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO HOJE COZINHA DO MUNICÍPIO LOGO EM BREVE O PRÉDIO DA UEG SERÁ TRANSFORMADO NA SEDE DA PREFEITURA. ACORDA POVO DE CAMPOS BELOS!
    OS NOSSOS JOVENS MERECEM UM FUTURO MELHOR. VAMOS LUTAR CONTRA FECHAMENTO DA UEG. OS VEREADORES SÃO EM SUA MAIORIA SÃO SEMI-ANALFABETOS. JÁ CRIARAM ATÉ DIALETOS: COMO IVONÊS E JURANDÊS NÃO ESTÃO NEM AI PARA EDUCAÇÃO.
    ONDE ESTÃO: ROTARY, MAÇONARIA, CDL, IGREJAS E OUTRAS.

    UM JOVEM EDUCADO É UMA VAGA A MENOS NOS PRESÍDIOS

    ATT EDIJALDO

    ResponderExcluir
  3. É uma lástima fechar este campus, eu formei lá estou trabalhando graças a instituição de ensino UEG. É ler isso me entristece só de ver estas notícias de fechamento , cadê as autoridades políticas que não correm atrás para não fechar.Lembro que antes de eu não terminar o ensino superior eu estive em Goiânia a fazer este curso particular trabalhava de dia é estudava a noite pagava aluguel é transporte para ir a faculdade que chegou num momento de tantas dificuldades é obstáculos, desistir não estavam conciliando tudo isto até eu vir para o interior é conseguir passar em universidade pública.Hoje sou funcionária contratada agradeço muito a UEG, pelo meu diploma senão hoje estaria trabalhando em caixa de supermercado é sem um curso superior e outra vamos lutar para não fechar o campus, pois hoje é muito difícil formar um filho em grandes centros devido o alto custo de mantê _los.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.