quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Mais uma. Erro, malandragem ou incompetência? vídeo mostra novo flagrante de enfermeira que não injeta vacina em Goiânia


Um novo flagrante de não aplicação de vacina ocorreu durante a campanha que acontece na manhã desta quinta-feira (18) na Área 1 da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, em Goiânia. 

Enfermeira parceira da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) aparece em vídeo colocando agulha no braço do policial civil aposentado Osvaldo Peres, 84, mas não injeta o imunizante. 

A situação foi percebida pelo filho, Leonardo Peres, 45, que viu a situação e protestou, motivo pelo qual a mulher refez o procedimento, injetando a coronavac.

“Graças a deus, a partir de hoje o senhor está mais protegido”, diz a enfermeira na gravação. Logo depois, é possível ouvir a manifestação de Leonardo. 

“Senhora, a senhora não aplicou nada aí não, senhora. Para com isso, ajuda nós (sic)”. A mulher então pede desculpas “de verdade” e troca seringa e agulha para refazer a aplicação.

De acordo com Leonardo, ele e o pai compareceram ao local de vacinação em um drive thru, às 9h desta manhã. 

Lá passaram por triagem e foram encaminhados à vacinação. Tudo transcorria dentro da normalidade, até que a vez de Osvaldo chegou.

“Na hora a gente fica incrédulo, vemos na TV essas situações e não acreditamos que pode acontecer conosco. 

Depois que eu briguei com ela, a vacinação de fato aconteceu. No entanto, fica a dúvida, será que esse ‘erros’ vem ocorrendo em larga escala?”, questiona.

A família ainda não decidiu se irá formalizar denúncia sobre o ocorrido.
Resposta

De acordo com a SMS, a servidora é vinculada à Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás (Affego-Saúde), instituição parceira na campanha de vacinação contra covid-19. 

“A SMS e a AFFEGO estão investigando o episódio para tomar as medidas cabíveis. Vale ressaltar que o idoso foi vacinado”, diz o documento.

A pasta afirma ainda ter adotado um protocolo de segurança na vacinação contra a Covid-19, no qual enfermeiros e técnicos de enfermagem trabalham em dupla, sendo que um deles mostra a seringa antes do preparo e também após a aplicação da dose para a pessoa que será vacinada e o acompanhante. 

“Também temos estimulado que o gesto vacinal seja filmado, para oferecer maior tranquilidade à população”.
Feliz, apesar de tudo

De acordo com ele, o pai, que ficou a pandemia toda isolado em casa para não correr riscos, ficou sem entender a situação. 

No entanto, apesar do suposto erro, ele se alegra por ter adquirido o imunizante. “Estamos muito felizes que a vacina foi viabilizada dentro de um ano de pandemia”, completa Leonardo.

Investigação

O ministério Público de Goiás já investiga um caso semelhante ocorrido no último 10/2, também em Goiânia. 

Enfermeira foi afastada das funções e corre risco de perder registro profissional, segundo Conselho Regional de Enfermagem (Coren-GO). De acordo com a SMS, profissional pode ter cometido “erro involuntário”.

Com informações do Mais Goiás 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.