segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021

Diretor do presídio de Arraias (TO) responde à reclamação de mães de presos



DIREITO DE RESPOSTA
Ao Senhor

Dinomar Miranda

O Diretor da Unidade de Polícia Penal de Arraias –TO, neste ato representada pelo Policial Penal Myller Bispo de Assis, vem a público prestar esclarecimentos a respeito da matéria publicada no  dia 31 de janeiro de 2021, com título: Mães de presos de Arraias (TO) reclamam da falta de privacidade em encontros.

1. DOS FATOS

Com o início da pandemia da covid-19, visando a não propagação dentro das Unidades Penais do Estado, foram suspensas todas as atividades educacionais: religiosas, trabalhos externos e VISITAS de familiares.

Em novembro de 2020, houve o retorno gradativo das visitas, sendo necessário obedecer às regras previstas na portaria, tais como:

Art. 3º - Cada interno terá direito a receber 01 (UM) familiar cadastrado e de primeiro grau a cada 30 (trinta) dias, conforme as regras neste presente plano.

I – O local deverá propiciar que, a visitação ocorra com um distanciamento MÍNIMO (1,5MT) adequado.

III – Durante a execução de visitação, os internos e visitantes deverão permanecer obrigatoriamente com o uso das máscaras, SENDO PROIBIDO O CONTATO FÍSICO.

Art. 6º - Compete AOS DIRETORES das Unidades Penais executar e fiscalizar as diretrizes previstas no presente Plano de Trabalho, zelando pela preservação da saúde dos servidores,

visitantes e, sobretudo, dos internos.

V- A visita ocorrerá SOB A OBSERVAÇÃO DOS AGENTES DE EXECUÇÃO PENAL (Policial Penal), nos locais a serem designados pelas Chefias das Unidades.

Com isso, Senhor blogueiro, não há que se falar em abusos ou falta de humanização, mas sim o cumprimento de regras que visam a não proliferação do vírus. Que por sinal, essa unidade teve diversos casos.

Tratando-se de informações via telefone, é vedado reportar qualquer tipo de informação por meio de ligação telefônica ao público externo. Sendo que em casos que exija tal procedimento, a própria Unidade Penal o faz.

2. CONCLUSÃO

Sendo assim, para conhecimento do público, essa Unidade é referência em educação prisional, sendo que, atualmente 20 reeducandos estudam, 15 deles irão fazer provas do ENEM, 2 cursam faculdade (Educação No Campo E Direito) e 50 reeducandos fazem atividades laborais (artesanatos) dentro de sua cela. 

Como disse vossa Senhoria, “É inconcebível presos ficarem o dia inteiro ocioso, sem estudar e trabalhar”. Não é a nossa realidade.

Arraias-TO, 01 de fevereiro de 2021

2 comentários:

  1. Por isso que eu sou leitora fiel deste blog .jornalismo é assim mesmo tem que mostrar os fatos e investigar_los pois a única chance das pessoas fazer reclamação é através de blogs .Desse modo, é como os outros meios de comunicação que tem o papel fundamental de informar os telespectadores sobre o que está acontecendo no Brasil e no mundo,e também a imprensa e com grande respeito parabenizo este blog pelo ótimo trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Mãe é mãe né gente, é a ultima a aceitar e ver os erros dos filhos. Parabéns àqulas que fazem ao contrario.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.