domingo, 17 de janeiro de 2021

Sem nenhuma dose de vacina nas mãos, Pazuello dá um show de arrogância em coletiva à imprensa

 

O ministro Eduardo Pazuello, da Saúde, ficou extremamente irritado com o ato simbólico realizado em São Paulo, cujo governador é adversário político do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve enfrentá-lo na eleição presidencial em 2022.

O estado escolheu a enfermeira Mônica Calazans para ser a primeira pessoa a receber uma vacina contra a covid-19 no país.

A cena ocorreu minutos depois que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deu aval ao uso emergencial.

Pazuello correu para também dar uma entrevista coletiva. 

Mas sem uma dose de vacina nas mãos, sobrou ao ministro, que é general, apenas dar um show de arrogância no tratamento aos jornalistas.

Era como se estivesse num quartel, falando a subordinados. 

Uma indecência.

Um comentário:

  1. Isso mesmo. Além disso, apresentou acusações falsas: governo de São Paulo começou a vacinar de forma ilegal, o governo federal é que comprou as vacinas.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.