terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Morre de Covid-19 ruralista da direção do Incra, que era negacionista e desrespeitava regras sanitárias. Treze servidores morreram antes dele



O presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Rio Grande do Sul, Tarso Teixeira – que havia sido denunciado à ouvidoria da autarquia e ao Ministério Público do Trabalho por desrespeitar as normas sanitárias contra a Covid-19, faleceu nesta segunda-feira (5) em decorrência de complicações provocadas pelo novo coronavírus. Era um negacionista típico.

Teixeira, que tinha 69 anos, também era diretor vice-presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul). 

As representações contra ele foram feitas Confederação Nacional das Associações dos Servidores do Incra (Cnasi) em dezembro do ano passado.

De acordo com reportagem do jornal Folha de S. Paulo, os servidores acusaram o diretor de não cumprir os protocolos contra a Covid-19, não utilizar máscara, não adoção das medidas sanitárias contra a doença no ambiente de trabalho, além de pressionar para que os funcionários da autarquia retomassem o trabalho presencial sem providenciar a segurança necessária para proteger a saúde dos trabalhadores.

Segundo a associação, pelo menos 13 servidores do Incra faleceram em decorrência da Covid-19 desde o início da pandemia. 

Em nota, a autarquia informou que "do total de servidores falecidos no ano passado informado pela Cnasi à reportagem, seis eram aposentados, seis trabalhavam remotamente e somente um servidor trabalhava presencialmente."

Com informações da Agência Folha 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.