segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

IV Jornada Goiana dos Direitos Humanos 2020 - 9 a 16 de dezembro



O Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, formado por cerca de 80 entidades dos movimentos sociais da cidade e do campo, de universidades, sindicatos, coletivos, associações e comissões, realizará uma programação virtual de debates, aula pública, lançamentos de livro, documentário e dossiê, campanhas de solidariedade, diálogos e a entrega dos trófeus do 2˚ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos para Imprensa e das homenagens especiais para defensores e defensoras de direitos humanos.

As atividades acontecerão no período de 9 (quarta-feira) a 16 de dezembro (quarta-feira) e serão transmitidas, em sua maioria, pelo canal oficial da UFG no Youtube.Abertura oficial

Um dos destaques da programação é a abertura oficial no dia 9 de dezembro, com a presença do Padre Julio Lancelotti, da Pastoral de Rua de São Paulo, que conversará com o coordenador estadual do Movimento Nacional da População em Situação de Rua, Eduardo Matos, sobre a Criminalização da Pobreza e da Luta por Direitos.

No dia seguinte (10/12), a live que reunirá Maria Sylvia (Géledes) e José Graziano da Silva (Instituto Fome Zero) discutirá A Luta contra a Fome e o Racismo Estrutural, às 19 horas, também transmitido no Canal Oficial da UFG no Youtube.

Outra atividade importante é o lançamento do Dossiê Vidas em Luta - Criminalização e Violência contra Defensoras/es de Direitos Humanos no Brasil (Volume III), produzido pelo Comitê Brasileiro de Defensoras/es de Direitos Humanos, no dia 8 de dezembro, às 18 horas, como atividade preparatória da IV Jornada. 

A transmissão será feita pela página https://www.facebook.com/comiteddh

Nesse ano, o 2˚ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos fará homenagens especiais para o jornalista Washington Novaes, pioneiro do jornalismo ambiental no país; Thomas Roland Hoag, primeiro professor de Fotografia do curso de Jornalismo da UFG; Irene Maria dos Santos, defensora histórica de direitos humanos, uma das fundadoras do Instituto Brasil Central; e Pinheiro Sales, jornalista e militante histórico de direitos humanos, preso e torturado pela ditadura militar, integrante da Comissão Nacional de Ética da Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.