sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Com assistência técnica do Ruraltins, produtor rural inicia criação de peixes redondos em Arraias (TO)


O Governo do Tocantins, por meio da assistência técnica prestada pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), vem garantindo, ao agricultor familiar, diversidade produtiva e a geração de renda.

Em Arraias, município localizado a 426 km de Palmas, com apoio do escritório local do Ruraltins de Combinado e Supervisão Regional de Taguatinga, a piscicultura começa a fazer parte da vida do produtor José Leandro Barbosa de Lousa, morador da Fazenda Retiro. 

Lá, a aposta é a produção de peixes redondos em viveiro elevado de geomembrana, uma lona plástica utilizada para revestimento da estrutura.

De acordo com o engenheiro de pesca do Ruraltins, Diego Barrios, responsável pelo atendimento ao produtor, a escolha desse sistema foi aproveitar melhor a área da propriedade.

“O produtor nos procurou para saber a viabilidade da construção de viveiros escavados em sua propriedade. Na visita técnica, concluímos que, apesar de ter boa disponibilidade de água, o terreno não ajudava, por ser muito arenoso. 

Para a quantidade que ele pretendia produzir, o custo com abertura dos viveiros, tubulações e aplicação de lona para segurar a água seria bastante oneroso. 

Desse modo, tendo em vista que o produtor está iniciando na atividade, a melhor opção foi trabalhar com viveiros elevados. 

No caso, a alternativa mais viável foi o de geomembrana, que tem baixo custo, se comparado ao sistema tradicional, em viveiros escavados, além de aproveitarmos melhor a área de produção”, explica o engenheiro.

Na propriedade de José Leandro, foram implantados três tanques com capacidade estimada de 30 mil litros cada, ocupando uma área de 120 m².

“Projetamos um ciclo de 9 a 10 meses, que teve início em novembro, quando os tanques foram povoados com a espécie tambatinga. 

Nos viveiros de geomembrana, temos a necessidade de trabalhar com aeração contínua e trocas diária de água, prática que permite a fertirrigação, que é o reaproveitamento da água dos tanques para irrigação, pois a água com fertilizantes se torna uma alternativa eficiente para adubação do solo, minimizando custos e otimizando as atividades agrícolas, desenvolvidas na localidade”, pontua Diego Barrios.

Animado com o acompanhamento do Ruraltins e as ótimas perspectivas de produção, José Leandro já pensa em ampliar a unidade de piscicultura.

“Tenho interesse em adquirir mais tanques para aumentar a produção. De início, quero produzir para suprir a demanda da região. Esperamos produzir cerca de 900 kg de peixe redondo, sendo 300 kg para cada tanque de 30 mil litros”, informa.

Oportunidade

O atendimento ao produtor José Leandro faz parte das ações do Convênio Oportunidade n° 839847/2016, que tem por finalidade fortalecer os serviços de assistência técnica e extensão rural, no sentido de garantir, ao agricultor familiar, melhorias na gestão da sua propriedade, favorecendo maior geração de renda e melhoria na qualidade de vida da sua família. 

Além da piscicultura, o produtor conta ainda com outras alternativas de renda em sua propriedade, a exemplo da produção de bananas que, com orientações do técnico agropecuário Carlos Rodrigo Xavier, cultiva um hectare da fruta, com produção de 10 toneladas/ano.

Parceria

Fruto de parceria entre o Governo do Tocantins e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Oportunidade beneficia 800 famílias de agricultores, com renda de zero a quatro salários mínimos, em todas as regiões do Estado.

Os produtores são assistidos pelas sete regionais do Ruraltins, com a seguinte distribuição: 

Araguatins com 128 agricultores familiares; Paraíso do Tocantins com 100; Taguatinga com 100; Miracema com 108; Araguaína com 100; Porto Nacional com 124; e Gurupi com 140.

Fonte: Governo do TO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.