terça-feira, 20 de outubro de 2020

Flores de Goiás: população de baixa renda em Goiás tem acesso a geladeiras novas



Segundo dados do Governo Estadual, 750 famílias em situação de vulnerabilidade social puderam realizar a troca de seus refrigeradores desde junho. 

Isso devido à parceria firmada entre a Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) e a empresa de energia elétrica Enel Distribuição Goiás. 

O projeto, chamado Enel Compartilha Eficiência, é voltado para o uso de energia elétrica com maior eficiência e faz parte do Fundo de Eficiência Energética do Ministério de Minas e Energia.

Para trocar a geladeira antiga por uma nova, a família deve estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). 

Desse modo, a Seds realiza um sorteio para que os inscritos possam concorrer ao eletrodoméstico e o ganhador deve apenas entregar o utensílio antigo ao trocar pelo novo, sem custos.

Com a pandemia da Covid-19, todo o processo, desde a inscrição até o sorteio, está sendo realizado online. Luíza Rodrigues Vítor, Superintendente de Desenvolvimento, Assistência Social e Inclusão, da Seds, aponta que ” é muito mais difícil chegar até as pessoas mais carentes”. 

Além das geladeiras, trocas de lâmpadas são oferecidas pela parceria. Inicialmente, o projeto ofereceu também desconto nas contas de energia dessas famílias de baixa renda, desde que o consumo seja de até 200kW/h por mês.

As trocas de geladeiras ocorreram em nove municípios de Goiás: Goiânia, Rio Verde, Trindade, Nerópolis, Aragarças, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Indiara e Flores de Goiás. A capital goiana foi a que recebeu mais trocas, com 250 no total. 

O Governo de Goiás afirma que a meta da iniciativa é de alcançar todo o território goiano, incluindo comunidades tradicionais e aldeias indígenas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.