segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Campanhas de candidatos a prefeitos de Campos Belos (GO) abusam; fazem aglomerações e cometem até crimes graves










Este Blog não faz campanha para qualquer candidato, em qualquer cidade, como é notório aos leitores.

Por isso, evitamos publicar agendas de candidatos, carreatas, comícios ou qualquer outro tipo de evento ligado à campanha, aos candidatos e aos militantes, justamente para evitar interpretações diversas.

A intenção é não interferir, como meio de comunicação influente, no processo eleitoral. Não seria correto.

Mas não deixamos de acompanhar as movimentações de todos os candidatos e nossas fontes continuam a nos abastecer de fatos, denúncias, imagens e acontecimentos dos mais diversos.

O que mais tem saltado aos olhos são as insistentes aglomerações, promovidas pelas diversas coligações e partidos de Campos Belos, principalmente, São Domingos, Arraias, Combinado, Divinópolis de Goiás e de outras cidades, reunindo às vezes centenas de pessoas, sem máscaras e contrário aos cuidados necessários contra a pandemia da Covid.

Entendemos que as campanhas políticas também são festas populares, onde muitos recebem para serem militantes e até usam os atos políticos para fazerem farra, se divertirem, afinal de contas, ninguém é de ferro. É até salutar, na minha visão, por ser uma festa democrática, musicada e até com muita pitada de humor.

Mas para essa festa popular, aos atos públicos de campanha, há limites. Legais, morais e até de compromisso público. E quando os excessos ocorrem, não há outra maneira de cobrar, senão responsabilizando o candidato da chapa majoritária; o candidato a prefeito.

De Campos Belos (GO), neste fim de semana, por exemplo, recebemos dezenas de imagens de aglomerações feitas no balneário bezerra, de um determinado candidato e, por outro lado, quase que ao mesmo tempo, recebemos outras imagens de um grande evento promovido pelo adversário no Distrito de Pouso Alto.

Em ambas, muitas pessoas próximas uma das outras, sem máscaras; muito foguetório, crianças e adolescentes usando bebida alcoólica e abusos diversos. Em uma delas, segundo apurado, houve até o cometimento de um crime sexual, com direito a prisão, cometido por militante.

Chegou a hora de os candidatos a prefeito, a bem da festa democrática, botar um freio; dar um basta aos abusos, sob pena de serem responsabilizados por atos de suas militâncias.

Esse grave incidente de ontem (domingo), crime sexual, cometido contra uma adolescentes da cidade, salvo melhor juízo , é consequência justamente por não haver pulso firme de quem coordena a campanha.

Vou deixar de detalhar o crime, muito grave por sinal, justamente por ele está correndo em segredo de justiça. 

Mas há acusado preso e a situação é muito delicada. Tudo por conta dos abusos e da falta de limites, que deveriam ser impostos pelos candidatos a prefeito.

Assim sendo, fica avisado, desde já, mesmo que determinada notícia seja contrária aos interesses de determinada campanha ou coligação, mas se for em benefício aos interesses da sociedade, ao interesse público, este Blog não vai se furtar em publicar, e não vai adiantar a chiadeira de prejuízos eleitorais, como sempre ocorre neste período.

O mesmo se aplica às outras cidades de Goiás e Tocantins, áreas de influência deste canal de comunicação. Infelizmente não podemos fechar os olhos e vamos dar publicidade, reitero, mesmo com prejuízos eleitorais às campanhas.

2 comentários:

  1. TEMOS QUE PROCURAR URGENTE ALGUÉM QUE GOSTA DE RASGAR PAPEL, SALVO ENGANO TEMOS UM CANDIDATO EM CAMPOS BELOS COM ESTE PERFIL PRA RASGAR O DECRETO Nº 126 DO PREFEITO SOBRE COVID-19.

    ATT EDIJALDO

    ResponderExcluir
  2. Blog de mimimi virou esse viu. O país inteiro tá assim. E essa foto da Lagoa? Tem lago artificial em Cb agora? Não sabia. Quero conhecer.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.