sábado, 31 de outubro de 2020

Consultoria especializada em atender micro e pequenas empresas é aberta em Campos Belos (GO)

A cidade de Campos Belos (GO) agora conta com uma consultoria especializada em atender as micro e pequenas empresas. 

A Sirqueira Maciel Consultoria, especializada em atender micro e pequenas empresas, sob gestão dos administradores Jorge Sirqueira e Diego Maciel quer atender os comerciantes da região. 

A intenção de abrir a consultoria para atender a região veio por perceber a necessidade de que muitos empreendedores, muitas das vezes, têm que procurar orientação e conhecimento em Goiânia, Brasília ou online.

"Em Campos Belos ainda é pequena a oferta para esse tipo de serviço, outra motivação foi pelo fato de estarem sendo procurados informalmente para ajudar algumas pessoas que estavam começando a empreender agora em meio a pandemia essa percepção veio a se confirmar após divulgação de dados da junta comercial no começo de setembro informando que Goiás bateu recorde em abertura de novos negócios no mês de agosto", diz Jorge Sirqueira.

Segundo ele, quanto mais consultores a região tiver, mais a cidade vai  desenvolver suas empresas, "já que com apoio técnico o empresário consegue ter uma segurança maior na tomada de decisão".

O diferencial, segundo Sirqueira, que está sendo prestado uma consultoria personalizada.

"Isso melhor encaixa os princípios da administração em cada tipo de empreendimento", diz ele. 

O escritório físico ainda está sendo montado, mas o trabalho da Sirqueira Maciel Consultoria pode ser acompanhado no Instagram @sirqueiramacielconsultoria. 

Triste demais: Adinei Brito perde a batalha e a vida para a COVID-19





Por Jefferson Victor, 

Morreu ne
ste sábado (31), em Goiânia, aos 52 anos, Adinei Brito de Oliveira,  campos-belense, filho de Dona Nilza Brito.

Dinei, como era carinhosamente chamado, sentiu-se mal no dia 7 de outubro, depois foi diagnosticado com a Covid-19, motivo pelo qual ficou hospitalizado. 

Onze dias depois, dia 18 de outubro, foi transferido para o Hospital Santa Helena, sendo internado na UTI em estado crítico, necessitando ser entubado devido ao seu quadro respiratório agudo. 

Mesmo estando na UTI, o estado de saúde de Dinei continuou inalterado. No entanto, devido ao agravamento da Covid, seu corpo não resistiu à ação da doença e na manhã deste sábado, por volta das 10h, triste e pesarosamente foi constatado seu óbito. 

Dinei era o caçula dos homens, filhos de Dona Nilza Brito. Era irmão de Mábia, Joaquim Brito, Juá, Dalva, Lilian, Pretinha, Sidiney, Zinalva, Divina, Britinho (falecido), e, por adoção, Reginaldo e Ana Paula. 

Ele se mudou de Campos Belos muito jovem, com destino a Brasília, onde serviu  à Aeronáutica.

De lá mudou-se para Goiânia e há 21 anos casou-se com Mireni Sechinatto, com quem teve uma única filha, Vitória, hoje com 19 anos.

Em Goiânia, estudou Ciências Contábeis e Direito. Passou no concurso da Polícia Civil do estado de Goiás, da qual  era Agente de Policia Civil e contador.

Atuava também no ramo imobiliário, no segmento de construção de kitinetes para aluguel. 

Pessoa extremamente meiga e amiga, Dinei deixa uma legião de amigos. Era muito popular e desfrutava do prestígio da tradicional família Brito. 

Devido aos protocolos para mortos por Covid-19, não foi autorizado o translado do corpo para sua cidade natal e foi sepultado no Cemitério Cerrado, em Goiânia. 

Como já se não bastasse perder uma pessoa com saúde, jovem e, ainda, muito querida, a Covid também tirou o direito de a família e amigos fazerem as últimas e merecidas homenagens fúnebres a Dinei Brito.

A maioria de seus parentes não pode assistir seu velório e sepultamento.

Neste momento extremamente difícil e delicado, fica aqui os nossos sentimentos à toda a família Brito, e em especial a Dona Nilza, matriarca guerreira, que ficou viúva ainda jovem e que criou 14 filhos praticamente sozinha.

Altiva, conseguiu dar direcionamento na vida de cada um, tornando-os pessoas bem sucedidas e íntegras, sem exceção.

Que Deus a abençoe e também as familiares.



sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Corpo encontrado em decomposição parece ser de Natália Nunes. Ela está desaparecida há mais de 20 dias, em Formosa (GO)



No final da tarde de sexta-feira (30), um corpo, já em estado de decomposição, foi encontrado na Zona Rural de Formosa (GO), região do Entorno do Distrito Federal.

A polícia suspeita que o corpo seja da jovem Natália Nunes de Moura, moradora de Formosa, que está desaparecida há mais de 20 dias.

Segundo informações do repórter Júnior Barbosa, da Terra FM, o corpo foi removido para exame de DNA em Goiânia. 

Na madrugada de quinta-feira (29), a Polícia Civil prendeu um suposto suspeito do desaparecimento da jovem.

Com quadro grave de COVID-19, Maguito Vilela é entubado


O candidato a prefeito de Goiânia pelo MDB, Maguito Vilela, precisou ser entubado na tarde desta sexta-feira (30) após piora no quadro respiratório. 

O ex-governador de Goiás está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Albert Einstein, em São Paulo, para tratar a infecção causada pelo coronavírus.

A assessoria de imprensa informou em nota que na sexta-feira (29), o político apresentou uma melhora na inflamação, mas voltou a apresentar dificuldades para respirar sem o suporte de oxigênio.

A equipe médica do Albert Einstein decidiu então fazer a entubação para prosseguir o tratamento "de forma mais efetiva", diante do novo quadro.

Nota da assessoria de Maguito Vilela

Após apresentar na quinta-feira (29) uma melhora na inflamação pulmonar causada pela Covid-19, o candidato a prefeito de Goiânia pelo MDB, Maguito Vilela, voltou a apresentar dificuldades para respirar sem suporte de oxigênio. 

Diante disto, a equipe médica do Hospital Albert Einstein decidiu introduzir ventilação mecânica invasiva no início desta tarde para prosseguir com o tratamento de forma mais efetiva, diante do novo quadro. 

O procedimento foi feito também para preservar as funções pulmonares e evitar possíveis sequelas. Maguito encontra-se sedado e todas as demais funções vitais estão normais.

Com informações do G1

Desastre: Dinit já bateu o martelo e Cavalcante, Monte Alegre, Campos Belos e Arraias ficarão fora da BR-010


Com a frustação de Cavalcante (GO), o Dnit informou que foi realizado um Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) no qual foram avaliadas duas alternativas de traçado para a BR-010. 

A Alternativa 1, com 277,10 km, e a Alternativa 2, que atende Cavalcante, com 272,32 km. 

O estudo, conforme o órgão, recomendou a Alternativa 1 porque, embora os dois traçados interceptem o território calunga, esta opção é menos impactante.

No caso da Alternativa 1 a BR-010 vai ocupar uma extensão de 35 km, com grande parte do trecho já asfaltado. 

Na Alternativa 2 a interceptação é menor, mas em contrapartida a intervenção seria maior porque o leito é natural e o terreno virgem.

O Dnit enfatiza que a opção pela Alternativa 1 também implica em menos intervenção em Áreas de Preservação Permanente (APPs) porque os corpos hídricos identificados são em menor quantidade do que na Alternativa 2.

Ainda na Alternativa 1, conforme o Dnit, o relevo é mais favorável, o que vai exigir um volume menor de terraplanagem. Outra vantagem apresentada pelo órgão é que a extensão a implantar de novos trechos na Alternativa 1 é inferior em cerca de 25% à Alternativa 2.

Com a conclusão do EVTEA, o Dnit já contratou a empresa responsável pelo desenvolvimento dos projetos. “A previsão de conclusão dos mesmos é para o segundo semestre do próximo ano”, informou o órgão federal.

O órgão nem aventou a passagem da BR-010 por Monte Alegre, Campos Belos e Arraias. 

Com informações de O Popular

Mudança em traçado da BR-010 frustra moradores de Cavalcante (GO)



Em Cavalcante, no Nordeste Goiano, a decisão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de mudar o traçado de uma rodovia aguardada há mais de 50 anos preocupa a comunidade local.

Em março deste ano, o órgão anunciou o início do processo licitatório para a contratação e elaboração do projeto básico e executivo de engenharia para implantar e pavimentar o trecho da BR-010 que liga Goiás ao Tocantins.

O motivo do descontentamento é que a nova rodovia, que antes beneficiaria o município, contribuindo para que ele saia do isolamento econômico e social, agora vai passar a quilômetros de distância.

“Ninguém esperava por isso. Temos nessa região o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), precisamos de ajuda para atrair desenvolvimento. 

A região é turística e a alteração do traçado original foge à nossa compreensão”, afirma Jurani Maia, ex-vereador de Cavalcante, município que fica ao norte do Parque Estadual da Chapada dos Veadeiros. 

Ele acredita que há algo por trás da decisão, como interesses de grandes empresários, porque a obra em sua opinião vai ficar muito mais onerosa. “Vão cortar a Serra da Contenda em Monte Alegre de Goiás.”

Prefeito de Cavalcante, Josemar Saraiva (PSDB) disse ao POPULAR que a notícia da alteração do traçado do trecho da BR-010 jogou um balde de água fria na expectativa de toda a comunidade. “Era um sonho porque iria tirar Cavalcante do isolamento.

Só pode ter interesse político nisso.” Segundo ele foram várias reuniões com representantes do Dnit para mostrar a importância da preservação do traçado original. 

“Cavalcante é o sexto município goiano em extensão territorial, temos estrutura que atenderia aos viajantes. Nossos comerciantes aguardam há muito tempo por essa estrada.” O prefeito tenta agora marcar uma audiência com o titular do Ministério da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para tratar do assunto.

A Associação do Quilombo Kalunga (AQK) que representa os moradores do Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga, também reagiu à notícia da mudança. 

Representando 39 comunidades nos municípios de Cavalcante, Monte Alegre de Goiás e Teresina de Goiás, a AQK diz que pelo menos 20 mil pessoas deixarão de ser beneficiadas com a decisão do DNIT, 8 mil delas quilombolas.

“Estamos no isolamento há mais de 300 anos. Precisamos de estrada para ter acesso ao desenvolvimento”, afirma a vice-presidente da AQK, Domingas Natália. 

No traçado anterior a BR-010 cortaria o território calunga em Cavalcante, que hoje atrai milhares de turistas que buscam as cachoeiras da região.

Com 1.959 quilômetros de extensão, a BR-010 começa em Brasília (DF) e vai até Belém (PA) passando por Goiás, Tocantins, Maranhão e vários municípios do Pará. 

A rodovia foi idealizada no governo de Juscelino Kubitschek, mas nunca concluída. O trecho ao qual o edital se refere, conforme o Dnit, são os segmentos km 0 ao km 93,8 , no Tocantins, e aos km 272,7 ao km 305, em Goiás. 

Entre Brasília (DF) e Palmas (TO) a BR-010 é complementada pelas rodovias GO-118 e TO-050, porque ainda não existe a rodovia federal. Há outros trechos sem abertura e/ou sem pavimentação.

Houve um momento no início dos anos 2000 que o Dnit e o governo do Tocantins se uniram para tocar um trecho de 310 km, mas como irregularidades foram encontradas por órgãos fiscalizadores, as obras foram paralisadas. 

Este foi o motivo que levou ao surgimento no Tocantins do Movimento Pró-BR-010 em prol da retomada das obras, o que até agora, apesar de inúmeras reuniões com parlamentares e órgãos federais, se mostrou infrutífero.

De Brasília a Cavalcante, um trecho de aproximadamente 330 km, a BR-010, que sobrepõe a GO-118, está em boas condições, com pavimentação asfáltica. 

A expectativa da comunidade de Cavalcante era de que os 90 km, entre o município e Paranã, na divisa com o Tocantins, fossem asfaltados agora. Entretanto, veio o anúncio da mudança do traçado original que passava dentro de Cavalcante.

Na nova concepção a rodovia continua no curso da GO-118 que vai até Campos Belos, mas depois de Teresina, segue à esquerda após a ponte do Rio Paranã, cortando parte do território calunga em Monte Alegre de Goiás. Depois continua pela TO-50 entre Arraias e Paranã, ambas no Tocantins.

Fonte: O Popular

Rodovia da discórdia: falta da BR-010 vai "matar" Monte Alegre (GO), Campos Belos (GO) e Arraias (TO)

A BR-010 começa em Brasília (DF) e vai até Belém (PA) passando por Goiás, Tocantins, Maranhão e vários municípios do Pará. 

A rodovia foi idealizada no governo de Juscelino Kubitschek, mas nunca concluída.

O trecho ao qual o edital se refere, conforme o Dnit, são os segmentos km 0 ao km 93,8, no Tocantins, e aos km 272,7 ao km 305, em Goiás. 

Entre Brasília (DF) e Palmas (TO) a BR-010 é complementada pelas rodovias GO-118 e TO-050, porque ainda não existe a rodovia federal. 

Há outros trechos sem abertura e/ou sem pavimentação, segundo o órgão.

A BR-010 é uma rodovia planejada na época da construção de Brasília, dentro do Plano Nacional de Viação, mas nunca foi implantada em sua totalidade. 

Fizeram a BR-153, que passou a se chamar Belém-Brasília.

Mas um desvio novo traçado feito pelo Dinit, cortando terra kalungas, logo após a ponte sobre o Rio Paranã, na GO-118, não irá beneficiar nem Cavalcante, nem Monte Alegre de Goiás e nem Campos Belos. 

A BR-010 sai da GO-118 e vai até a ponte do Rio Paranã, entre Teresina de Goiás e Monte Alegre de Goiás, ou seja, em tese não atende a nenhum município.

O novo desenho da BR-10, em avançada licitação, após cortar parte do território calunga em Monte Alegre de Goiás, Depois continua pela TO-50 entre Arraias e Paranã, ambas no Tocantins.

Comentário deste Blogueiro

Há anos temos falado desse desastre para Campos Belos, Monte Alegre e Arraias. Mas os ouvidos estão moucos. Poucos querem nos ouvir. 

Não é ser contra a BR-010, pelo contrário. Sua implementação deve cada vez mais trazer desenvolvimento para as cidades e distritos por onde ela passar.

Por isso tenho repetido, quase como um pedido de socorro: o desvio de 120 km, logo após a ponte sobre o rio Paranã, vai matar Monte Alegre, Campos Belos e Arraias.

Todo o trânsito que hoje, entre Palmas e Brasília, que ocorre pela GO-118, vai ser canalizado pelo desvio.

Vai ser um prejuízo sem precedentes para essas três cidades, que fizeram parte do chamado corredor da miséria e avançaram muito após a criação de Palmas. 

Os primeiros a sentirem o efeito da diminuição do movimento e, possivelmente, a configurarem dentro da quebradeira geral estarão os postos de combustíveis, oficinas mecânicas, casas de auto peças, acessórios, hotéis, restaurantes, pousadas e tudo que depende desses setores. 

Por tabela, todo o comércio dessas cidades será seriamente afetado, com sérios riscos para os demais ramos da economia.  

Com menos dinheiro na praça, outros ramos comerciais fecharão e outros deixarão de abrir; menos emprego, menos qualidade de vida, mais pobreza. 

É um raciocínio simplista, mas serve como um amplo alerta.

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Pesquisa coloca Eduardo Terra na frente, em Campos Belos (GO), com 29,78% da intenção de votos

 


Uma outra pesquisa, muito divergente da publicada pelo Jornal Cidades e Negócios, esta feita pela empresa Exatas e registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), coloca o prefeito de Campos Belos (GO), Eduardo Terra na frente, a corri, na eleitoral para a vaga do Executivo local. 

Segundo os dados, Terra aparece na frente com 29,78% das intenções de votos. 

Ele é seguido pelo ex-prefeito Santos Ninha, que aparece com 27,3% e pelo delegado Pablo Giovanni, que também aparece com 27,3%, exatamente empatados com os mesmos números. 


quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Nova Pesquisa: Pablo Geovanni aumenta a liderança nas intenções de votos na disputa em Campos Belos (GO)

Uma pesquisa feita em 129 municípios do estado de Goiás e publicada no jornal impresso Cidade e Negócios, indica que os candidatos Pablo Geovanni e Juranda aumentam margem de intenção de votos a frente dos demais colocados na disputa pelo pleito municipal de Campos Belos. 

A Pesquisa da empresa IPOP- instituto de pesquisa e opinião pública foi registrada no TRE GO-05737/2020 e foi divulgada ontem (27).

Ela mostra Pablo Geovanni  (PSD) isolado em primeiro lugar, na sondagem estimulada pela disputa da Prefeitura de Campos Belos, com 30,20%. 

Em seguida aparece Ninha(PDT) com 22,20% e Eduardo Terra(DEM), com 20,10% das intenções de voto. Leandro Fox (PSL) tem 3,3% e Wesley Oliveira (PL) estão com 5,00%.

A pesquisa ouviu 377 pessoas e a margem de confiança é de 95%.

Rejeição

A pesquisa analisou em quem o eleitor não votaria de maneira alguma. Conforme a IPOP pesquisas, o Eduardo Terra é o mais rejeitado com 34,2%. 

Em seguida, Ninha pontua 26,1% e Pablo Geovanni 4,3%. Na sequência, Wesley Oliveira  e Leandro Fox tem 12,1 e 7,1% de rejeição respectivamente

domingo, 25 de outubro de 2020

Menino de 14 anos mata a mãe a facadas, por conta de celular



Um menor foi apreendido na madrugada deste sábado (24) suspeito de matar a mãe a facadas em Cumari, município a 301 quilômetros de Goiânia. 

De acordo com a Polícia Civil (PC), o garoto de 14 anos teria cometido o crime após uma discussão por causa de um aparelho celular com a vítima, Fernanda Rosa da Silva, de 39 anos,

Segundo Vitor Magalhães, delegado responsável pelo caso, o aparelho era da vítima. 

“Em depoimento, o adolescente disse que os dois estavam na rua, a caminho de casa, quando começaram a brigar porque ele se recusava a entregar o celular para a mãe”, diz.

O menor disse para a PC que, ao chegar em casa, no bairro Nova Era II, pegou uma faca na cozinha, esperou que a mãe chegasse na sala da residência e a esfaqueou. 

O delegado diz que a Polícia Militar (PM) foi acionada por vizinhos que ouviram gritos na casa.

“Quando os policiais estavam a caminho do local, localizaram o adolescente na rua, e ele mesmo levou os PMs até a casa, confessando o crime”, completa Magalhães. O corpo de Fernanda Rosa foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Catalão.

O menor foi encaminhado para o Centro de Internação Provisória, em Goiânia. Ele deve ser apresentado ao Ministério Público de Goiás (MP-GO) e ao Juizado da Infância e Juventude, que vão decidir se ele continua detido.

Fonte: Mais Goiás

Novo trecho da BR-010, proposto pelo governo federal, é uma ameaça severa às comunidades calungas e ao cerrado





Por mais de 200 anos, seres humanos escravizados, em virtude de sua cor, se refugiaram numa área muito remota e de dificílimo acesso, após fugirem dos trabalhos forçados nas minas de diamantes e de ouro, na região sertaneja do estado de Goiás, no Brasil central.

Nessa região, ficaram escondidos, isolados do mundo e conseguiram sobreviver.

Ali mantiveram suas culturas, sua religião, a forma de construir suas casas, a maneira de produzir seus alimentos, enfim, um mundo perdido intacto em relação à civilização moderna, até serem "descobertos".

Por tabela, mantiveram conservada a imensa biodiversidade do cerrado, sua vegetação, seus rios e riachos, mananciais, além da rica fauna composta por animais silvestre, que também alimentavam aqueles "índios" negros.

São três as comunidades calungas: nos municípios de Cavalcante, Teresina de Goiás e Monte Alegre de Goiás.

A mais populosa comunidade está situada no município de Cavalcante, com pouco mais de duas mil pessoas, distribuídas nas localidades do Engenho II, Prata, Vão do Moleque e Vão das Almas, sendo esta última a mais recente a se integrar no seio do município (cerca de trinta anos).

Mais recentemente, alguns estudos têm indicado a presença de calungas também em regiões do estado do Tocantins, nos arredores de Natividade e regiões isoladas do Jalapão. Durante todo este período, houve miscigenação com índios, posseiros e fazendeiros brancos.

Um estudo de Universidade de Brasília, dissertação de mestrado da pesquisadora Cecília Ricardo Fernandes, traz um belíssimo e denso trabalho antropológico desse povo.

Acesse e leia a íntegra dessa Pesquisa

Mas tudo isso está seriamente ameaçado por uma obra "boba", sem noção, tocada pelo governo federal, sem levar em consideração a visão sistêmica e o que a envolve.

Com o único propósito de diminuir a distância, em pouco mais de 126 km entre a capital do Tocantins, Palmas, e a capital federal, o DINIT já está licitando a construção de uma nova rodovia federal, a BR-010. 

Boa parte dessa BR é pelo curso da rodovia estadual GO-118, entre Brasília e Campos Belos (GO), trecho com cerca de 400 km.

Depois, a BR seguiria pela TO-050 e BR 242 entre Arraias e Paranã (TO).

Mas a governo federal pretende encurtar a distância, evitando que o tráfego passe por Campos Belos e Arraias, para economizar tempo dos transeuntes e das cargas, em míseros 100 km.

Para isso, inventou um novo trajeto, ligando o "nada" ao "lugar nenhum".

Na GO-118, após a cidade Teresina de Goiás (sentido DF/Campos Belos), poucos quilômetros depois da ponte sobre o Rio Paranã, máquinas pesadas serão colocadas em ação para abrir o sertão dos calungas para dá espaço a esse novo trecho da BR-010.

Um absurdo sem tamanho.

O único benefício será o encurtamento da viagem em pouquíssimas horas e que nada afetará os preços dos fretes e das passagens de ônibus.

Em contrapartida, os prejuízos dessa insana obra, serão enormes e terríveis.

Quem conhece a região, sabe da existência dos paredões rochosos gigantescos e da imensidão das serras, morros e vales intermináveis da região, que outrora serviram para proteger os calungas dos algozes homens brancos e hoje guarda o tesouro da biodiversidade do cerrado.

O governo federal, por meio de engenheiros e operários, vai ter que usar muita dinamite e máquinas pesadíssimas para o intento. Pense agora no valor de dinheiro público envolvido nessa insanidade.

Para além do desperdício de verba pública, a ameaça é direta e será impactante para o cerrado, ainda virgem naquele espaço, refúgio agora de animais silvestres como onças, antas, pacas, tamanduás.

E ainda terá o enorme poder de levar mais pressão especulatória pecuarista e mineradora sobre terras de povos tradicionais.

E por último e não menos importante, jogará uma pá de cal sobre a economia ainda muito cambaleante do nordeste de Goiás e do sudeste do Tocantins, que até hoje ainda se ressente do esquecimento estatal.

A região ainda é conhecida como "corredor da Miséria", muitíssimo diferente da pujança do sul de Goiás.

Arraias, Campos Belos, Combinado, Natividade, Conceição do Tocantins só começaram a ver sinal de progresso após a criação da capital do Tocantins, com trajeto quase que obrigatório para Brasília, pela GO-118.

Desde então, essa região esquecida por uma sequência de governantes do estado de Goiás foi arrefecida e ganhou um lampejo de civilização.

Mesmo assim, o nordeste de Goiás e o sudeste do Tocantins ainda possuem um dos piores IDHs do país, comparando-se a países da África Subsaariana.

Foi preciso haver a divisão do estado de Goiás para poder dá um pouco de fôlego à parte norte estadual, esquecida e abandonada.

A estratégia até que deu certo.

Mas com esse desvio, a cerca de 70 km de Campos Belos, o ostracismo vai voltar, com quase absoluta certeza e a escuridão da falta de giro da economia e suas consequências vai tornar a mostrar sua cara a essas comunidades, ainda renegadas pelos governos estaduais.

Ainda há tempo. É preciso ação política, eficiente e rápida, sem politicagem. 



Nós não aceitamos Campos Belos e Monte Alegre (GO) fora da BR-010. Políticos devem explicações
 (2015)


Governo concorda em federalizar quatro rodovias goianas. Entre elas a GO-118
 
(2015)


Publicada de Lei Goiás que doa GO-118 ao governo federal. Rodovia vai se tornar federal, em BR-010
   (2017)

sábado, 24 de outubro de 2020

Dorinha pede votos para aliados no Sudeste e reforça apoio à reeleição de Wagner em Arraias (TO)



Pelo Sudeste, a deputada federal e presidente do Democratas no Tocantins, Professora Dorinha participou de reuniões de aliados em algumas cidades.

Em Chapada de Natividade ela apoia Elio Dionísio do PTB. “Pude reafirmar o meu apoio a candidatura de Elio Dionizio (PTB) e o seu vice Noaldo (MDB) a prefeitura. 

Quero reafirmar minha luta pela educação, saúde e infraestrutura e a minha parceria firmada com a povo de Chapada da Natividade”, disse.

Em Conceicao do Tocantins ela apoia João Paulo do PSD. “Uma tarde em que pude ouvir as demandas da população e os seus anseios para os próximos anos. 

Pude também reafirmar a minha luta pela educação, saúde e infraestrutura e a minha parceria firmada com o povo de Conceição do Tocantins”, disse.

Em Arraias o Democratas tem Wagner Gentil como candidato á reeleição. “Aqui pude reafirmar o meu apoio a reeleição do meu companheiro Wagner Gentil (DEM) e o seu vice Alexandre (PSB). 

Acredito no compromisso e na seriedade dessa parceria que dará continuidade ao excelente trabalho que a vem exercendo pela população de Arraias-TO. 

Reafirmo a minha luta pela educação, saúde e infraestrutura e a minha parceria firmada com o povo de Arraias-TO”, comentou.

Fonte: Gazeta do Cerrado 

Últimos dias para se inscrever em concurso público da Saneago com vaga para Campos Belos (GO)


Termina na próxima quarta-feira (28) o período de inscrições para o novo concurso público da Saneago.

Ao todo, 25 vagas iniciais foram abertas para os cargos de Técnico em Segurança do Trabalho e Técnico em Enfermagem do Trabalho.

Elas estão distribuídas em Anápolis, Campos Belos, Ceres, Cidade de Goiás, Formosa, Goiânia, Inhumas, Itumbiara, Jataí, Luziânia, Morrinhos, Ouvidor, Palmeiras de Goiás, Porangatu, Rio Verde, Santa Helena de Goiás e São Luiz de Montes Belos.

O salário inicial é de até R$ 4.443,57 para uma carga horária de 40h. A seleção deverá ser realizada em uma única etapa, por meio de prova objetiva.

Interessados devem acessar o site da Universidade Federal de Goiás (UFG), para realizar a inscrição. A taxa é de R$ 90.

Mais informações estão no edital.

TV Globo dá destaque à tentativa de assassinato do prefeito de São Domingos (GO), Cleiton Martins


TV Globo, em Goiânia, deu destaque à tentativa de assassinato do prefeito de São Domingos (GO), Cleiton Martins, ocorrido nesta sexta-feira (23). 

O Jornal Anhanguera (JA), primeira edição, deu destaque à confusão, que por pouco não acabou em tragédia.

Segundo o jornal, o ex-vereador Herculanito Lima foi levado para um presídio militar, em Goiânia (GO).

Assista à matéria da TV Globo.

Exclusivo: câmera de segurança mostra exato momento que ex-vereador tentou matar prefeito de São Domingos (GO)


Uma câmara de segurança de um estabelecimento comercial de São Domingos (GO), nordeste do estado, mostra o exato momento em que o ex-vereador Herculanito Lima tentou matar o prefeito do município e candidato a reeleição Cleiton Martins.

O crime ocorreu nesta sexta-feira (23), por volta do meio-dia, bem do centro da cidade.

Nas imagens se pode notar duas pessoas conversando no centro superior do vídeo. Uma terceira pessoa acompanha a conversa, logo atrás de um carro. 

A pessoa de vermelho é o prefeito Cleiton Martins.

Antes da confusão, uma moto biz amarela passa por ambos, acompanhada de um homem de roupa escura, ao celular, que percebe algo de errado na conversa entre os dois homens.

A testemunha chega a olhar para trás, ao mesmo tempo em que fala o telefone. 

Instantes depois, o ex-vereador dá um passo para trás, coloca a mão na cintura, pelas costas, e aponta algo para o prefeito, como se fosse um arma. 

Imediatamente, Cleiton Martins parte para cima do agressor no intuito, ao que parece, de tomar a arma e imobilizá-lo.

Herculanito Lima perde o controle da situação e sai em desabalada carreira. 

O prefeito também sai correndo e persegue seu  algoz, que parece ainda estar com a arma nas mãos.

Os dois políticos saem das imagens por instantes e duas pessoas, ao perceberem a confusão, também saem correndo.

Segundos depois, os políticos voltam ao ângulo de filmagem. 

Na cena, Cleiton Martins já consegue a imobilização do ex-vereador, que está de camisa branca. 

Dois outros homens chegam em apoio ao prefeito. 

Um deles, de vermelho, ajuda na imobilização do agressor. O de chapéu apenas observa. 

Na cena, já se percebe que Cleiton Martins consegue tomar a arma do policial aposentado e em seguida dá vários golpes de coronha contra ele, principalmente na cabeça.

Agora, os homens que chegaram em socorro ao prefeito, tentam separar e cessar as agressões do candidato contra o ex-vereador. 

Após a imobilização total de Herculanito Lima, o prefeito se volta para ele e parece proferir várias palavras. 

Ele ainda chega dar dois tapas contra a cabeça do ex-vereador. 

Por sorte, no calor dos acontecimentos, o prefeito não usou a arma para atentar contra a vida do homem imobilizado.

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

"Arma falhou na hora do tiro", disse delegado, sobre a tentativa de assassinato do prefeito de São Domingos (GO)



Um ex-vereador foi preso em flagrante suspeito de tentar matar, a tiros, o prefeito de São Domingos e candidato à reeleição, Cleiton Martins (PL), na tarde desta sexta-feira (23). 

Segundo a Polícia Civil, ao tentar executar a vítima, Herculanito Lima acabou sendo imobilizado até a chegada da Polícia Militar. A motivação ainda é investigada.

Ao tentar evitar os disparos, o prefeito entrou em luta corporal com o ex-vereador. Eles trocaram socos, acabaram se ferindo e precisaram de atendimento médico.

Cleiton Martins disse a que Herculanito Lima foi até o encontro dele para "tratar de assunto referente à política". Eles tiveram um desentendimento rápido até que o ex-vereador sacou a arma.

"Quando o disparo não saiu, para não dar espaço para ele municiar a arma novamente, eu parti para cima dele para tomar a arma, escapuliu o braço dele e bateu com a arma na minha cabeça".

Martins afirmou ainda que um dia antes, também por desavenças políticas, Herculanito já o havia ameaçado indiretamente. 

"Ontem [quinta-feira, 22], ele falou para o meu vice que iria atirar em mim", afirmou.

De acordo com a polícia, Herculanito negou as acusações. A reportagem não conseguiu localizar a defesa dele até a publicação desta reportagem.

O delegado responsável pelo caso, Alexandre Câmara, disse que quando o suspeito tentou fazer o primeiro disparo, a arma falhou. 

Quando estavam atracados, alguns tiros foram dados, mas nenhum dos dois foram atingidos.

"Uma testemunha ocular me narrou que o autor se aproximou do prefeito dizendo que queria conversar com ele e o prefeito pediu para aguardar. 

Ato contínuo, ele sacou um revólver efetuou um disparo na direção do prefeito. A arma falhou, o prefeito foi para cima dele para tentar tomar a arma e eles entraram em luta corporal", disse a reportagem.

"Durante essa luta, houve a tentativa de mais dois ou três disparos, eles não têm certeza diante do nervosismo da situação. 

Um popular conseguiu segurar o autor, e o prefeito tomou a arma dele e acionou a polícia. Aguardaram e foram conduzidos a delegacia", completou.


Fonte: G1

Vídeo do Dia: um piloto de caça como ministro. A apresentação é nossa


O plenário do Superior Tribunal Militar (STM) deu posse a um novo ministro da Corte, nesta semana. 

O tenente-brigadeiro do ar Carlos Augusto Amaral de Oliveira passou a ocupar uma das três cadeiras reservadas à Aeronáutica na composição do Tribunal.

A apresentação é nossa; acompanhe!


 

Urgente: prefeito de São Domingos (GO), Cleiton Martins, sofre tentativa de homicídio



O prefeito de São Domingos (GO), nordeste do estado, na região de Terra Ronca, Cleiton Martins, que também é candidato a reeleição, foi vítima de uma tentativa de homicídio.

O crime ocorreu ainda há pouco, por volta de meio-dia, e tem conotação política. 

O prefeito não chegou a ser atingido por tiros, mas foi ferido na cabeça, ao que parece, por uma coronhada, durante luta corporal com o agressor. 

O acusado de ter cometido o suposto crime é o ex-vereador e ex-policial Herculanito Lima, que também já foi prefeito interino do município. 

Os dois estão de lados opostos na campanha eleitoral.

Neste momento, Cleiton Martins está na delegacia da Polícia Civil de São Domingos, onde presta depoimento. Há uma forte aglomeração no local

O acusado de ter atirado no prefeito foi preso em flagrante, por tentativa de homicídio. 

Delegado de Campos Belos (GO) em combate a fake news

 

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

DNIT inicia processo para implantação de trecho da BR-010 que liga Goiás ao Tocantins. No trecho, Campos Belos (GO) ficará isolado






Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) deu início ao processo de licitação para contratar a elaboração de projeto básico e executivo de engenharia visando a implantação e pavimentação, com adequação de capacidade, do trecho da BR-010 que liga o estado de Goiás a Tocantins. 

As propostas começaram a ser recebidas no dia 04/03 no site www.comprasnet.gov.br e serão abertas ainda esse mês, no dia 26, às 15 hs, no mesmo site. 

O edital RDC Eletrônico 60/2020 pode ser obtido na Coordenação de Cadastro e Licitações do DNIT ou por meio dos sites www.dnit.gov.brwww.comprasgovernamentais.gov.br.

Este trecho da BR-010, também conhecida como Belém-Brasília, possui grande relevância por ligar a região Centro-Oeste à região Norte. 

A BR-010, cujo ponto inicial está em Brasília, possui 1.959 quilômetros de extensão e passas pelos estados de Goiás, Tocantins e Maranhão. 

Em Goiás, é o principal acesso rodoviário à região ecoturística da Chapada dos Veadeiros.

O edital 60/2020 se refere aos segmentos km 0 ao km 93,8, em Tocantins, e aos km 272,7 ao km 305 em Goiás.

Campos Belos, no extremo no nordeste do estado, ficará de fora do novo traçado da BR. 

A rodovia segue pela GO-118 até a ponte do rio Paranã, entre Teresina de Goiás e Monte Alegre. 

Logo após a ponte, à esquerda, o traçado será uma nova rodovia, que cortará terras próximas às comunidades Kalungas, passando pela divisa de GO/TO, até a cidade de Paranã. 

A movimentação que a nova capital Palmas (TO) deu a Campos Belos (GO), pela GO-118, será extinta e a cidade tende a voltar, se nada for feito, ao seu ostracismo de antes da década dos anos 90. 

Será uma tristeza. 

terça-feira, 20 de outubro de 2020

Flores de Goiás: população de baixa renda em Goiás tem acesso a geladeiras novas



Segundo dados do Governo Estadual, 750 famílias em situação de vulnerabilidade social puderam realizar a troca de seus refrigeradores desde junho. 

Isso devido à parceria firmada entre a Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) e a empresa de energia elétrica Enel Distribuição Goiás. 

O projeto, chamado Enel Compartilha Eficiência, é voltado para o uso de energia elétrica com maior eficiência e faz parte do Fundo de Eficiência Energética do Ministério de Minas e Energia.

Para trocar a geladeira antiga por uma nova, a família deve estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). 

Desse modo, a Seds realiza um sorteio para que os inscritos possam concorrer ao eletrodoméstico e o ganhador deve apenas entregar o utensílio antigo ao trocar pelo novo, sem custos.

Com a pandemia da Covid-19, todo o processo, desde a inscrição até o sorteio, está sendo realizado online. Luíza Rodrigues Vítor, Superintendente de Desenvolvimento, Assistência Social e Inclusão, da Seds, aponta que ” é muito mais difícil chegar até as pessoas mais carentes”. 

Além das geladeiras, trocas de lâmpadas são oferecidas pela parceria. Inicialmente, o projeto ofereceu também desconto nas contas de energia dessas famílias de baixa renda, desde que o consumo seja de até 200kW/h por mês.

As trocas de geladeiras ocorreram em nove municípios de Goiás: Goiânia, Rio Verde, Trindade, Nerópolis, Aragarças, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Indiara e Flores de Goiás. A capital goiana foi a que recebeu mais trocas, com 250 no total. 

O Governo de Goiás afirma que a meta da iniciativa é de alcançar todo o território goiano, incluindo comunidades tradicionais e aldeias indígenas.

Ronaldo Caiado afirma que Goiás vai receber vacina contra Covid-19 a partir de janeiro



O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), anunciou nesta terça-feira (20) que a vacina contra o coronavírus vai ser distribuída para o estado goiano a partir de janeiro do ano que vem e de forma gratuita por meio de um programa nacional de imunização a ser elaborado pelo Ministério da Saúde (MS).

Cada frasco da vacina permite imunizar até 10 pessoas e a política de imunização será nacional, ou seja, nenhum estado terá prioridade no recebimento de doses, segundo o governador.

Os primeiros a serem imunizados, porém, serão os profissionais da saúde, que atuam na linha de frente no combate à doença, e as pessoas que fazem parte dos grupos de risco, conforme explicou Caiado.

"É a melhor notícia do ano", ressaltou o governador.

186 milhões de doses

Durante reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o governador informou em um post nas redes sociais que serão adquiridas ao total 186 milhões de doses ainda no primeiro semestre do ano que vem.

Ao todo, são vacinas de três institutos diferentes: a Butantan-Sinovac, a AstraZeneca e a Covax. 

A compra do antígeno produzido pelo instituto brasileiro Butantan em parceria com o laboratorio chinês Sinovac será de 46 milhões de doses, como anunciou Caiado.

"Minha gente, apresento a vocês a Vacina Butantan-Sinovac contra a Covid-19. Agora, em reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ficou confirmado que até janeiro de 2021 serão adquiridas 46 milhões de doses. 

Junto às outras duas vacinas, AstraZeneca e a Covax, teremos 186 milhões de doses ainda no primeiro semestre do ano que vem", disse o governador no post.

O governador destaca ainda a distribuição gratuita da vacina. "E o melhor: 100% custeadas pelo Ministério da Saúde. 

Os primeiros a serem imunizados serão os profissionais da saúde, que atuam na linha de frente no combate à doença, e as pessoas que fazem parte dos grupos de risco", ressalta Caiado.

Fonte: G1

Cidadãos de Cavalcante (GO) entram na Justiça para pedir proibição do uso de retardantes em incêndios




Moradores de Cavalcante, no nordeste de Goiás, entraram com uma ação popular na Justiça Federal contra o ministro do Meio Ambiente (MMA), Ricardo Salles, e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) solicitando que seja proibido o uso de retardantes de fogo em incêndios florestais.

A medida foi tomada após o ministro afirmar em um vídeo que usou o produto para conter as chamas na Chapada dos Veadeiros, o que causou revolta na população local devido aos possíveis efeitos adversos que o produto pode causar.

A reportagem procurou o Ministério do Meio Ambiente e o Ibama por e-mail, às 18h17, para se manifestar sobre a ação e aguarda resposta.

A ação popular também pede a suspensão de uma compra de 20 mil litros do retardante de fogo Fire Limit por parte do Ministério do Meio Ambiente. No entanto, a Advocacia-Geral da União (AGU) já se manifestou no processo alegando que a contratação se encontra temporariamente suspensa para melhor avaliação do Ibama.

O incêndio consumiu 75 mil hectares da região da Chapada dos Veadeiros. Segundo o governo goiano, no total, 24.198 hectares de mata foram atingidos no interior do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, o que corresponde a 10% de sua área total, e 51.257 hectares na Área de Preservação Pouso Alto, o que representa 6% da unidade, que é de gestão do governo estadual.

Salles esteve na Chapada dos Veadeiros na sexta (9) e no sábado (10). O governo publicou um vídeo em rede social em que o ministro diz que o fogo ganhou força e que o governo usou um produto retardante junto com a água despejada pelos aviões. Segundo o ministro, o produto potencializa em cinco vezes a capacidade de resposta no combate ao fogo.

Após a divulgação do vídeo, moradores da região protestaram com cartazes, pedindo a saída do ministro. Eles criticam o uso do retardante, que não é autorizado pela Secretaria do Meio Ambiente de Goiás, e dizem que o ministro apareceu apenas quando o fogo já estava controlado.

À época, a assessoria do Ministério do Meio Ambiente disse que “a opinião de meia dúzia de maconheiros não tem relevância”.

Ação na Justiça


Um dos autores da ação, o advogado José da Silva Moura Neto explica que entrou com o processo porque o Ministério do Meio Ambiente usou o retardante na Chapada dos Veadeiros "sem qualquer tipo de regulação ou previsão científica das consequências no combate a incêndios com esse produto".

"Dentro disso, a gente pediu uma liminar para suspender a utilização em todo território nacional do retardante químico Fire Limit e suspender a compra de 20 mil litros desse produto que, diga-se de passagem, era com dispensa de licitação em virtude da urgência. Mas já estamos em período de chuvas e o MMA ficou três meses sem ações para combater incêndios", argumenta Neto.

O fabricante do produto informa que o Fire Limit não é tóxico e é biodegradável.

Informações sobre o uso de retardante

A ação pede ainda que o ministro Ricardo Salles e o Ibama informem a quantidade de retardante de chamas utilizado para combater os incêndios na Chapada dos Veadeiros. Além disso, solicita cópia do ato administrativo que determinou o lançamento do composto químico e cópia do contrato de aquisição.

Para fundamentar o pedido, os moradores Pedro Ivo Celestino Moura, que é guia turístico da Chapada dos Veadeiros, e o advogado José da Silva Moura Neto alegaram que o composto químico Fire Limit é lesivo ao meio ambiente. Ao todo, cinco marcas de retardantes são citados na ação e o advogado Moura Neto afirma que nenhum deles é regulamentado no país.

"[O MMA] utilizou produto que não tem qualquer tipo de regulação e prejudica inexoravelmente os animais humanos e não humanos da região, posto que, devido a sua toxicidade, o seu uso exige que o consumo de água e pesca sejam paralisados por 40 dias", argumenta o advogado.

Notificação do governo de Goiás

Em ofício enviado na terça-feira (13), a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semad) notificou o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (IMCBio) sobre o uso do retardante de fogo em área goiana, o que é proibido no estado. A pasta pede os seguintes esclarecimentos: qual foi a localização do despejo, a composição do produto e os impactos sobre a água, o solo, a fauna e a flora da região.

Desde a tarde de quarta-feira (14), a reportagem tenta um posicionamento do ICMBio sobre a notificação da Semad. No entanto, não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Fonte: G1

De Cavalcante (GO): Advogada quilombola é autora de peça sobre violação de direitos a ser analisada no STF





A mestra em direito agrário, advogada popular e assessora jurídica na organização Terra de Direitos e na Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq), Vercilene Francisco Dias, 30 anos, é uma das profissionais que participou da elaboração da peça jurídica contra violações aos direitos dos quilombolas por parte do governo federal, que hoje tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

Entre os casos denunciados estão a falta de assistência médica, de acesso a materiais preventivos contra a Covid-19 e de soberania alimentar aos quilombolas e seus descendentes.

Sem opções para o escoamento da produção em suas comunidades e com problemas no acesso às políticas públicas voltadas à agricultura familiar, muitos quilombolas têm sofrido com a escassez de alimentos durante a pandemia da Covid-19. 

De acordo com eles, os principais motivos são a falta de renda motivada por vetos de verbas às comunidades e as baixas perspectivas de comercialização de suas produções no campo.

O documento sob apreciação no Supremo, construído de forma coletiva por advogados, organizações de direitos humanos e entidades da sociedade civil, denuncia as condições que afetam as comunidades quilombolas. 

A previsão para o ano que vem é que a situação se agrave.

Vercilene descreveu um pouco da sua trajetória e explicou que o objetivo da ação que tramita no STF como Arguição de Descumprimento de Preceito Fundametal (ADPF) com pedido de medida liminar é contestar o Estado pela sua omissão em assegurar a vida e a saúde da população quilombola.

“Nossa expectativa é impedir que os direitos fundamentais quilombolas continuem sendo violados. Os quilombolas já tinham pouco acesso às políticas públicas e, após a pandemia, o cenário se agravou. 

Os projetos de lei com temas da agricultura familiar foram vetados pelo presidente Jair Bolsonaro. Grande parte produz para subsistência e comercializa os ingredientes excedentes”, explicou a advogada.

“Queremos os direitos básicos e fundamentais a essas comunidades. O direito de não serem despejados de seus territórios por reintegração de posse, acesso à alimentação e à saúde. Além de um plano de combate aos efeitos da pandemia nos territórios quilombolas. Estamos nessa esperança”, destacou.
Kalunga

Cavalcante (GO)

A advogada nasceu no povoado Vão do Moleque, uma comunidade Kalunga localizada na região da Chapada dos Veadeiros, em Cavalcante (GO). 

Ela é a segunda de seis filhos de um casal. Mas, como os pais de Vercilene se separaram, ela possui mais dois irmãos por parte de mãe e outros cinco por parte de pai. No total, são 12 irmãos.

Ainda criança, aos 5 anos de idade, ela deixou a casa dos pais pela primeira vez e foi morar com os padrinhos, em um vilarejo no Tocantins, para frequentar a escola. 

“Foi quando eu e a minha irmã mais velha saímos de casa. Era muito difícil porque o meu pai não tinha como ajudar financeiramente nas despesas, mas os meus padrinhos me adotaram como filha e me deixaram ficar lá”, contou a advogada.

Em meio às lembranças, encontrando o que achava pertinente relatar sobre a sua história, Vercilene disse que uma das primeiras memórias que tem da infância são discussões da família com um coronel da região, que se dizia dono das terras e ameaçava expulsá-l0s.

Já com 11 anos, ela foi morar na casa de um fazendeiro no município de Arrais (TO) e fazia trabalhos domésticos para estudar no outro período. Aos 14, ela pediu para voltar para casa e continuar os estudos. 

Foi quando viu a oportunidade de cursar o ensino médio em Aparecida de Goiânia (GO), onde uma tia morava.

Certa vez, ganhei de presente uma dupla de soldadinhos. Meus padrinhos explicaram que eles eram bons e puniam pessoas más. 

Aquilo fez despertar o meu interesse por justiça e coloquei na cabeça que também queria ser soldado para prender o coronel que ameaçava a minha família. 

Já na casa desse fazendeiro em Arraias, tive contato com a filha dele que cursava direito e decidi que faria o mesmo curso para ajudar as pessoas.

“A gente nunca anda sozinho”

Após concluir os estudos, Vercilene prestou vestibular, aos 21 anos, para direito na Universidade Federal de Goiás (UFG). 

“Na época, a universidade implementava uma política de cotas para negros e quilombolas, o programa UFG Inclui. Me inscrevi e passei na primeira prova. Fiquei muito emocionada e nem acreditava no que havia conquistado. Tive muito orgulho da minha caminhada”, contou.

O início da vida acadêmica, contudo, não foi fácil. “Entrei na faculdade de direito e não sabia nem o que era Constituição. Além de mim, havia apenas mais um aluno negro na sala. Estava sempre muito só e sentia o preconceito na pele”, recordou.

Nesse momento difícil, ela recebeu apoio de Raimunda Montelo, amiga dos parentes do quilombo, que passou a considerar como uma terceira mãe. “Raimunda é uma mulher negra, forte. 

Psicóloga por formação e militante por profissão, que me ensinou muito. Me ofereceu um salário para ajudá-la nos afazeres domésticos, introduziu noções da identidade negra e me deu um lar”, destacou Vercilene.

No 10º semestre de curso, em 2016, prestou o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e foi aprovada. Em seguida, entrou no mestrado de direito agrário também na UFG. 

Mas faltava colocar a teoria em prática e concretizar o objetivo inicial, que era ajudar os quilombolas. Em 2018, começou a trabalhar como assessora jurídica na Terra de Direitos, organização com sede em Curitiba (PR), e se mudou para o Distrito Federal.

Agora, o maior desejo da advogada é ajudar a família e o povo do território quilombola. 

“A minha vida toda foi baseada nessa luta, tanto nas questões fundiárias como nas questões culturais”, disse. “Contei com muita ajuda na minha trajetória. Minha vó dizia que eu era uma peça dura. Acredito que a gente nunca anda sozinho e sempre acreditei que chegaria onde almejava”, concluiu.

Fonte e texto: Metrópoles 

Associação das Mulheres Empreendedoras de Campos Belos promove, hoje, palestra contra o câncer de mama



A Associação das Mulheres Empreendedoras de Campos Belos (AMECB) fará hoje (20) uma palestra sobre a prevenção do câncer de mama, dentro das ações referentes ao Outubro Rosa.

A palestra será promovida através da plataforma GOOGLE MEET, a partir das 19h30.

Acesse agora o link da palestra 

A AMECB que tem como presidente Wesla Mareco e nesta oportunidade vai receber a biomédica Ariane Cavalcante.

O evento, que é gratuito, contará com um depoimento de Maria do Socorro, que lutou bravamente e venceu o câncer.

Essa é mais uma oportunidade de você conhecer mais um pouco mais sobre este delicado tema.

Semana passada, convidamos você para fazer mamografias e exames gratuitos, ações feitas pelo Hospital de Posse e Governo de Goiás em prevenção contra essa doença, seríssima, e que tanto aflige nossas mulheres.

Informação e oportunidade não estão faltando. 

Basta agora ação, por parte de você, leitora. Vamos aproveitar esse momento para adquirir conhecimento, conscientizar-se e prevenir.

Nosso convite ainda continua valendo, mesmo após a caravana do hospital de Posse (GO) ter passado nas cidades. 

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Campanhas de candidatos a prefeitos de Campos Belos (GO) abusam; fazem aglomerações e cometem até crimes graves










Este Blog não faz campanha para qualquer candidato, em qualquer cidade, como é notório aos leitores.

Por isso, evitamos publicar agendas de candidatos, carreatas, comícios ou qualquer outro tipo de evento ligado à campanha, aos candidatos e aos militantes, justamente para evitar interpretações diversas.

A intenção é não interferir, como meio de comunicação influente, no processo eleitoral. Não seria correto.

Mas não deixamos de acompanhar as movimentações de todos os candidatos e nossas fontes continuam a nos abastecer de fatos, denúncias, imagens e acontecimentos dos mais diversos.

O que mais tem saltado aos olhos são as insistentes aglomerações, promovidas pelas diversas coligações e partidos de Campos Belos, principalmente, São Domingos, Arraias, Combinado, Divinópolis de Goiás e de outras cidades, reunindo às vezes centenas de pessoas, sem máscaras e contrário aos cuidados necessários contra a pandemia da Covid.

Entendemos que as campanhas políticas também são festas populares, onde muitos recebem para serem militantes e até usam os atos políticos para fazerem farra, se divertirem, afinal de contas, ninguém é de ferro. É até salutar, na minha visão, por ser uma festa democrática, musicada e até com muita pitada de humor.

Mas para essa festa popular, aos atos públicos de campanha, há limites. Legais, morais e até de compromisso público. E quando os excessos ocorrem, não há outra maneira de cobrar, senão responsabilizando o candidato da chapa majoritária; o candidato a prefeito.

De Campos Belos (GO), neste fim de semana, por exemplo, recebemos dezenas de imagens de aglomerações feitas no balneário bezerra, de um determinado candidato e, por outro lado, quase que ao mesmo tempo, recebemos outras imagens de um grande evento promovido pelo adversário no Distrito de Pouso Alto.

Em ambas, muitas pessoas próximas uma das outras, sem máscaras; muito foguetório, crianças e adolescentes usando bebida alcoólica e abusos diversos. Em uma delas, segundo apurado, houve até o cometimento de um crime sexual, com direito a prisão, cometido por militante.

Chegou a hora de os candidatos a prefeito, a bem da festa democrática, botar um freio; dar um basta aos abusos, sob pena de serem responsabilizados por atos de suas militâncias.

Esse grave incidente de ontem (domingo), crime sexual, cometido contra uma adolescentes da cidade, salvo melhor juízo , é consequência justamente por não haver pulso firme de quem coordena a campanha.

Vou deixar de detalhar o crime, muito grave por sinal, justamente por ele está correndo em segredo de justiça. 

Mas há acusado preso e a situação é muito delicada. Tudo por conta dos abusos e da falta de limites, que deveriam ser impostos pelos candidatos a prefeito.

Assim sendo, fica avisado, desde já, mesmo que determinada notícia seja contrária aos interesses de determinada campanha ou coligação, mas se for em benefício aos interesses da sociedade, ao interesse público, este Blog não vai se furtar em publicar, e não vai adiantar a chiadeira de prejuízos eleitorais, como sempre ocorre neste período.

O mesmo se aplica às outras cidades de Goiás e Tocantins, áreas de influência deste canal de comunicação. Infelizmente não podemos fechar os olhos e vamos dar publicidade, reitero, mesmo com prejuízos eleitorais às campanhas.

Hospital Regional de Luziânia celebra mais 19 pacientes curados da Covid-19; inclusive de Campos Belos (GO)



Na última semana, o Hospital Regional de Luziânia (HRL) comemorou a alta de 19 pacientes totalmente recuperados da Covid-19. 

Com idades entre 21 e 95 anos, eles deram entrada no hospital com sintomas como febre, falta de ar e tosse forte. Nenhum deles precisou ir para a UTI.

A maioria dos recuperados reside em Luziânia, mas também há moradores de diferentes cidades da região, como Campos Belos, Planaltina de Goiás, Valparaíso, Jaraguá e Águas Lindas. 

Todos voltaram para perto de suas famílias e ficarão 14 dias em casa para repouso, observação e isolamento.

Um dos pacientes foi Francisco de Assis da Silva, de 60 anos, morador de Águas Lindas. Após sete dias de tratamento no hospital e uma excelente recuperação, Silva estava muito emocionado. 

“Saio daqui hoje muito grato e levando um grande exemplo de vida. Eu vi em vocês não só o lado profissional, mas o lado humano, que me tocou muito”, contou.

“O hospital é dez, todo tratamento foi feito, mas vocês (profissionais da saúde) são mil. Muito obrigado e que Deus abençoe cada um de vocês”, finalizou, sob aplausos dos familiares, amigos e colaboradores do HRL.

Em pouco mais de quatro meses de funcionamento, um dos maiores hospitais de campanha do entorno de Brasília soma cerca de 350 altas de pacientes com Covid-19, sendo 159 moradores de Luziânia. 

O resultado dos atendimentos e recuperação das pessoas, deve-se, principalmente, ao empenho dos profissionais da saúde, que se revezam diariamente para acolher e cuidar a população. As 19 altas desta semana entram na estatística dos mais de 227 mil pacientes curados no Estado de Goiás.

Sobre HRL

O Hospital Regional de Luziânia (HRL) começou a receber os primeiros pacientes com sintomas de Covid-19 no dia 20 de maio de 2020. Vieram transferidos pela central estadual de regulação de vagas do Estado de Goiás. 

Os leitos são ocupados gradualmente, a partir da avaliação diária e conjunta da direção com a Secretaria Estadual de Saúde.

Estadualizado, após passar oito anos em obras, o HRL foi o primeiro hospital do entorno do Distrito Federal dedicado a tratar pacientes com sintomas respiratórios agudos causados pelo novo coronavírus. Cerca de 1,2 milhão de pessoas, que moram na região, são beneficiadas pelo Hospital Regional de Luziânia.

Detentos fazem cartas abertas e iniciam greve de fome no Tocantins




Detentos do Tocantins iniciaram nesta segunda-feira, 19, uma greve de fome para chamar a atenção das autoridades e diretores de presídios. 

Os presos também elaboraram cartas abertas com diversos pedidos. 

No trecho de uma delas, os presos pedem que as visitas, suspensas por conta da Covid-19,  voltem a acontecer.

“Estamos dando início a greve de fome pois não aguentamos mais o distanciamento social dos nossos familiares e outras coisas que vem ocorrendo”.

Em outra parte eles pedem uma alimentação digna e reforçam “a volta das visitas, projeto de remição de pena. Nós já tentamos dialogar várias vezes com os senhores, mas não deram a mínima”.

A greve foi iniciada hoje em Cariri do Tocantins e Gurupi, região sul do Tocantins.


A Secretaria Estadual de Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Superintendência de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional do Tocantins, informa que tomou conhecimento das cartas citadas.

Ressalta que as ações de Saúde e assistência médica em todas as unidades penais do Tocantins foram reforçadas, especialmente em razão da Pandemia da Covid-19, uma vez que uma série de ações, pautadas nas orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), estão sendo tomadas, por meio do Plano de Ação contra o Coronavírus criado pela referida Superintendência.

Entre as medidas estão a distribuição periódica de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), suspensão de visitas às unidades, destinação de celas de isolamento para os novos presos, testagem, protocolos de limpeza e higienização do ambiente, uso obrigatório de máscara dentro das unidades e triagem.

Diz também que, em virtude da suspensão das visitas, foi criado o projeto Televisita, que vem ocorrendo em todas as unidades e consiste em promover o contato através de ligações telefônicas ou vídeo chamadas.

Quanto ao banho de sol, a Seciju destaca que cumpre o artigo 51, inciso IV, da Lei de Execução Penal (Nº 7.210) garantindo aos reeducandos a saída das celas pelo período de duas horas diariamente, para banho de sol.

A pasta reitera que em todas as unidades penais há a prestação de assistência material à pessoa privada de liberdade que consiste no fornecimento de alimentação balanceada, cinco vezes ao dia, e vestuário.

"Além da assistência à saúde de caráter preventivo e curativo, compreendendo o atendimento médico, farmacêutico e odontológico, prestados através da administração indireta, sendo o acúmulo de alimentos nas celas fator que dificulta a limpeza e assepsia no ambiente carcerário. Todas as ações e cuidados foram feitos para que não seja necessária a entrega de alimentos ou medicamentos por familiares".

Por fim, a Seciju ressalta que graças a todas as medidas e ações tomadas no período pandêmico, até o momento nenhuma pessoa privada de liberdade necessitou de internação em leitos hospitalares ou veio a óbito em razão da Covid-19.