segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Urgente: Covid mata padre Marcelo Victor e enfermeira Adenilce Cesáreo, em Cavalcante (GO)




A cidade de Cavalcante (GO), parte da Chapada dos Veadeiros, registrou as duas primeiras mortes por coronavírus desde o início da pandemia no país. 

As vítimas são o padre Marcelo Victor Mendonça Filho, 48 anos e a enfermeira Adenilce Cesáreo Torres, 42, que também é descendente de uma comunidade quilombola Kalunga.

O pároco da Igreja Senhora Sant’anna estava internado no Hospital Alvorada de Brasília desde 27 de agosto, quando os sintomas da Covid-19 começaram a se agravar. Já a enfermeira, fazia o tratamento contra a doença no Hospital de Campanha de Águas Lindas (GO). 

Ele trabalhava em Teresina de Goiás, localizada a 24 km de Cavalcante.O site oficial de Cavalcante divulgou nota de pesar sobre os óbitos. 

“Pedimos à população que não pare com os cuidados recomendados. Fique em casa sempre que possível. Se for sair, não esqueça de usar máscara, mantenha distância de 2 metros das pessoas e lave sempre as mãos com água e sabão. 

A Covid-19 não é brincadeira”, diz um alerta no portal oficial da prefeitura.

O boletim epidemiológico da prefeitura, com dados atualizados nesse domingo (20/9), às 19h30, aponta que 42 pessoas foram confirmadas com a doença no município. Além disso, 13 pessoas têm suspeita de estarem contaminadas.

Fonte: Metrópoles 

3 comentários:

  1. Boa tarde família e amigos!

    Relatório do Padre Marcelo Victor Mendonça Silva
    21/09 17h

    O quadro do padre Marcelo é gravíssimo do ponto de vista neurológico.
    Mais de 72h sem sedativos e não responde aos estímulos.
    Foi feito a tumografia que apresentou um edema, um inchaço no cérebro.
    O exame do eletro, mostra que as funções estão desorganizadas.
    Segue em observação com risco de morte cerebral.
    A primeira avaliação foi positiva, mas ainda vai ser submetido a mais duas avaliações pra poder confirmar.
    Todas as outras funções estão normais, rins, co ração, pulmão, figado, pressão e glicose.
    A equipe médica continua investigado mas não podem afirmar a morte cerebral.

    Vamos seguir em oração

    Agradecemos desde já suas orações.


    Att. Família Mendonça!

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde família e amigos!

    Relatório do Padre Marcelo Victor Mendonça Silva
    21/09 17h

    O quadro do padre Marcelo é gravíssimo do ponto de vista neurológico.
    Mais de 72h sem sedativos e não responde aos estímulos.
    Foi feito a tumografia que apresentou um edema, um inchaço no cérebro.
    O exame do eletro, mostra que as funções estão desorganizadas.
    Segue em observação com risco de morte cerebral.
    A primeira avaliação foi positiva, mas ainda vai ser submetido a mais duas avaliações pra poder confirmar.
    Todas as outras funções estão normais, rins, co ração, pulmão, figado, pressão e glicose.
    A equipe médica continua investigado mas não podem afirmar a morte cerebral.

    Vamos seguir em oração

    Agradecemos desde já suas orações.


    Att. Família Mendonça!

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde família e amigos!

    Relatório do Padre Marcelo Victor Mendonça Silva
    21/09 17h

    O quadro do padre Marcelo é gravíssimo do ponto de vista neurológico.
    Mais de 72h sem sedativos e não responde aos estímulos.
    Foi feito a tumografia que apresentou um edema, um inchaço no cérebro.
    O exame do eletro, mostra que as funções estão desorganizadas.
    Segue em observação com risco de morte cerebral.
    A primeira avaliação foi positiva, mas ainda vai ser submetido a mais duas avaliações pra poder confirmar.
    Todas as outras funções estão normais, rins, co ração, pulmão, figado, pressão e glicose.
    A equipe médica continua investigado mas não podem afirmar a morte cerebral.

    Vamos seguir em oração

    Agradecemos desde já suas orações.


    Att. Família Mendonça!

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.