terça-feira, 22 de setembro de 2020

Prefeito de São Domingos (GO) é filmado dançado sobre um carro, durante pré-campanha, em plena pandemia



 


A pré-campanha à prefeitura de São Domingos (GO), região de Terra Ronca, está cada vez pesada e nesta terça-feira (22) um vídeo do atual prefeito e pré-candidato à reeleição, Clayton Martins, foi disseminado em redes sociais, num flagrante de uma situação muito delicada: em festa pública, causando aglomeração em plena pandemia do novo coranavírus. 

O evento teria ocorrido na Praia do Povo, local de tradicionais festejos da cidade.

O vídeo foi remetido ao Blog por opositores ao prefeito, em crítica à ação de quem deveria estar preocupado com a expansão da Covid-19 no município e em seguir os protocolos para prevenir contaminação, determinados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde.

Inclusive ontem (21), a Secretaria de Saúde de São Domingos (GO) divulgou o boletim epidemiológico do município em que constam 17 casos ativos, 23 pacientes em isolamento, 8 casos em monitoramento e 27 casos de Covid confirmados.

Não se deve esquecer que também ontem, na cidade vizinha de Cavalcante (GO), a pandemia do novo coronavírus matou o padre da cidade e uma conhecida enfermeira da comunidade. 

Em Campos Belos, outra cidade vizinha, mais 300 pessoas foram contaminadas, sendo que 8 delas morreram em virtude da Covid. 

Para longe de dar munição à oposição, a melhor estratégia nesta campanha, para todos os candidatos, é cumprir rigorosamente as medidas de combate à pandemia, sob pena de ser flagrado em situação delicada como esta. 

O Blog entrou em contato com o prefeito nesta terça-feira para falar sobre o assunto. 

Mas até o final da edição deste texto, Clayton Martins não tinha retornado à mensagem enviada pelo aplicativo whatsapp. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.