quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Escândalo em Alvorada (GO): MP realiza buscas no gabinete do deputado Iso Moreira; Filhos são suspeitos de fraudar licitação




O Ministério Público de Goiás (MP-GO) cumpre nove mandados de busca e apreensão em quatro municípios goianos e em Brasília. 

A operação tem o objetivo de investigar possível esquema de fraudes em licitações, além de falsidade ideológica. O gabinete do deputado estadual Iso Moreira (DEM), na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), é um dos alvos.

Os mandados estão sendo cumpridos em Goiânia, Alvorada do Norte, Bela Vista, Brasília e Simolândia. Além do gabinete do parlamentar, residências da família e de assessores são alvos dos mandados expedidos pela Justiça.

Segundo informações preliminares, o esquema envolveria alterações em contrato de um posto de combustíveis da família de Iso Moreira para fornecimento à prefeitura de Alvorada do Norte, entre 2003 e 2016.

Entre os investigados da Operação Zaratustra, deflagrada na manhã desta quinta-feira (3) pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), estão três filhos do deputado estadual Iso Moreira (DEM). 

O ex-prefeito de Alvorada do Norte e atual secretário de administração do município, David Moreira de Carvalho, também ex-prefeito daquela cidade; e o empresário Aloísio Moreira dos Santos Júnior. 

Nesta manhã, o MP cumpriu mandados de busca e apreensão no gabinete do pai deles na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego).

Eles são investigados em função de um suposto esquema ilegal de compra e venda de combustíveis, praticado entre 2003 e 2016, junto ao Posto Serra Bonita, em Alvorada do Norte, de propriedade da família do parlamentar. O montante desviado teria chegado a R$ 10 milhões.

Segundo apontam as investigações, os desvios foram operacionalizados a partir de alterações fictícias do contrato social do Posto Serra Bonita ao longo dos anos, registrado sucessivamente em nome de pessoas suspeitas de serem ‘laranjas’. São elas: David Moreira, Carlos Alberto, filhos do parlamentar e o assessor parlamentar Humberto Carlos Teixeira.

O objetivo, de acordo com a investigação, era mascarar a propriedade real da empresa e permitir a comercialização de combustíveis com a prefeitura enquanto os filhos eram prefeitos do município, o que é vedado pela lei de licitações.

Um assessor parlamentar, Carlos Alberto Alves Dourado, também é investigado.

Os mandados

A partir destas apurações, o Ministério Público cumpriu nesta quinta-feira (3) nove mandados de busca e apreensão, no gabinete do parlamentar, na Assembleia Legislativa de Goiás e na residência dele em Goiânia e em Simolândia. 

As casas dos dois ex-prefeitos de Alvorada também foram alvos das buscas, assim como dos assessores parlamentares suspeitos de serem laranjas do esquema.

A operação é coordenada pelo promotor de Justiça Douglas Chegury e tem apoio do Centro de Inteligência (CI) do MP-GO e do Ministério Público de Contas de Goiás com atuação junto ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

Os mandados foram expedidos pelo juiz da comarca de Alvorada do Norte, Pedro Henrique Guarda Dias. Por se tratar de caso de improbidade, não há mandados de prisão.

As investigações continuam e podem identificar outros envolvidos nas práticas mencionadas e apurar a extensão total do prejuízo financeiro provocado, inclusive nos últimos anos.

Nota do deputado Iso Moreira

Em resposta às notícias veiculadas hoje (3) sobre a operação em curso pelo Ministério Público de Goiás, envolvendo o nome do deputado estadual Iso Moreira, este informa que está em contato com sua assessoria jurídica, com o fim de tomar conhecimento das alegações que lhe são imputadas, e que irá se pronunciar oportunamente, tão logo isso ocorra. 

De acordo com o parlamentar, os fatos relatados serão esclarecidos e demonstrarão que não há conduta incriminatória que possa macular a presente legislatura por ele exercida, muito menos por fatos pretéritos não diretamente vinculados à sua pessoa.

Com texto do Ministério Público GO e Mais Goiás 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.