sexta-feira, 18 de setembro de 2020

A meses das eleições, Câmara Municipal de Divinópolis de Goiás abre processo contra prefeito e pode cassá-lo

A Câmara de Vereadores de Divinópolis de Goiás (GO), nordeste do estado,  aprovou, nessa quarta-feira (16), por sete votos a favor e duas abstenções, a abertura de uma comissão processante contra o prefeito Charley Tolentino. 

O prefeito é acusado dos crimes de apropriação indébita previdenciária e dano ao erário público, segundo o documento aprovado e votado naquela Casa de Leis. 

Segundo a denúncia de um morador, o prefeito deixou de recolher valores de obrigação da prefeitura, destinados à previdência social dos servidores municipais e por isso teria incorrido no crime de responsabilidade, apto a ensejar um processo de cassação.

"O esquema engenhoso praticado pelo prefeito para desviar R$ 133 mi, sem que o INSS não notasse o referido valor, foi em virtude de informações apresentadas pelo prefeito na própria GFIP (uma guia de recolhimento), informando um número menor de servidores efetivo do município", informa a denúncia apresentada aos vereadores.

A repercussão foi imediata. 

Ontem mesmo, o prefeito Charley Tolentino reagiu à investida dos vereadores, foi às redes sociais e, em vídeo, explicou à comunidade que não havia nada de errado com os pagamentos junto ao INSS. 

Disse que deixou de repassar valores, acatando própria orientada do órgão federal, em razão da pandemia do novo coronavírus e acusou a Câmara de também não ter repassado ao INSS R$ 400 mil.  

Em seguida, o presidente Casa, que é oposição ao prefeito, vereador Jair Lima, fez uma "Nota de Desagravo", contra as informações veiculadas no vídeo.

Ele disse que a Câmara não devia ao INSS e indagou ao prefeito porque o Executivo não teria pago o valor de R$ 86 mil reais, referente ao mês de julho de 2020, já que os repasses ao órgão eram automáticos, assim quando da provisão do FPM ( Fundo de Participação dos Municípios).

À noite, a confusão aumentou durante outra sessão na Câmara de Vereadores e nada foi finalizado. 

O certo é que politicamente o prefeito de Divinópolis não tem maioria na Câmara e pode perder a chefia do Executivo municipal ainda neste ano, se o julgamento politico for até o fim, como se desenha.   

No vídeo acima, o prefeito responde ao agravo da Câmara. 





Um comentário:

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.