sábado, 29 de agosto de 2020

Mulher mata amiga grávida, corta sua barriga e arranca criança do ventre





Um triste fim de semana em Santa Catarina, que registrou um dos casos mais bárbaros deste ano.

Uma mulher matou a amiga, que estava grávida, cortou sua barriga e arrancou a criança do ventre da mãe.

O crime brutal ocorreu em Canelinha, na grande Florianópolis. 

Flávia Godinho Mafra, de 24 anos, recebeu várias tijoladas na cabeça e perdeu os sentidos. Após tirar a criança do seu ventre usando um estilete, a amiga de Flávia a deixou sangrando até morrer. Ela foi presa e confessou o crime.

Segundo a polícia a autora do crime estava grávida e perdeu a criança em dezembro. 

Ela e Flávia eram amigas de longa data e engravidaram no mesmo período. A criminosa não contou para os familiares que havia perdido o bebê e seguiu fingindo que ainda era gestante. Então, premeditou o crime para roubar a criança do ventre da amiga.

Ainda segundo a polícia ela teria inventado um chá de bebê para atrair Flávia até o local do crime. 

Um pouco antes de chegar ao falso destino, a criminosa parou o carro em uma fábrica de cerâmicas abandonada e falou para a amiga que iriam aguardar ali, pois os convidados ainda não tinham chegado. 

Distraída, Flávia deu as costas para a mulher e recebeu várias tijoladas na cabeça e perdeu os sentidos.

A "amiga" usou um estilete cortar a barriga da vítima e tirar a criança do ventre de Flávia, que ficou sangrando e desacordada.


A mulher fugindo na sequência com o bebê roubado. 


No momento do brutal crime, a criminosa acabou machucando a criança com o instrumento, mas só procurou o Hospital Infantil de Florianópolis no dia seguinte. 

No hospital, ela alegou que entrou em trabalho de parto na rua e, por isso, o bebê estava machucado. Os médicos desconfiaram da versão e acionaram a polícia, já que naquele dia a informação de que uma grávida havia desaparecido já corria pela cidade. 

Quem encontrou o corpo de Flávia na fábrica de cerâmicas abandonada foi a sua mãe. Não sabe se ela já estava morta quando teve seu ventre cortado. Só a perícia poderá dizer o que de fato ocorreu. 

A amiga foi presa e confessou o crime, mas a polícia está desconfiada que ela não agiu sozinha.

A pergunta que não quer calar é como ela manteve uma falsa gravidez por meses sem que seu marido e familiares soubessem, já que vizinhos comentavam que todos sabiam que ela havia perdido o bebê. 

Com informações do Diário do Litoral

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.