segunda-feira, 31 de agosto de 2020

Fofinhas demais: lobinha Serena e a raposinha do campo (Palmas-TO); vamos conhecê-las? é do nosso Cerrado



As imagens são de Leandro Silveira, biólogo, que dedica sua vida à conservação da onça-pintada no Brasil e aos animais silvestres do Cerrado. 

Eleições: não apoio e nem podeira apoiar qualquer candidato



Há 14 anos mantenho este Blog no ar, com altos e baixos, como é a vida de todos nós.

Por óbvio, sei e conheço o poder que um canal de comunicação como este tem junto às pessoas, principalmente no quesito formação da opinião pública.

Em razão disso, vez por outra, recebo aqui ou acolá "cantadas" de pré-candidatos, a prefeito, vereadores, deputados e até de governadores em busca de um apoio político formal ou subliminar.

Pois fiquem tranquilos, meus leitores e senhores pré-candidatos, que minha índole não permite este tipo de ajuda. 

Estaríamos sendo desonestos com as demais pessoas e com o próprio processo democrático da livre escolha dos dirigente públicos.

Tenho imenso cuidado em até publicar imagens de buracos de ruas e vielas, pedidos que constantemente chegam em nossos canais de comunicação, com o temor de estar sendo usado em situações que desmereçam os atuais prefeitos. 

E o contrário também. "Notícias" de obras ou "investimentos" dos prefeitos, que também sabemos, não passam de propagandas subliminares, transcritas numa linguagem jornalística.

Peço a compreensão de todos para este período muito peculiar da política brasileira. D
enúncias e notícias serão dadas, mas antes de tudo analisadas em seu contexto.  

Afinal,  tenho como fundamento e base teórica o jornalismo cidadão, também conhecido como Jornalismo Colaborativo, Jornalismo Democrático ou ainda Jornalismo Open Source (código fonte aberto), voltado para o empoderamento das pessoas, principalmente aquelas mais carentes (em todos os sentidos), da transparência da coisa pública e para o voluntarismo.

Fiquem todos despreocupados quanto a isso. Conheço muito bem o meu papel e faço questão de exercê-lo. 

Sei que muitos dos atuais gestores imaginam que este Blog é de "oposição". Não senhores, não é. 

Infelizmente, os senhores são os atuais administradores públicos; são vidraças, com ônus e bônus. 

Têm, a máquina pública na mão, mas também têm o ônus de serem responsabilizados. Simples assim. 

No entanto, se não querem compreender este contexto, não podemos fazer absolutamente nada. 

Porque é importante anotar que notícias, aquelas de interesse público (e quem julga é o jornalista) serão publicadas, contra ou favor dos administradores locais (Goiás, Tocantins, Bahia e DF), infelizmente, doa a quem doer. 

Até porque eles, os políticos em mandato, decidiram ser gestores públicos.

No mais, durante a campanha, este Blog irá, na medida do possível, levar informações de todos os candidatos, no formato jornalístico profissional, para que todos os eleitores tenham o máximo possível de informação.

Para, na hora da escolha, decidi por aquelas pessoas mais competentes, às quais irão entregar a máquina pública e a governança em nome de todos.

Nossas palavras chaves na construção das informações serão sempre: prudência, discernimento, tolerância, transparência, bem comum e cidadania.

Concurso da Saneago prevê salários de até de R$ 4,4 mil; há vagas para Campos Belos (GO) e Formosa (GO)



A Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), publicou um novo edital para concurso com 25 vagas disponíveis, para os cargos de técnico em Enfermagem do Trabalho e técnico em Segurança do Trabalho. 

A carga horária é de 40 horas semanais e os salários vão até de R$ 4.443,57.

As inscrições podem ser realizadas, entre os dias 28 de setembro e 28 de outubro de 2020, pelo site do Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás (UFG)

O prazo de validade do concurso será de dois anos, contados da data de publicação da homologação.

Segundo a Saneago as vagas são para os municípios de: 

Anápolis, Campos Belos, Ceres, Cidade de Goiás, Formosa, Goiânia, Inhumas Iporá, Itumbiara, Jataí, Luziânia, Morrinhos, Palmeiras de Goiás, Porangatu, Rio Verde, Santa Helena de Goiás e São Luís dos Montes Belos.

Nosso país não tem jeito; o cara só deseja ter uma chance de meter a mão




O ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Santos narrou aos investigadores que o governador Wilson Witzel dava ordens diretas para fraudar licitações e garantir que o suposto esquema de corrupção seguisse em andamento. 

Essas fraudes teriam como contrapartida o pagamento de propina ao grupo liderado por Witzel.

Santos firmou uma colaboração premiada e suas declarações ajudaram a sustentar a decisão do Superior Tribunal de Justiça de determinar o afastamento de Witzel do cargo por 180 dias.

Inflação: Preço do arroz deve se manter entre R$ 25 e R$ 30, diz sindicato



Conforme divulgado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA-Esalq/USP) no último dia 28, o preço da saca de 50 quilos de arroz bateu o marca de R$ 93,05, com variação de 4,48%. Um recorde. 

O aumento do preço da saca acaba se refletindo diretamente no consumidor. Nesta semana, um pacote de arroz de 5 quilos pode ser encontrado pelo preço de R$ 24 em alguns supermercados de Goiânia. 

Entretanto, na última semana, o mesmo produto chegou a custar R$ 30 em alguns estabelecimentos. A alta do preço tem explicação, mas pode estar longe de acabar.

Para o presidente da Associação Goiana de Supermercados de Goiás (Agos), Gilberto Soares, um dos fatores que mais pesou para a alta do preço do arroz foi a grande quantidade de exportações.

Segundo Soares, é preciso uma política mais rígida de exportações que evite a falta do produto internamente. 

“A oferta do arroz em casca está baixa. Nunca se exportou tanto arroz quanto nesse ano, em especial para o Peru, México e Venezuela. Faltou um regramento, políticas de exportações. 

Teriam que ter regulado isso daí, com maiores taxações, pra não acontecer o que aconteceu”, diz o presidente do Sindicato da Indústria do Arroz do Estado de Goiás (Siago), Jerry Alexandre, destaca que não é só o estado de Goiás que sente o gosto salgado do atual preço do arroz, mas o Brasil inteiro. 

Segundo Jerry, a alta se deve a uma série de fatores, como os climáticos, que, segundo o presidente, reduziram 40% da produção de arroz na Ásia. 

Além disso, de acordo com o presidente do Siago, países asiáticos passaram a importar o grão e até o preço do dólar influenciou, o “que acabou ajudando os exportadores brasileiros”.

“O incremento nas exportações foi enorme. Só em julho deste ano foram mais de 82 milhões de dólares contra pouco mais de 13 milhões de dólares em julho de 2019”, detalha.

Jerry adianta que, levando-se em conta o preço de aquisição da matéria-prima (arroz em casca), o valor do pacote de arroz de 5 quilos deve ficar entre R$25 e R$30, dependendo da marca. 

O presidente da Siago enfatiza que “nenhuma indústria de Goiás ou de outro estado tem qualquer responsabilidade quanto à alta do arroz”, mas devido ao conjunto de fatores demonstrado por ele, o preço do arroz não deve cair tão cedo.

“A próxima safra começará a ser colhida em março de 2021. Até lá, dependeremos de importações para assegurar o abastecimento e não creio que há possibilidade de redução drástica de preços”, conclui.

Complicou de vez: Hospital de Dianópolis (TO) chega ao quinto dia sem médico para atender pacientes de nove cidades



O Hospital Regional de Dianópolis, na região sudeste do Tocantins, continua sem plantonista para atender os pacientes nesta segunda-feira (31). A única médica do hospital foi afastada após testar positivo para coronavírus. 

Só que isso ocorreu no último dia 27 e até agora nenhum profissional foi enviado para cobrir a escala.

Uma servidora que trabalha na unidade e não quis se identificar, informou que os pacientes estão tendo que percorrer pelo menos 300 quilômetros para conseguir atendimento médico.

"Tivemos vários pacientes graves. Nestes cinco dias foram 15 transferências para o hospital de Porto Nacional, que é a 300 quilômetros daqui, e para Palmas que é a 350 quilômetros. 

Alguns foram sem equipe de enfermagem acompanhando", contou a servidora, que pediu para não ser identificada.

Em julho deste ano a unidade também ficou cinco dias sem médicos. A Justiça mandou o Estado contratar mais profissionais. 

A unidade tem 10 médicos contratados, mas cinco estavam de licença e outros quatro atendiam apenas especialidades.

Além de atender Dianópolis, o hospital é referência para mais oito cidades da região sudeste do Tocantins:


Dianópolis - 22.424 moradores

Taguatinga - 16.825 moradores

Ponte Alta do Bom Jesus - 4.591 moradores

Novo Jardim - 2.745 moradores

Porto Alegre do Tocantins - 3.170 moradores

Almas - 6.979 moradores

Taipas do Tocantins - 2.166 moradores

Rio da Conceição - 2.171 moradores

Conceição do Tocantins - 4.087 moradores

Com texto do G1

Acidente de moto em Porto Nacional (TO) mata Domingos Aires, o mudinho do Mixto

"Mudinho" à direita, mão na cintura. 



O motociclista Domingos Aires Neto, de 59 anos, irmão do ex-vereador José Aires, de Campos Belos (GO), conhecido como mudinho do Mixto, morreu neste domingo (30).

Mudinho se envolveu em um acidente com uma caminhonete e depois atingiu, gravemente, um poste, na entrada da ponte de Porto Nacional, na TO-255. 

O acidente aconteceu no fim da tarde.

Testemunhas contaram à Polícia Militar que o motorista do carro fugiu sem prestar socorro.

Quando os militares chegaram ao local encontraram a moto danificada e o motociclista caído próximo a um poste na entrada da ponte. 

Testemunhas contaram que a moto teria colidido no retrovisor de uma Ranger escura. Com a batida, a vítima se desequilibrou e atingiu o poste de concreto.

Os bombeiros foram chamados e constaram a morte do motociclista. Ele estava sem o capacete com ferimentos no rosto, fratura no braço e várias escoriações pelo corpo.

Testemunhas contaram aos Bombeiros que havia passado pelo menos 15 minutos desde o acidente até alguém parar e acionar o resgate. Isso aconteceu porque o motorista fugiu do local sem prestar socorro.

Domingos Aires é natural de Campos Belos, da tradicional família Aires, de Arraias e Campos Belos. Quando jovem, na década de 1980, era um dos mais talentosos jogadores do Mixto Futebol Clube. 

Também era uma pessoa trabalhadora, carismática e muito querido na sociedade de Campos Belos. 

A PM informou que a perícia compareceu ao local. O corpo foi levado para o IML de Porto Nacional e depois liberado para os parentes.

O sepultamento ocorreu nesta segunda-feira (31), no cemitério de Campos Belos (GO), com a presença de muitos amigos e parentes. 

Com informações do G1

sábado, 29 de agosto de 2020

Cada vez mais a Covid tem vitimado pessoas que moram juntas e despedaçado famílias. Somente neste mês, pelo menos cinco casais morreram em Goiânia




Cada vez mais o coronavírus (Sars-CoV-2) tem vitimado pessoas que moram juntas e despedaçado famílias. Nesta sexta-feira (28), a advogada Vânia Lúcia Gonçalves Hummel, de 73 anos, morreu devido a complicações da Covid-19. 

Dois dias antes, o esposo dela, o desembargador aposentado do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (GO), Norton Hummel, de 80 anos, faleceu depois de ter sido infectado com o vírus. 

Somente neste mês, pelo menos cinco casais morreram por conta da doença (veja quadro).

Um deles foi o ginecologista e obstetra Altamiro Araújo Campos, de 71 anos. Ele foi um dos fundadores da Ela Maternidade, em Goiânia, e era professor do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás (UFG). 

Ele morreu três dias antes da esposa, a professora Maria Ribeiro Campos, de 64 anos. No dia 13, o casal Eurides Cândido Cunha, de 75 anos, e Avelina Queiroz Cunha, de 68, morreu com uma diferença de quatro minutos, em Goiânia. Eles moravam em Iporá e deixaram dois filhos, genros, noras e netos. Alguns deles também foram infectados com a Covid-19, mas recuperaram.

O médico epidemiologista e membro do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para o Novo Coronavírus (COE), João Bosco Siqueira, explica que o aumento da transmissão domiciliar da doença e consequentemente dos óbitos de pessoas que moram na mesma casa ou são da mesma família, é uma realidade. 

“Dentro de casa as pessoas ficam mais próximas e ficam mais à vontade para não usarem máscaras. Sendo assim, se alguém estiver infectado, o risco de passar a doença para outra pessoa é maior.”

O epidemiologista explica que nos dois inquéritos epidemiológicos feitos em Goiânia, se constatou que cerca de 50% das pessoas que moravam na mesma casa de uma pessoa que infectada, apresentavam anticorpos para a doença. “Isso mostra que a transmissão dentro de casa é um risco grande”, aponta.

Siqueira relembra ainda que muitas pessoas, principalmente as mais jovens, permanecem assintomáticas quando estão infectadas. “Isso pode gerar uma grande cadeia de transmissão dentro de casa e fora dela também”, pontua. O especialista diz ainda que o aumento da transmissão familiar da doença se dá também pelo fato de que grande parte da população está desacreditada dos efeitos devastadores da pandemia. 

“Se soma um cansaço, já que estamos no sexto mês de quarentena, com a falsa sensação de segurança de que a situação está controlada e as pessoas acabam deixando de se cuidar”, explica.

Caso a pessoa já esteja infectada, Siqueira explica que o ideal é que ela se isole dentro da própria casa. “Pode ser que as pessoas que moram com ela ainda não tenham contraído a doença. Na dúvida, o ideal é ficar isolado”, esclarece. 

O epidemiologista ressalta ainda que é preciso tomar cuidado com pequenas coisas como os talheres, pratos e copos que a pessoa infectada usar. “Eles precisam ser lavados rapidamente e quem for fazer isso tem de tomar cuidado para manter as mãos longe dos olhos, boca e nariz”, diz. 

O uso de máscara dentro de casa também é recomendado. “Sabemos que muitas famílias vivem em espaços pequenos e não têm condições de deixar um cômodo para o uso exclusivo da pessoa infectada. Nestes casos, o uso de máscara é ainda mais necessário e todo o distanciamento que for possível também”, explica.

Fora de casa

Siqueira explica que a única maneira para quem precisa sair de casa reduzir o risco de levar o vírus para os familiares na voltar é tomar todos os cuidados. O uso de máscara o tempo todo e a lavagem das mãos aliada ao álcool em gel são essenciais. 

“O risco de transmitir ou pegar a doença dentro de casa aumenta quando não somos cuidadosos na hora de sair. A transmissão domiciliar só ressalta o quanto precisamos ser cuidadosos fora de casa”, frisa o epidemiologista.

O médico alerta ainda que quem mora ou convive com outras pessoas que fazem parte do grupo de risco da doença, em especial idosos e quem tem comorbidades, precisa ter ainda mais cuidado. 

“Sabemos que nos jovens a doença se apresenta normalmente de forma mais branda. Entretanto, no grupo de risco ela costuma ser grave e evoluir para óbito”, diz. Ele aconselha que nestes casos, as pessoas evitem ao máximo sair de casa. “Tem de deixar para quando realmente for necessário”, enfatiza.

O casal mais amado de Ipameri

Quando o militar aposentado e engenheiro eletrônico Nelson Teixeira Duarte, de 82 anos, ficou noivo da dona de casa Heddy Jacob Duarte, de 85, há 60 anos, ele escreveu uma carta com a seguinte frase: ‘Serei fiel a ti, assim como a morte é fiel a mim’. 

No dia 4 de julho deste ano, Heddy faleceu devido a complicações causadas pelo coronavírus (Sars-CoV-2). No dia seguinte, foi a vez de Nelson. “Meu pai não aguentaria viver sem minha mãe. Apesar da nossa tristeza, foi como tinha que ser”, relata o filho mais novo do casal, Nelson Júnior, de 43 anos.

O filho conta que o pai era apaixonado pelo Exército Brasileiro e conservava as tradições da época que estava em atividade “Ele era rigoroso com a alimentação. Tudo para ele tinha a hora certa. Ele amava frequentar os eventos militares”, diz. A outra paixão do idoso, que não possuía nenhum problema de saúde, era a eletrônica. 

“Depois que ele foi para a reserva do Exército ele cursou Engenharia Eletrônica e fez muitos cursos. Aqui em Ipameri, todo mundo o conhecia como o sargento Nelson. Ele que cuidava da torre de televisão. Caso o sinal caísse, começavam a ligar aqui em casa querendo saber o que aconteceu”, relembra Júnior.

Já Heddy, antes de ser acometida pelo alzheimer, era apaixonada pelo tricô.
“Durante um tempo, ela chegou a dar aulas para algumas amigas. “Ela tinha muito talento e tricotava sem ver”, diz o filho do casal. Heddy também era uma mulher dedicada a família. Até depois de ficar doente, nunca se esqueceu de nenhum dos filhos. 

“Ela lembrava de nós e, em especial, do meu pai. Era só ele sair que ela começava a perguntar por ele o tempo inteiro”, relata Júnior. A casa dos idosos, que deixaram seis filhos, 12 netos e quatro bisnetos, vivia sempre cheia. Alguns dos membros da família também contraíram a Covid-19, mas conseguiram se recuperar. “Minhas irmãs iam na casa dos meus pais todos dias fazer alguma refeição. Somos muito unidos”, diz Júnior.

Entretanto, a memória mais forte que o filho do casal tem dos pais é o amor e o cuidado que um tinha com o outro. “Minha mãe, mesmo depois de idosa, era ciumenta. Não gostava que ele andasse sem aliança de jeito nenhum e queria estar sempre com ele”, conta. 

Quando os idosos ainda estavam saudáveis, quase todos os dias iam tomar sorvete. “Meu pai era muito cuidadoso. Colocava minha mãe no carro e a levava para a sorveteria. O preferido dela era de maracujá. Depois, eles iam passear de carro pela cidade ou dar umas voltinhas de mãos dadas”, diz.

O filho mais velho do casal, Renê Duarte, de 58 anos, também frisa que o amor dos pais é a maior memória que tem deles. “Meus pais eram um casal incrível e um exemplo para mim e meus irmãos. 

Quando ele faleceu, um dia depois da minha mãe, a médica nos disse que a tristeza piorou muito o estado de saúde dele. Quando soube da morte da minha mãe, meu pai passou a noite inteira chorando na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O que nos dá tranquilidade é saber que eles estão juntos agora”, finaliza.

Juntos até o último dia de vida

No último sábado (23), com uma diferença de cinco horas, o casal José Basílio de Freitas, de 83 anos, e Custódia Laureana de Freitas, de 79, morreu devido a complicações causadas pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Ele, por volta das 3 horas. Ela, por volta das 8 horas. 

“Estamos devastados, mas até nesse momento meus avós mostraram os seres incríveis e apaixonados que eram. Não existia nessa Terra um sem o outro”, conta uma das netas do casal, a estudante de odontologia Carolina Basílio, de 24 anos. Ele tinha doença de Chagas e ela era hipertensa.

Os idosos, que tinham 62 anos de casados, deixaram quatro filhos, oito netos e quatro bisnetos. José, que já era aposentado, trabalhou como agricultor e era um homem tímido. “Ele gostava de acordar cedo, comprar o pão e cuidar da hortinha. Amava plantar pimenta e ervas. 

Ela gostava de plantar flores”, diz Carolina. Já Custódia, que era uma ótima cozinheira e já foi dona de um restaurante, tinha a personalidade mais efusiva. “Minha avó sempre tomava a frente de tudo e fazia tudo para todo mundo. Se alguém oferecia comida para eles, ela respondia pelos dois se queria ou não. Meu avô, que era muito tranquilo e divertido, levava tudo na brincadeira.”

Mesmo depois de 62 anos de casados, eles dormiam abraçados todos os dias. “Era incrível ver os dois juntos. Eles se entendiam sem se olhar e eram muito amorosos com a família toda. 

Faziam questão de juntar a família toda. Eu sempre digo que, se o amor tem uma definição, com certeza a definição são os dois”, diz Carolina. Todos os dias à noite eles também rezavam um terço juntos. “Eles tinham uma fé inabalável”, pontua a neta. 

O casal também era muito companheiro um do outro. “Quando minha avó não conseguia ir no salão de beleza, ele pintava o cabelo dela. Eles se apoiavam o tempo todo. Ela era muito preocupada com ele e puxava a orelha dele caso ele fizesse alguma coisa perigosa”, conta.

O casal também era muito carinhoso com os netos e filhos, que sempre frequentavam a casa deles. Carolina, que morou grande parte da vida com os avós, conta que os dois faziam tudo por ela e pelos primos. “Meu avô acordava cedinho e fazia café para mim. 

Sempre me dava um abraço e um beijo na testa. A gente adorava ver televisão juntos, enquanto minha vó ficava trocando mensagens no celular”, conta a estudante. Segundo ela, a parte mais difícil de lidar com a morte dos avós é saber que eles não estarão com a família no futuro. “Foi minha avó que me incentivou a fazer Odontologia. Vai ser muito difícil me formar sem ela ver essa conquista.

Sempre digo que quero encontrar um marido como meu avô e saber que ele não estará presente no meu casamento dói muito”, emociona-se. Entretanto, a jovem afirma que acredita que a história dos avós não poderia ter um final diferente. “Eles se tinham uma conexão muito profunda para ficarem separados. Tinham que estar para sempre juntos”, acredita.

Fonte e texto: O Popular

Apostador de Posse (GO) ganha quase R$ 1 milhão na Lotofácil



Um apostador de Posse, no nordeste goiano, está entre os quatro ganhadores da Lotofácil. 

A aposta realizada acertou os 15 números da loteria e vai receber quase R$ 1 milhão, sendo o prêmio de R$ 932.809,46.

O sorteio do concurso 2020 foi realizado na terça-feira (25). Os outros acertadores são de Brasília, Três Rios e Guaratingueta. Cada um vai receber R$ 932.809,46, de um total de R$ 3.731.237,84.

Os números vitoriosos foram 02-03-04-05-07-08-09-12-15-16-17-19-20-21-25. A Caixa não divulga o nome dos ganhadores.

Fora a premiação principal, a Lotofácil teve 214 apostas que tiveram 14 acertos - categoria cuja premiação é variável. Neste sorteio, cada um levou R$ 1.483,19.

A Caixa ainda premiou 8.974 apostas com 13 acertos, 117.344 com 12 acertos e 659.053 com 11 acertos.

Com informações de Antônio Carlos

Mulher mata amiga grávida, corta sua barriga e arranca criança do ventre





Um triste fim de semana em Santa Catarina, que registrou um dos casos mais bárbaros deste ano.

Uma mulher matou a amiga, que estava grávida, cortou sua barriga e arrancou a criança do ventre da mãe.

O crime brutal ocorreu em Canelinha, na grande Florianópolis. 

Flávia Godinho Mafra, de 24 anos, recebeu várias tijoladas na cabeça e perdeu os sentidos. Após tirar a criança do seu ventre usando um estilete, a amiga de Flávia a deixou sangrando até morrer. Ela foi presa e confessou o crime.

Segundo a polícia a autora do crime estava grávida e perdeu a criança em dezembro. 

Ela e Flávia eram amigas de longa data e engravidaram no mesmo período. A criminosa não contou para os familiares que havia perdido o bebê e seguiu fingindo que ainda era gestante. Então, premeditou o crime para roubar a criança do ventre da amiga.

Ainda segundo a polícia ela teria inventado um chá de bebê para atrair Flávia até o local do crime. 

Um pouco antes de chegar ao falso destino, a criminosa parou o carro em uma fábrica de cerâmicas abandonada e falou para a amiga que iriam aguardar ali, pois os convidados ainda não tinham chegado. 

Distraída, Flávia deu as costas para a mulher e recebeu várias tijoladas na cabeça e perdeu os sentidos.

A "amiga" usou um estilete cortar a barriga da vítima e tirar a criança do ventre de Flávia, que ficou sangrando e desacordada.


A mulher fugindo na sequência com o bebê roubado. 


No momento do brutal crime, a criminosa acabou machucando a criança com o instrumento, mas só procurou o Hospital Infantil de Florianópolis no dia seguinte. 

No hospital, ela alegou que entrou em trabalho de parto na rua e, por isso, o bebê estava machucado. Os médicos desconfiaram da versão e acionaram a polícia, já que naquele dia a informação de que uma grávida havia desaparecido já corria pela cidade. 

Quem encontrou o corpo de Flávia na fábrica de cerâmicas abandonada foi a sua mãe. Não sabe se ela já estava morta quando teve seu ventre cortado. Só a perícia poderá dizer o que de fato ocorreu. 

A amiga foi presa e confessou o crime, mas a polícia está desconfiada que ela não agiu sozinha.

A pergunta que não quer calar é como ela manteve uma falsa gravidez por meses sem que seu marido e familiares soubessem, já que vizinhos comentavam que todos sabiam que ela havia perdido o bebê. 

Com informações do Diário do Litoral

Muito grave: Mais da metade dos detentos do presídio de Arraias testa positivo para Covid



Uma situação muito grave foi registrada na cidade de Arraias (TO), sudeste do estado, neste fim de semana. 

Em exames de massa, mais da metade dos detentos do presídio local testou positivo para a doença advinda do novo coronavírus.

Dos 70 presos, 41 deles estão com Covid, segundo a prefeitura de Arraias.

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde de Arraias, foi identificada a necessidade de testagem em massa de todos os detentos e dos profissionais que atuam no local, após suspeitas de contaminação na massa carcerária. 

As coletas foram feitas no último dia 25 de agosto e o resultado saiu nesta sexta-feira (28). 

Ainda segundo a Secretaria de Saúde, todos receberam um Kit Covid para iniciar o "tratamento" contra a doença.

Com a testagem em massa, os números de casos positivados em Arraias, subiu de 41 para 94,  em apenas um dia.

De acordo com familiares dos presos, que há seis meses não podem visitar seus entes, a possível contaminação dos presos pode ter ocorrido em contaminação de sacolas plásticas utilizadas para o envio de alimentos para dentro do presídio. 

Ainda se acordo com a mulher de um deles,  nenhum preso precisou ser internado ou teve sintomas graves da doença. 

Ela reclama, no entanto, da falta de informação da Administração para com os devidos familiares. "Isso nos deixa muito apreensivas e preocupadas. É uma situação muito ruim", diz. 

Em Arraias, há ainda 13 pacientes sob suspeita, no aguardo do resultado de exames. Um óbito foi registrado no município. 

Ninha lidera pesquisa para prefeito de Campos Belos (GO), com 46,30%. Mais que o dobro do segundo colocado


O ex-prefeito Aurolino Santos Ninha, pré-candidato a prefeito de Campos Belos (GO) lidera, e com boa folga, a corrida para ser o novo mandatário do Poder Executivo local. 

Pela pesquisa, feita pela empresa Skala, se as eleições fossem hoje, Ninha teria 46,3% dos votos dos eleitores de Campos Belos (GO). 

O resultado é mais que o dobro do segundo colocado, o pré-candidato pelo PSD, delegado Pablo Geovanne, junto com o vereador Juranda, com 20%.

O atual prefeito Eduardo Terra, que é pré-candidato a reeleição, está na terceira posição, com 17,8% das intenções de votos.  

O jovem Leandro Fox (PSL), que recentemente anunciou  Bressiani como seu candidato a vice, atinge 4% na pesquisa.

Já Wesley Oliveira, ex-presidente do Sindicato Rural de Campos Belos, candidato apoiado pela deputada federal Magda Moffato, tem 1%.

O percentual de eleitores que respondeu que não sabe em quem votar, chega  a 8,2% e não votaria em nenhum dos candidatos a 2,7%.

A pesquisa, de responsabilidade da empresa Skala,  feita entre o dias 21 e 22 de agosto, foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número 04.331/2020 e foi encomendada pela equipe de campanha de Ninha.  

AO VIVO: Leilão de gado de Corte em Campos Belos (GO)

 

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Deu ruim: Ministério Público se manifesta contra soltura de ex-capa da Playboy Pâmela Pantera



O Ministério Público do DF se manifestou de forma contrária à liberdade de Flavia Tamayo, também conhecida como Pâmela Pantera, de acordo com a defesa dela. 

A garota de programa está presa  há mais de mês, quando foi encontrada em um motel na cidade de Vitória (ES).

Pâmela Pantera é suspeita de fazer parte de uma organização criminosa composta por garotas de programa de luxo que atuam na capital federal. 

O bando era especializado em realizar a venda e distribuição de entorpecentes, principalmente drogas sintéticas e cocaína, a clientes de alto poder aquisitivo do Distrito Federal.

De acordo com Fabrício Martins, defensor da modelo, não há motivo para manter a prisão preventiva. 

Caso a juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais, decida pela manutenção do cárcere, a defesa já prepara um habeas corpus.

Capa de revistas masculinas famosas, como a Playboy – edição publicada em Portugal – e a Sexy, e estrela de filmes eróticos da franquia Brasileirinhas, a mulher oferecia uma espécie de cardápio sexual aos clientes mais assíduos. 

Os programas mais sofisticados eram sempre acompanhados de carreiras de pó.Procurado, o MPDFT informou que a investigação é sigilosa e não passou informações do caso.

Operação Rede

As investigações que embasaram a operação coordenada pela PCDF duraram dois anos. 

Durante a ação deflagrada em junho, policiais da 5ª DP apreenderam grande quantidade de cocaína, lança-perfume, além de arma de fogo e munições. 

As mulheres negociavam programas sexuais regados a pó para uma clientela seleta.

De acordo com investigações da 5ª DP, não há conexão entre os núcleos criminosos, mas todos exercem funções parecidas: a distribuição dos entorpecentes para traficantes menores e usuários que ficam na ponta do esquema.

À época, no DF, a operação cumpriu mandados de busca e apreensão em Águas Claras, Candangolândia, Setor Hoteleiro Norte, Ceilândia, Samambaia, Recanto das Emas, Planaltina, Brazlândia, Lago Norte e Goiânia (GO). 

Entre os alvos da operação, havia um terceiro grupo, especializado na distribuição de drogas na região central de Brasília. 

Os criminosos adotaram o sistema delivery, fazendo a entrega nas mãos dos usuários.

Fonte: Metrópoles

Acidente deixa três feridos na GO-118



Três pessoas ficaram feridas em um acidente de trânsito envolvendo dois carros de passeio, na manhã desta quarta-feira (26), por volta das 8h, na GO 118, KM 9, município de Planaltina de Goiás (Brasilinha).

No local, a Polícia Militar foi informada que um veículo Ford-KA trafegava pela rodovia, no sentido São João D´Aliança, quando, na altura do trevo que dá acesso a Planaltina de Goiás, foi surpreendido por um Chery-QQ, que não teria respeitado a preferência e invadido a pista.

O condutor do Ford-KA, a condutora do Chery e a filha dela, uma criança de 11 anos, sofreram ferimentos.

As vítimas foram encaminhados ao hospital de Planaltina de Goiás por equipes do Corpo de Bombeiros.

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

Fogo de grandes proporções atinge morro de Campos Belos (GO). Batismo do quartel de Bombeiros, recentemente instalado na cidade

Militares do Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás e os heroicos brigadistas voluntários tentam apagar, desde o fim da tarde desta quarta-feira (27), um incêndio de grandes proporções.

O fogo está destruindo ferozmente a fauna e a flora de um dos morros que cerca a cidade, situado no Bairro Setor Cruzeiro. 

A altas labaredas ameaçam, inclusive, incendiar casa nas proximidades.

Este é o primeiro grande incêndio da unidade do Corpo de Bombeiros recentemente instalada na cidade, para combater, principalmente, fogos dessa natureza, que todos os anos no período da seca, há anos causa imensa preocupação à comunidade. 

As imagens são Silas e Renata Guimarães.








terça-feira, 25 de agosto de 2020

Que rolo, Flordelis. Vê se você entende o swing



O marido de Flordelis era filho adotivo dela.

Ele também foi genro, pois namorou a filha biológica dela, que no caso era sua irmã.

Após o casamento, ele passou a ser padrasto da irmã e o ex-namorado virou marido de sua mãe e padrasto de si e ex-genro da mesma. 

Na casa de swing se reunia a flor, a filha, o ex-genro de flor, o ex da filha, atual da flor, atual da filha e genro da flor.

Ah sim, ela era pastora e deputada federal e comandava uma igreja. 

Depois, com sua tropa de filhos, tramou a morte do marido, ex-filho e ex-genro, antes dos tiros fatais, porém, por seis vezes, usou veneno para matar o infeliz, que escapou. 

E nada percebeu?  

Qual o motivo do crime? O marido era um gestor durão com as contas da grande família. 

Enteado é acusado de matar padrasto. Ele foi preso após PMs verem imagens de circuito de TV


Por volta das 3h de sábado (22/08), Sandro Francisco de Jesus Oliveira, de 49 anos, foi morto a facadas na porta de sua casa, na Avenida Vicente de Paula Souza, no Centro de Cabeceiras de Goiás, nordeste do estado.

Em relatos à Polícia Militar, a esposa de Sandro disse que ele chegou em casa e ficou na porta conversando com uma pessoa não identificado por ela. 

Minutos depois, ele entrou em casa pedindo por socorro informando que teria sido esfaqueado.

Uma equipe de socorro do hospital local foi acionada, mas a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. 

A perícia esteve na cena do crime e atestou que a vítima foi atingida por golpes na axila, nas costas e no rosto.

Desde o conhecimento do crime, equipes da PM realizaram diligências ininterruptas e analisaram diversas imagens de câmeras de segurança em que foi possível reconhecer o autor do crime como sendo um homem de 19 anos.

Ele era enteado da vítima.

A partir do reconhecimento, os militares localizaram o suspeito em sua casa, em Cabeceiras.

Na casa do rapaz, foram encontradas uma bicicleta e uma camiseta idênticas às que foram identificadas nas câmeras de segurança como sendo as utilizadas pelo autor do crime. 

O acusado negou participação do crime, mas entrou em inúmeras contradições. 

Assim, ele recebeu voz de prisão e foi encaminhado à Central de Flagrantes, onde foi autuado pelo crime de homicídio consumado.

Com informações do Foca Lá 

Jovem de Divinópolis de Goiás precisa de ajuda para custear tratamento contra o câncer


Pessoal, uma conterrânea de nossa região está muitíssimo precisando do apoio de todos da comunidade (Goiás, Tocantins e Bahia).

A jovem Jerlaine Ferreira de Araújo, moradora de Divinópolis de Goiás, nordeste do estado, região de Terra Ronca, está fazendo tratamento contra o câncer de mama e está precisando de sua ajuda.

E por que ela precisa de sua ajuda?

Jerlaine Ferreira precisa tomar uma medicação de alto custo. Este medicamento está em falta no hospital público e seu tratamento não pode parar, porque corre o risco de perder a vida.

A burocracia estatal tem seu tempo e a doença não espera, 

As pessoas que desejarem ajudar no tratamento da jovem podem fazer doação na conta:

Agência: 3721
Operação: 023
Conta caixa fácil: 2142-0
Jerlaine Ferreira de Araújo
Caixa Econômica Federal

Agência 4130-0
Conta poupança 7.121-8
Variação 51
Hélio Barbosa da Silva
Banco do Brasil

O Hélio é esposo da Jerlaine.

A sua ajuda é de suma importância.

Com informações de Antônio Carlos

Prêmio Jabuti: Bate papo com a escritora Alessandra Roscoe. As memórias afetivas dos pais e avós


Por Aline Rogers

A Milena guarda as poesias que o pai escrevia. O Marcos, as idas ao mercado na garupa da bicicleta do avô. A Alyssa, a primeira vez que viu o rostinho das filhas. O Josué, as festas juninas com a família reunida em torno da fogueira. 

A Janaína, a estante cheia de fitas cassetes que ela ouvia na companhia do pai. A Márcia Valéria, os piqueniques de aniversário do avô na Quinta da Boa Vista.

Sexta-feira à tarde (21) foi dia de abrir o baú das lembranças e ser invadido por um sentimento bom, de pertencimento, de saudade, de nostalgia, de afeto. 

De ter o coração aquecido e ganhar aquele sorriso no canto da boca, de sentir o gosto daquela comida da infância e do cheiro do perfume da avó, rememorar as historinhas que a mãe contava, o beijo que curou machucado e jurou amor eterno.

“Caixinha de guardar o tempo”, evento online promovido pelo Programa Ser Mais, em comemoração ao Dia dos Pais, trouxe a escritora e jornalista Alessandra Roscoe para um momento de literatura, de música e interação com os servidores. 

A escritora começou sua apresentação com a leitura do seu livro com o mesmo nome da palestra. 

Com a mediação do jornalista Dinomar Miranda, servidores participaram enviando por escrito suas memórias mais queridas, por meio da plataforma Zoom. 

Foi um bate-papo sobre o tempo e sobre as lembranças, tesouros preciosos que todos guardamos dentro de nós.

Já outros preparam a caixa de memória dos filhos com relatos de tempos que eles não vão se lembrar no futuro, como a Aline Rogers, que criou uma conta de e-mail para a filha quando ela nasceu e envia, de vez em quando, historinhas do cotidiano da família, fotos e percepções. 

No futuro, a menina receberá a senha da conta e terá um relato de como foram seus primeiros dias sob a ótica materna.

Seja como for, Alessandra ressaltou a importância da construção e manutenção dessas memórias afetivas, especialmente nesses tempos tão difíceis de distanciamento social. 

A atividade foi um convite à reflexão sobre como estamos usando nosso tempo e como estamos estabelecendo nossas memórias em família.

Carolina Araújo participou do evento junto com a filha Clarice, de oito anos. “De início, achei que ela não ia prestar muita atenção, mas quando vi, ela estava chorando de emoção. 

Fiquei muito tocada ao ouvir os relatos de meus queridos colegas. O evento me proporcionou uma ótima sensação de proximidade. Foi lindo!”

Com texto do STM

Cauan e um depoimento emocionante: A Covid, o cantor e o ser humano

Reações exageradas contra jornalistas e contra este Blog. Pedrada de todos os lados

 

Tempos estranhos, como diria o ministro do STF Marco Aurélio Melo. 

No último fim de semana, o presidente Jair Bolsonaro disse que tinha vontade de "encher de porrada a boca de um jornalista", que lhe perguntou quem depositou cheques que somaram quase R$ 100 mil na conta da primeira-dama Michele Bolsonaro. 

Só para não passar batido, suspeita-se que os valores sejam provenientes de rachadinhas, ou seja, dinheiro público indo para o ralo, nos cofres de particulares. 

De ontem para hoje (25), o prefeito de Divinópolis de Goiás, Charles Tolentino, reagiu com a mesma bravata ao ver uma publicação deste Blog, sobre um vazamento de água no telhado do recém inaugurado terminal rodoviário da cidade. 

Ao invés de mandar uma nota ao Blog, explicando o ocorrido, como manda o bom manual de gestor, o prefeito preferiu ir às redes sociais destratar este jornalista.

A publicação do vazamento foi um pedido de um cidadão de Divinópolis de Goiás.  

O cidadão também informou que o blogueiro Antônio Carlos, que iniciou suas publicações aqui neste Blog e depois criou um canal semelhante, parecidíssimo com este, em sua cidade, com seu nome, "tem feito assessoria de comunicação para o prefeito e não tem publicado qualquer notícia que seja ruim à atual administração do município", disse o autor das filmagens. 

Com atitudes exageradas e desarrazoadas de autoridades, como Bolsonaro e Tolentino, o cidadão comum passa a se sentir no direito de atacar jornalistas a seu bel prazer. 

No mesmo dia de ontem, outro cidadão, identificado como Willian Marques, foi às redes sociais comentar sobre o post em que este jornalista se posiciona (mera opinião, é claro) em favor de um toque de recolher, à noite, para frear o avanço da Covid-19 em Campos Belos (GO). 

O cidadão, em suas palavras, chama este jornalista de canalha, comunista dos infernos e diz que este canal está incitando a população a apoiar a prisão de pessoas de bem.

A propósito, no perfil em redes sociais, o cidadão diz trabalhar na Polícia Civil. 

Dias difíceis para jornalistas profissionais neste país.   

Será que esse povo tem noção de Leis?

Uma delas é bastante conhecida de todos, principalmente para quem trabalha com palavras: são três os crimes contra a honra tipificados pelo nosso código penal -  Calúnia (art. 138); Difamação (art. 139) e Injúria (art. 140). 

Mas engana-se quem achar que vai nos desestimular. Estamos no caminho correto e doa a quem doer, nosso trabalho vai continuar. 






Tragédia familiar: morre Maria Izidia, mulher de Roberto Meireles

O vereador de Campos Belos (GO), Márcio Valente, muito ligado à família Meireles, confirmou, ainda há pouco, a morte de Maria Izidia Freire Meireles.

Ela era mulher de Roberto Carlos Meireles, falecido também na semana passada, em virtude da Covid-19.

O casal, tradicional família de Campos Belos, proprietário da fazenda Fundão, estava internado em um hospital particular de Goiânia (GO), desde o início do mês.

Na semana passada, o político, empresário e produtor rural Roberto Meireles não resistiu ao agravamento da doença e morreu.  

Ontem à noite (24), Maria Izidia Freire Meireles, que estava numa unidade de tratamento intensivo (UTI) também não resistiu. 

Márcio Valente também informou que ela não morreu de Covid. 

"Informamos aos amigos que mesmo por ter passado por problemas de covid, esta não foi a causa da sua morte. 

A causa da morte de Maria Izidia Freire Meireles foi insuficiência renal, desta forma a família irá realizar o seu velório a partir das 14 horas na Pax, e o sepultamento será as 16h30, no cemitério local", informou o vereador. 

É mais uma tragédia, sem precedentes, que abate sobre nossa comunidade e que nos deixa tão atônito, sem capacidade até de externar palavras de conforto. Nossos sentimentos a todos da família Meireles.

segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Sem limites: Covid em Campos Belos (GO) sobe para 174 casos. Mais cem pessoas são suspeitas de portarem a doença

 


O céu é o limite e peço perdão pelo trocadilho das palavras. 

Campos Belos (GO) registrou hoje (24) um record de casos de confirmados do novo coronavírus. Agora são 174 pacientes infectados. 

Pior é que o número de suspeitos de estarem portando a doença e à espera de exames é desolador: cem pessoas.

Três pacientes tiveram que ser evacuados para o Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do DF, e dois permanecem internados na unidade "sentinela" do município. 

Na cidade, cinco pessoas já morreram em razão da Covid e um caso, da missionária evangélica, espera o resultado final da contraprova. 

Para não dizer que não falamos de flores, 132 das 174 pessoas infectadas estão recuperadas da doença. 

Difícil é responsabilizar culpados: 

lerdeza da Administração Pública, irresponsabilidade criminosa de centenas de milhares de pessoas da comunidade, ou ambos? 

Festa de música eletrônica reúne centenas de pessoas no DF; o "Covidão" agradece efusivamente






Em meio à pandemia do novo coronavírus, uma festa em uma chácara às margens da BR-060, em Samambaia, reuniu centenas de pessoas no último fim de semana. 

A balada de música eletrônica atravessou a madrugada e foi até o fim da manhã de domingo (23/8).

Participantes da festa compartilharam fotos e vídeos da confraternização. Nas imagens é possível ver dezenas de pessoas aglomeradas em frente a um palco. A desobediência ao distanciamento recomendado também é observado em cenas gravadas nos arredores de uma piscina.

Não houve, também, preocupação em relação ao uso de máscara. Foi apurado pela imprensa que os ingressos para a festa foram vendidos a R$ 80. Nas gravações é possível ver que a festa continuou até depois do dia amanhecer. 

As imagens também revelam pessoas dançando lado a lado, além de fogos e a participação de animadores vestidos de palhaços. Durante a montagem do evento, os produtores teriam sido abordados por fiscais. 

Em áudio, uma das organizadoras orienta os frequentadores sobre uma manobra para evitar a interferência dos agentes públicos.

“Pessoal, vamos ficar combinado assim: quem tem amigo que tá vindo pede para esperar até umas [sic] meia-noite, meia-noite e meia. Porque eu acho que eles vão passar aqui só mais uma vez. Viram que não tem evento, eles vão embora e não vão vir mais”, explica.

O áudio continua: “E pronto. E depois de meia-noite, se a gente ver que está tranquilo, a gente avisa vocês para virem. Ou não. Ou se não a festa continua amanhã, faz a festa no dia todo domingo”.

A reportagem entrou em contato com uma das organizadoras da festa. Por telefone, ela negou ter participado da produção do evento. “Foi uma festa aberta, não teve ninguém organizando. Eu só participei e adorei, assim como todo mundo que foi”, disse.

Esta não teria a sido a primeira edição da festa. 

Segundo fontes ouvidas, o evento já ocorreu outras três vezes – todas em meio à pandemia do novo coronavírus. 

Para evitar a fiscalização, o convite é feito por meio de mensagens em grupos fechados de WhatsApp.

Texto e fonte: Metrópoles

Choveu em Monte Alegre, Campos Belos e Divinópolis de Goiás neste domingo (23)


Todos já estão acostumados com a secura, insolação e desolação do mês de agosto. É um mês que todos, gente, bichos e vegetação, torcem para que ele passe rapidamente.

E não é que o "agostão"  está sendo atípico. Sim, com umas lambidas de frio e até chuva!

No nordeste de Goiás, um das regiões mais áridas e quentes do estado, ontem, domingo (23), ganhou um presentão dos céus. 

Chuva, e das fortes. 

Um produtor rural flagrou o fenômeno. Ele disse que estava em Monte Alegre de Goiás, a 30 km de Campos Belos. 

Mas não se acostumem. Segundo a meteorologia, esta semana a região volta a ficar quente e seca. Chuva mesmo, somente no início de outubro. 

 

Terminal rodoviário de Divinópolis de Goiás (GO) não suportou "chuvica" de agosto


O terminal rodoviário de Divinópolis de Goiás (GO), nordeste do estado, região de Terra Ronca, foi inaugurado recentemente, às pressas, em virtude do calendário eleitoral. 

Mas bastou uma chuva de agosto, para apresentar a qualidade da obra à comunidade local. 

A "chuvica" de agosto caiu no fim de semana. 


Como se vê nas imagens, o telhado da "nova rodoviária" não suportou o escoamento. 

Imagine isso no inverno?

A prefeitura e a empreiteira devem enormes explicações aos cidadãos do município.

Dinheiro público não significa "dinheiro de segundo categoria". Bem pelo contrário. 

As filas da vida

 

Imagens do Dia: retratos de heróis anônimos em defesa do nosso cerrado

 






Ação e imagens de Bruno Carvalho.

"É no fogo mais forte que se forja um aço bom! E bom porque é ruim, se fosse pior seria melhor."

Monte Alegre de Goiás zera casos de Covid no município

 


Uma ótima notícia nesta segunda-feira (24). 

A prefeitura de Monte Alegre de goiás, nordeste do Estado, região da Chapada dos Veadeiros, informou que zerou os casos de Covis-19 no município. 

Pelos dados, não há hoje nenhum caso ativo ou paciente hospitalizado. 

Há,no entanto, sete pacientes sendo acompanhados, em suas residências, em isolamento domiciliar, à espera de resultados de exames. 

Também há registro de que dos 17 casos confirmados de Covid, uma pessoa morreu e 16 foram curados. 

Está de parabéns a comunidade de Monte Alegre de Goiás, pela luta, responsabilidade pessoal e social, e por entender que sem a participação de cada cidadão, na luta contra a pandemia do novo coronavírus,  todos irão perder, principalmente os mais fracos.

Urgente: ministro do STF manda UFT nomear e empossar professora negra em Arraias (TO)




Doutoranda em Direito na UnB e na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) e aprovada para o cargo efetivo de professora da UFT no Campus Arrais, em vaga reservada para cota racial, por ser negra, a professora Walkyria Chagas da Silva Santos precisou recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para ter seu direito ao cargo reconhecido. 

Uma vaga que tanto o edital do concurso, de 2018, quanto as decisões da Justiça Federal e do Tribunal Regional Federal (TRT) da 1ª Região haviam lhe negado. 

A decisão é do ministro Edson Fachin, do dia 20 de agosto, publicada nesta segunda-feira, 24.

O caso se deu quando ela prestou concurso e o edital considerou que a reserva de vagas para candidatos cotistas se dava pela totalidade das vagas do concurso, que oferecia 57 vagas para ampla concorrência, e deveriam ser reservadas 11 para os cotistas. 

Houve a nomeação de 51 candidatos aprovados e, até ela entrar com a ação, ainda não havia a nomeação de nenhum dos candidatos do sistema de cotas.

Walkiria entrou com uma reclamação no STF ação após ter ficado sem resposta para o pedido administrativo protocolado na UFT e ação ordinária junto à Justiça Federal ter lhe negado um pedido liminar, e ver desprovido seu recurso (agravo de instrumento) no Tribunal Regional Federal da 1ª Região. 

A professora alega que o UFT descumpriu decisão do Supremo na Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) 41, que definiu a constitucionalidade da lei que prevê cotas em concurso público.

Segundo o ministro, para a vaga que a professora concorrer, na área de Direito, a UFT disponibilizou apenas 3 vagas, todas para a ampla concorrência. A autora ficou em 5º lugar e não apareceu como "aprovada" na classificação geral.

Para o ministro, a decisão da Justiça Federal de 1ª e 2ª instância "equivocou-se ao interpretar o critério de fracionamento, considerando apenas a vaga para a qual a reclamante concorreu." 

O equívoco, segundo o ministro está na previsão do edital que não contemplou de forma correta o percentual de 20% do total de vagas para os candidatos aprovados pela lista de cotas raciais.

Fachin acolheu os embargos de declaração e lhe atribuiu efeitos infringentes, ou seja, mesmo uma decisão de um só julgador, mas com poder de modificar uma decisão anterior. 

O ministro determina que a Justiça Federal dê uma nova decisão, com "determinação de imediata nomeação e posse" de Walkyria Santos no cargo como candidata cotista.

Com informações do JT