segunda-feira, 20 de julho de 2020

Esperança: vacina desenvolvida em Oxford induz à criação de anticorpos contra coronavírus, mostra estudo


A vacina contra o novo coronavírus que está sendo desenvolvida na Universidade de Oxford, tem a capacidade de induzir a criação de anticorpo contra a doença. 

É o que mostram resultados preliminares, divulgados na revista científica The Lancet nesta segunda-feira, 20.

Os dados dizem respeito às fases 1 e 2 do desenvolvimento da vacina.

De acordo com os resultados de um teste feito com um sub-grupo de 10 pessoas, os efeitos poderiam ser ainda mais positivos depois de uma segunda dose da vacina.

O grupo de controle foi vacinado contra a malária.

A pesquisa foi feita com 1077 adultos saudáveis. A pesquisa mostra que a vacina pode causar efeitos colaterais, mas estes podem ser reduzidos com uso de paracetamol. 

Entre os sintomas mais sentidos estão fadiga, sentida por 70% dos participantes, e dor de cabeça, relatada por 68%. Segundo o estudo publicado na The Lancet, não houve efeitos adversos significativos.

Os anticorpos atingiram o pico após 28 dias após a aplicação da vacina e se mantiveram no mesmo patamar até o dia 56.Os autores do estudo afirmam que continuaram as pesquisas com a vacina e, inclusive, ela será aplicada em idosos.

Ainda é preciso fazer mais estudos para comprovar a eficácia da vacina.

A vacina que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford é a mesma com a qual o governo federal brasileiro fez uma parceria. A terceira fase de testes está sendo desenvolvida no Brasil.

Fonte: Yahoo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.