domingo, 26 de julho de 2020

Decisão liminar determina instalação de barreira sanitária em divisa entre Campos Belos e Arraias; Goiás e Tocantins



Uma decisão liminar da 1ª Vara Cível de Arraias determinou que o governo do Estado instale uma barreira sanitária na TO-050, na divisa do Tocantins com Goiás, entre as cidades de Arraias e Campos Belos (GO), na região sudeste do estado. 

O pedido foi feito pelo Ministério Público do Tocantins e tem como objetivo combater a disseminação do coronavírus.

A decisão saiu nesta quinta-feira (23) e deu um prazo de 10 dias para instalação do serviço, a partir da notificação oficial. A Justiça também estabeleceu uma multa diária de R$ 5 mil, limitada a R$ 50 mil.

A barreira sanitária deverá funcionar de forma contínua, com a presença de profissionais da Vigilância Sanitária Estadual e da área da saúde, além de homens da Polícia Militar para garantir segurança.

A barreira também deverá dispor de veículos, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) suficientes, máscaras de proteção facial para distribuição, termômetros, testes rápidos de Covid-19 e materiais para higienização.

A instalação da barreira foi requerida pela promotoria de Justiça de Arraias em uma ação civil pública proposta no início deste mês. 

Segundo a ação, o próprio governo do estado previu a instalação de barreiras em divisas do estado, no decreto nº 6092/2020. Só que isso ainda não saiu do papel.

A barreira sanitária deverá servir como ponto para ações de orientação, prevenção, segurança e fiscalização. Medidas voltadas para combater o avanço do novo coronavírus.

De acordo com o boletim epidemiológico estadual divulgado nesta sexta-feira (24), o Tocantins tem 19.965 diagnósticos positivos de Covid-9, além de 334 de pacientes que estavam com a doença.

Com informações do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.