segunda-feira, 27 de julho de 2020

Artigo: Descoberta de exame de sangue para detectar câncer antes de diagnostico padrão deve ser comemorada


Em 21 de julho de 2020, foi publicado pela revista Nature Communications estudo sobre um teste laboratorial com potencial de detectar o câncer até 4 anos antes em comparação aos métodos atuais.

O exame chamado PanSeer, desenvolvido pela equipe do Dr. Xingdong Chen, da Universidade Fudan, de Shanghai na China, procurou nas amostras de sangue alterações específicas do DNA que ocorrem em alguns cânceres, como o de estômago, esôfago, colorretal, pulmão ou fígado.

A avaliação possui alta acurácia na detecção dessas neoplasias malignas e pode ser alternativa promissora para que, no futuro, possamos diagnosticar mais precocemente essas doenças e assim elevar a taxa de cura.

No entanto, vale lembrar, que a ideia de utilizar exames sanguíneos para detecção precoce do câncer, tanto pela facilidade na realização, como pelo possível menor custo, não é nova. 

A médica oncologista, também do IBCC Oncologia, Dra. Suelen Martins, inclusive já postou artigo (https://ibcc.org.br/novo-exame-de-sangue-detecta-mais-de-50-tipos-de-cancer/) no qual comenta sobre outro exame capaz de detectar mais de 50 tipos de câncer descoberto por pesquisadores do Instituto do Câncer Dana-Farber, ligado à Faculdade de Medicina da Universidade Harvard, nos Estados Unidos.

Assim, esperamos que em breve o PanSeer seja validado para utilização em diferentes populações e que demonstre não apenas aumento na detecção precoce dos cânceres como também acréscimo na sobrevida dos pacientes, para que possamos ampliar de maneira mais simples e menos invasiva o rastreamento do câncer na população brasileira.

Por Dr. Márcio Kawano, médico oncologista do IBCC Oncologia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.