quarta-feira, 24 de junho de 2020

Grupo que praticava garimpo ilegal de ouro no Rio São Félix, em Cavalcante (GO), é multado


Um garimpo ilegal de ouro no Rio São Félix, em Cavalcante, foi desmontado nesta terça-feira (23). 

O grupo foi flagrado por equipes de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e recebeu multas de R$ 100 mil.

Na operação, foram apreendidos quatro motores de extração. Além disso, um veículo carregado com lenha nativa foi flagrado fazendo transporte clandestino da carga, que não teve origem declarada e provavelmente é fruto de desmatamento.

A ação é um desdobramento da megaoperação deflagrada na última segunda-feira (22) para combater crimes ambientais na região da Chapada dos Veadeiros, em especial no município de Cavalcante.

São 24 alvos de desmatamento que estão sendo fiscalizados na região, num total de 2.500 hectares, além de atividades de mineração sem licença.

Os locais onde foram feitas as autuações desta semana são de difícil acesso e comunicação. 

Por este motivo, a Semad aguardará a finalização dos trabalhos por parte das equipes para divulgar um balanço com as áreas verificadas, as multas aplicadas e as medidas que devem ser tomadas a partir da autuação das partes envolvidas.

A secretária Andréa Vulcanis está em Cavalcante acompanhando os trabalhos dos fiscais. Em entrevista, a titular do meio ambiente explicou que a operação tem alta complexidade e o intuito é preservar uma das regiões mais ricas do mundo. 

“É uma ação complexa, que envolve uma série de agentes, imagens por satélite, serviços de inteligência. 

Tudo isso é para preservar, em Cavalcante, o que talvez seja a região de cerrado mais preservada do mundo, de uma riqueza ímpar”, afirma. secretária disse que o governo de Goiás seguirá no monitoramento da região de forma intermitente. 

“Estamos fazendo um verdadeiro pente-fino na região, verificando ações ilegais, revendo a situação das licenças ambientais e seguiremos acompanhando”, disse.

Em artigo publicado no final de semana, Andréa Vulcanis alerta que a crescente degradação do meio ambiente no Brasil e o novo recorde de desmatamento na Amazônia podem ter impactos devastadores no agronegócio, que é o grande sustentáculo da economia nacional e goiana.

“Ao todo, R$ 16,2 trilhões, ligados a 230 fundos de investimentos estrangeiros, estão sob influência da opinião pública para que o dinheiro seja direcionado para países, empresas e iniciativas que sigam modelos sustentáveis e que respeitem as normas ambientais”, adverte a dirigente.

Com informações do Diário de Goiás 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.