quarta-feira, 10 de junho de 2020

Fugindo por 17 anos: homem acusado de homicídio em Brasília é preso em Campos Belos (GO) após ação da Polícia Civil


Policiais civis da delegacia de Campos Belos (GO), 13ª DRP (Departamento Regional de Polícia), e o Instituto de Identificação Criminal (Goiânia), prenderam um homem que estava foragido há 17 anos, desde 2003, da justiça do Distrito Federal.

O rapaz foi acusado do crime de homicídio praticado no Distrito Federal e desde então não pagou por sua ação criminosa junto à justiça criminal.

O acusado foi conduzido pela Policia Militar à delegacia após ser detido por estar dentro de um veiculo com 11kg de maconha. 

Ele era um passageiro do carro, mas durante todo o procedimento policial, o investigado apresentou-se como sendo seu irmão, cujas características físicas são semelhantes.

Não satisfeito, um agente de Campos Belos fez diversas diligências para descobrir a verdadeira identidade do homem.

Foi aí que se acionou uma papiloscopista, em Goiânia, que se deslocou até a agência prisional, em Campos Belos. 

Durante a entrevista com o investigado, mais uma vez ele se identificou como sendo seu irmão. 

Diante da postura, foram coletadas parciais de suas digitais que pudessem levar à sua perfeita identificação, e, após emprego da técnica adequada chegou-se a identificação correta, que, diante a prova técnica não teve como continuar sustentando a história inverídica.

Face à constatação de sua verdadeira identidade, foram realizadas buscas nos sistemas existentes e foi encontrado o registro de um homicídio praticado no Distrito Federal por ele, em um bar.

Segundo o relato de testemunhas à época do crime, o acusado matou o dono do bar porque não queria mais vender bebidas a ele.

Descontente, ele tirou a vida do comerciante sem o mínimo pingo de remorso.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a fuga do rapaz se deu ao longo de 17 anos, escondendo-se atrás das coincidências físicas de seu familiar.

De quebra, ela ainda "deu" ao irmão um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), em 2006, na cidade de Posse, por recusar-se a fornecer identificação para Autoridade Policial, ocasião em que fugiu novamente.

Em Campos Belos, dada a voz de prisão pela papiloscopista, ele foi apresentado ao delegado de polícia, que a ratificou e determinou a formalização do procedimento pertinente ao caso.

Depois de realizado o flagrante, ainda foi dado cumprimento ao mandado de prisão pelo homicídio praticado no Distrito Federal.

"Foram essenciais a operação um agente da PC de Campos Belos e a Papiloscopista", informou e elogiou o delegado de polícia de Campos Belos. 

Um comentário:

  1. isso é o que mais acontece em cidades do interior, e a demora poresposta falta de investimentos do poder público, Principalmente municipal e Estadual.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.