terça-feira, 16 de junho de 2020

Confusão: Verdadeiro motorista de carro funerário apreendido com droga em caixão desapareceu


Lorivan Lima, dono da funerária Apax e do carro que foi apreendido com 300 kg de maconha nesta segunda-feira, disse que o homem que foi preso e responsabilizado pelo transporte da droga, não trabalha para ele. 

O seu funcionário, que se chama Jheykson Albuquerque Ribeiro Dias está desaparecido, não atende o celular, e não visualiza as mensagens desde domingo (14).

De acordo com o empresário, Jheykson saiu de Goiânia com destino a Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, para pegar um corpo que estava na cidade. 

Além do carro, o dono da funerária disse que o motorista levou dois caixões: um padronizado e outro que é usado para pessoas acima do peso.

Segundo Lorivan, o carro era rastreado e o dono percebeu que o motorista tinha mudado de rota. 

Resolveu perguntar o motivo para ele, que disse que, na verdade, o corpo iria ser buscado em Ponta Porã, também no Mato Grosso do Sul.

Após o motorista sumir, não atender o telefone, nem responder às mensagens, o dono da funerária ligou para a empresa de rastreamento, que informou que o carro estava preso em Jataí.

Afonso Oliveira Neto, cabo da Polícia Militar (PM), disse o motorista preso se chama Gemison Rodrigues da Costa.
Apreensão

O cabo diz que a corporação estava em operação nesta segunda-feira (15) e que todo veículo parado era abordado. 

Quando a PM parou o motorista que conduzia o carro da funerária, ele demonstrou muito nervosismo.

O condutor disse que estava transportando vítimas de Covid-19 da cidade de Ponta Porã para Goiânia, e que por isso os caixões estavam lacrados e envolvidos com papel filme, porém ele estava sem a guia de transporte de corpos.

Foi então que a polícia resolveu revistar o carro e encontrou 300 kg de maconha nos caixões. 

O condutor foi levado delegacia de Jataí e autuado em flagrante por tráfico de drogas.

A reportagem  tentou contato com Jheykson Albuquerque Ribeiro Dias e com a família dele, mas sem sucesso. 

Não se não conseguiu contato com a defesa do homem que foi preso, porém o espaço continua aberto.

Com informações do Mais Goiás

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.