segunda-feira, 8 de junho de 2020

Com necessidades especiais, Dicinho Moreira é pré-candidato a vereador de São Domingos (GO)




Sanfoneiro dos bons e muito conhecido em São Domingos (GO), nordeste de Goiás, por seu carisma e dote artístico, Edilson Moreira, conhecido como "Dicinho Moreira", agora é pré-candidato a vereador do município. 

Portador de necessidades especiais, Dicinho é filiado ao PODEMOS. Mais que isso, tem o apoio irrestrito o vice-presidente da legenda na cidade, Robertth.

Ao lançar sua candidatura para o pleito deste ano, Robertth diz que "teremos pela primeira vez um candidato a vereador cego".

Ele é militante e adepto do "Movimento Acredito", o mesmo que elegeu o deputado federal Felipe Rigoni, também cego, e a deputada federal Tábata Amaral.

Além disso, conta um apoio de peso. Nada menos do que quatro ex-prefeitos de São Domingos: Dimá, Jovita, Etélia e Gervásio.

O sanfoneiro é o último de 9 irmãos. É cego desde o nascimento, mas acima de tudo é um vencedor. 

Mesmo com todas as dificuldades, tornou-se músico aos 14 anos de idade; ingressou no ensino público e concluiu o ensino secundário. 

No decorrer de sua vida escolar, tornou-se um ativista pela implementação do ensino especial na região do nordeste de Goiás, muito carente diga-se de passagem, especialmente cobrando dos órgãos competentes o aprimoramento e benfeitorias do ensino.

E conseguiu grandes avanços. Por isso, acha que pode fazer muito mais sendo um representante da comunidade no parlamento local. 

"Sou pré-candidato a vereador a Convite do Deputado Federal José Nelto, representante do Movimento Acredito em São Domingos, que defende também as pautas da Educação e da Cultura", apresenta-se. 

Um comentário:

  1. Parabéns Docinho vc tem capacidade pra mais que isso pode entrar firme que vc vai chegar lá se Deus quiser...

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.