quarta-feira, 20 de maio de 2020

Ministério da Saúde autoriza uso de hidroxicloroquina em casos leves de covid-19



O Ministério da Saúde autorizou novo protocolo que visa ampliar a recomendação do uso da cloroquina por pacientes com sintomas leves da covid-19. 

A medida foi tomada pelo ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello.

“Dias difíceis. Lamentamos os que nos deixaram. Hoje teremos novo protocolo sobre a Cloroquina pelo @minsaude. 

Uma esperança, como relatado por muitos que a usaram”, disse o presidente Jair Bolsonaro, em mensagem no Twitter.

A decisão foi tomada mesmo depois de estudos recentes apontarem que a droga utilizada contra a malária não tem a eficácia científica comprovada contra o coronavírus e que possui efeitos colaterais.

O tema cloroquina “derrubou” dois ministros da Saúde: O ex-ministro Nelson Teich, exonerado na última sexta-feira, lembrou que o medicamento tem efeitos colaterais e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta chegou a dizer que o uso de cloroquina em casos leves poderia levar ao aumento de hospitalizações por causa de problemas cardíacos.

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, assinou nesta quarta-feira (20) o novo protocolo. A mudança era esperada desde que ele assumiu a pasta após a demissão de Nelson Teich.

Comentário deste blogueiro 

Bem, depois de tanta celeuma, finalmente a questão da cloroquina chegou ao fim com a liberação do medicamento.

Minha posição é clara. Qualquer coisa para salvar vidas, vale. 

Mas veremos daqui a 20 dias como estará o Brasil e suas mortes por Covid-19 após a adoção do medicamento. 

O presidente Jair Bolsonaro e os defensores da cloroquina e contra o isolamento social estarão corretos?

Ontem (19), o Brasil registrou o seu pior por dia contra a pandemia. Foram 1.179 mortes em 24 horas. 

A Covid ontem matou mais dos que todos os casos de AVCs; homicídios, acidentes de carro, câncer e mortes por outros problemas respiratórios, como pneumonia.  

Agora se o número de mortos continuar a subir, mesmo com a adoção da cloroquina, Bolsonaro e seu remédio milagroso - que não é a tubaína - estará em maus lençóis. 

Por que qual outra opção ele terá para combater a doença? 

Voltaremos ao tema daqui a 20 dias para conferir. Bem, se até não estiver abatido pela Covid.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.