sábado, 23 de maio de 2020

Covid-19 atinge os quilombolas Kalungas. Três pessoas estão infectadas em Teresina de Goiás


O que nós temíamos está ocorrendo e com muita rapidez. 

O novo coronavírus chegou ao interior e está atingindo regiões muito pobres, sem ao menos ter leitos de internação decente, imagine UTIs.

E não foi por falta de aviso às autoridades e disponibilidade de informação às comunidades.

Um casal e o filho de 1 ano e 4 meses tiveram o diagnóstico de Covid-19 confirmado em uma comunidade quilombola em Teresina de Goiás, no nordeste do estado.

No local moram cerca de 150 famílias. Outras 2 mil, espalhadas em diversos quilombolas, moram nas cidades vizinhas de Cavalcante e Monte Alegre.

Segundo a TV Anhanguera, a mulher, de 32 anos, é cuidadora de idosos em Brasília, no Distrito Federal. 

Ela trabalha com um idoso que atualmente está internado numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da capital federal por conta do novo coronavírus. 

O marido da cuidadora, de 29 anos, também foi contaminado, assim como o filho deles.

O secretário municipal de Saúde de Teresina de Goiás, Joseme Pereira Lopes, disse à TV Anhanguera que a mulher apresentou os sintomas assim que voltou para casa após retornar num período de folga do trabalho. 

"Ela apresentou os sintomas logo nos primeiros dias. A nossa equipe se deslocou até a sua residência e os colocou em isolamento, prestando toda a assistência necessária à essa família. 

Encontram-se também em isolamento mais três pessoas da comunidade por ter tido contato com essa família", explicou Lopes.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) declarou que monitora, junto às Regionais de Saúde, as notificações de casos de Covid-19 entre os quilombolas, por meio da coordenação de Equidade em Saúde, da Gerência de Cuidado a Populações Específicas.

“A SES-GO se reunirá na próxima segunda-feira, 25, com a prefeitura de Teresina de Goiás, Coordenação Nacional dos Povos Quilombolas (CONAQ), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds) e representantes da comunidade quilombola, para que, juntos, realizem um levantamento da situação dessas comunidades”, diz o texto.

Comentário deste Blogueiro 

Vou ser duro!

É muito sem noção essa cuidadora.

Como uma pessoa que cuida de um idoso em Brasília, ainda mais infectado com a Covid-19, vai passar o fim de semana na casa de parentes?

Ainda mais num local carente e precário de atendimento médico como é o nordeste de Goiás?

Não é falta de informação. 

Todos os dias TVs, rádios, jornais, blogs e redes socais inundam as pessoas com todos os tipos de conteúdo sobre a Covid e alertas de como ela é transmitida, de sua letalidade e agressividade.

Tem comunidade dos Kalungas com mais de 3 mil habitantes e a centenas de km distante de uma cidade. 

E nem essas cidades têm estrutura: Cavalcante, Monte Alegre e Teresina.  Imaginem um surto grande!

Mais um caso em Campos Belos

E subiu para 19 a quantidade de pessoas contaminas em Campos Belos com a Covid-19. 

Muita gente tem torcido o nariz para as nossas publicações. Preferem ver o número de curados. 

Só para não esquecer: em três meses já são 340 mil contaminados no Brasil, com 21 mil mortes. 

Há três dias, o país registra mais de mil mortes por dia. 

Querem ainda colocar o problema para debaixo do tapete? 

preferem ter notícias dos curados? 

Só espero que a morte pela Covid não bata na porta da sua casa. 

O Povo brasileiro é difícil. Assim,  cada país merece o povo que tem. 

Fonte: TV Anhanguera/O Popular

Um comentário:

  1. Tem que mostrar mesmo os curados porque estao fazendo terror com as noticias. Temos que acreditar e ter esperanca que vamos sobreviver e os infectados em campos belos a maioria ja estao curados. Falam como se todos ainda estivessem doentes isso aterroriza e a populacao ja esta bem entendida dos cuidados necessarios pra se proteger.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.