sábado, 2 de maio de 2020

Confirmado o primeiro caso de Covid-19, com morte, em Campos Belos (GO)



A Secretaria Municipal de Saúde de Campos Belos (GO), nordeste do estado, região mais pobre de Goiás, confirmou agora à noite o primeiro caso de Covid-19, com morte, de um morador da cidade. 

A vítima é um idoso de 74 anos, conforme este Blog publicou na última quinta-feira (30), como caso suspeito. 

De acordo com a Secretaria, o idoso ficou por mais de 20 dias internado no HUGO (Hospital de Urgências de Goiânia), em virtude de outra doença pré-existente, também no sistema respiratório. 

Após a alta, voltou para Campos Belos na semana passada. Tornou a passar mal três dias após seu retorno, foi socorrido, mas não resistiu às complicações e morreu após uma crise respiratória aguda grave.

A equipe médica de Campos Belos desconfiou de que o caso poderia ser Covid-19 e mandou coletas de substâncias para exame em laboratório específico de Goiânia. 

Neste sábado (2), o secretário de Saúde de Campos Belos, Guilherme David, confirmou a este Blog  que a causa da morte do idoso foi por complicações da Covid-19, pois o teste foi positivo.

Portanto, este é o primeiro caso registrado na cidade e já evoluiu para morte, devido à gravidade e a letalidade dessa doença. 

Só para constar, neste sábado, o Brasil registrou mais 421 mortes em 24h, chegando a 6.750 e o número de casos superou 96 mil registro. 

Especialistas dizem, que por falta de teste e pela subnotificação, os casos de Covid no Brasil podem ser 7 vezes maior ou seja, quase 700 mil.  

Drama

A Covid-19, para além da morte dos pacientes, traz dor e drama para quem fica, principalmente familiares. 

Após a divulgação da notícia em nosso Blog, este canal recebeu uma quantidade enorme de agressões, principalmente acusando este canal de estar divulgando "Fake News", mesmo a fonte sendo a própria secretaria de saúde do município.

A família do idoso falecido também "batia o pé" dizendo que ele não tinha morrido de Covid e que as informações era um desrespeito à família.

Após essa confirmação de caso positivo, o grande desafio do secretário de saúde Guilherme David será agora identificar quem teve contato com o idoso falecido e isolar todas essas pessoas.

Elas deverão ser monitoradas e isoladas por ao menos 21 dias, porque possivelmente poderão ter contraído a doença.

Como ela demora até sete dias para se manifestar, essas pessoas podem estar repassando o vírus, tendo contato com outras,  inclusive fora do núcleo familiar, vão passando a doença, sem sentir.

E muitos não vão apresentar qualquer sintoma.

Como tenho dito todos os dias aqui no Blog, a grande preocupação era quando o novo coronavírus chegasse às pequenas cidades e às periferias das grandes capitais.

Tudo porque a estrutura de saúde no Brasil é péssima. 

Em Campos Belos, por exemplo, não há UTIs. 

Nos casos graves de Covid-19, os pacientes terão que ser evacuados para Goiânia, conforme o plano do governo estadual. Lá na capital, a situação começa a fugir do controle.

Falta de responsabilidade e compromisso com a sociedade

O que este blogueiro tem visto, ao menos pelas redes sociais, é muita gente de Campos Belos, do Nordeste de Goiás e do Sudeste do Tocantins zombando e debochando da doença e da situação em si.

Ao invés de tomar as medidas de segurança e cuidados como qualquer pessoa inteligente e responsável faria, grande parte tem feito o contrário. 

Muitos fazendo festas, aniversários e confraternizações (com bebidas e churrascos), com muitas aglomerações, como se nada de grave estivesse ocorrendo do outro lado da rua; praticando exercícios físicos e ainda publicando fotos em redes sociais para incentivar os demais a tomarem essas mesmas medidas irresponsáveis. 

Mas quando a conta chegar, e já começou a chegar, será muito cara. 

A região tem muitos idosos, muitas pessoas obesas, com doenças graves como diabetes, pressão alta e problemas no coração. 

A pergunta é: qual a família que não tem um idoso em casa ou uma pessoa com doenças como as citadas acima? 

Então qual o motivo da falta de cuidado?

"Essa situação é muito delicada. Estamos distantes de grandes centros, não temos uma UTI, temos apenas 6 respiradores, nenhuma UTI Móvel para transporte de passageiros com risco de morte. 

Enfim, é fazermos nossa parte e pedirmos a proteção de Deus", comentou um morador da cidade, já prevendo os dias difíceis que virão.

Situação do HUGO é caótica

A suspeita é de que esse idoso de Campos Belos tenha contraído a doença na capital Goiânia, durante a internação no HUGO.


Nesta semana, o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) divulgou que tem 70 profissionais de saúde afastados por suspeita de contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19), com sintomas de gripe.

Além desses 70 afastados com sintomas, há profissionais na unidade que foram afastados por ter contato com pacientes positivos para Covid-19 e aguardam em isolamento o período para realizar o exame. 

O hospital já contratou 19 novos profissionais para realizar as substituições e pretende chegar até 50 substitutos na próxima segunda-feira (4).

Membro do Conselho Estadual de Saúde de Goiás, Luzinéia Vieira, conta que flagrou as enfermarias com a soma de mais de 100 pacientes sendo assistidos por apenas quatro técnicos de enfermagem, no plantão da manhã de quinta. 

Ela relata que, nessa situação, os técnicos de enfermagem não conseguem fazer a verificação da administração dos medicamentos no horário correto. Assim, eles entregam os remédios para os pacientes que ficam responsáveis por utilizá-los por conta própria.

“É humanamente impossível trabalhar com aquele número de profissionais. A direção informou que está fazendo contratação, mas não chegaram esses profissionais”, conta a conselheira. 

Luzinéia e representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás (Sindsaúde-GO) devem voltar para uma nova visita na semana que vem, quando vão verificar se as novas contratações foram realizadas.

Flaviana reforça que a diminuição de funcionário é perceptível. Segundo a sindicalista, em locais onde havia cerca de 50 trabalhadores em visitas anteriores, tinha em torno de 20 na manhã de quinta. 

Tanto o Sindsaúde, como o Conselho, defendem aumentar a testagem entre profissionais de saúde no Estado. “Como o vírus está circulando em todos os andares do Hugo, já deveria ter testado todo mundo. Se não, vão ter que afastar gente demais”, defende Flaviana.

O Sindsaúde-GO tem buscado informações sobre o número total de profissionais contaminados e que foram testados, mas até agora não houve respostas por parte da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia e das organizações sociais (OSs) que administram hospitais públicos.

Atualmente, os testes rápidos do Ministério da Saúde (MS) estão sendo usados apenas em profissionais de saúde e segurança, e seus familiares, com sintomas a mais de sete dias. 

No Hugo, também são afastados profissionais que não estão com sintomas, mas que tiveram contato com pacientes positivados. Dependendo do tipo de contato, que é avaliado dentro de um protocolo, esse trabalhador também fica em isolamento domiciliar.

A reportagem apurou que o número de afastamentos em hospitais estaduais, em especial o Hugo, tem preocupado integrantes da SES-GO. Há uma discussão interna para a testagem de profissionais de saúde de hospitais considerados essenciais no combate ao Covid-19. 

De acordo com a secretaria estadual, está sendo elaborado um inquérito para os profissionais de saúde para fazer o acompanhamento contínuo dos mesmos.

Oito servidores estão em casa aguardando o tempo para realizar a testagem, que é a partir do oitavo dia depois do início dos sintomas. Seis que estavam afastados retornaram ao trabalho nesta quinta. 

A nota informativa da SES-GO enviada para a reportagem não especifica se os três casos de teste positivo estão entre os 70 afastamentos.

Casos de afastamento de profissionais de saúde por suspeita ou confirmação de coronavírus não são exclusividade do Hugo. 

Entre os hospitais estaduais, também houve casos confirmados no Hospital Estadual de Urgências de Anápolis Dr. Henrique Santillo (Huana), na Maternidade Dona Iris, no Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT), na administração central da SES-GO e outras unidades.

O secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, disse que os casos de Covid-19 em hospitais e em profissionais de saúde preocupam, mas já eram esperados. 

“No Hugo deveremos fazer desinfecção nos andares, e onde mais for necessário. O estoque de EPIs está garantido, mas medidas de higiene e proteção individual e coletiva sempre devem ser reforçadas. 

Toda vida importa, mas a dos profissionais de saúde neste momento crítico, todo cuidado é pouco.”

Com informações de O Popular

Um comentário:

  1. E IMPORTANTE RELATAR QUE CHAMEI A ATENÇÃO DO SECRETARIO GUILHERME QUE PESSOAS IDOSAS HUMILDES QUE ESTAVAM EM ISOLAMENTO
    EM SUAS CASAS,SEM OCUPAÇÕES TERIAM O DIREITO DE VER TELEVISÃO, SÃO CIDADÃOS SEM PARABÓLICAS OU TV POR ASSINATURAS, MAIS COM BOM BRIL NA ANTENA,E O SECRETARIO
    FOI SOLIDÁRIO, HOJE POBRE EM CAMPOS BELOS FICA ISOLADO EM CASA MAS VER TV, COMO PASSA TEMPO, GRATO GUILHERME.
    FIQUEM EM CASA
    ATT EDIJALDO

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.