segunda-feira, 25 de maio de 2020

Autoridade diz que leilão em Campos Belos foi embargado, com razão


Uma autoridade de Campos Belos (GO), ouvida pelo blog, disse que as forças policiais foram solicitadas pela Promotoria de Justiça para que se fizesse cumprir a recomendação do MP (Ministério Público de Goiás). 

"Há um estado de calamidade pública em vigor. Por isso, a Promotoria de Justiça, a Vigilância Sanitária foi até a delegacia e solicitou o apoio que precisaria para retirar as mais de 50 pessoas que haviam lá dentro", disse a fonte

Ainda segundo a autoridade, a existência de mesas com espaçamento em nada mudou o caráter de aglomeração que se presenciou lá dentro.

"Assim, como eles estão passando dificuldade, os restaurantes da cidade também e mesmo assim, não podem sequer abrirem as portas para seus clientes se não for no regime "delivery" ou "drive thru".

Não existe exceção para mais rico ou menos rico em Campos Belos. Quando se fala de Saúde Publica, a Segurança Pública não vai fazer juízo de valor sobre quem é mais ou menos importante, liberando "a" ou "b" para fazer suas reuniões", argumentou a autoridade. 

A fonte classificou de muito correta a atitude da Promotoria de Campos Belos, quando fomentou o leilão virtual e foi ignorada tal recomendação.

"A retirada dos produtores poderia ter sido direto para a Delegacia de Policia, mas adotou se uma postura de negociação e nem foi escorraçado de sua casa, foram recomendados a sair do sindicato para que nenhum deles respondesse pelo 268 do Código Penal.

Caso a Promotora entenda que deva ser instaurado procedimento criminal contra cada um dos que estavam lá, será feito, pois a primeira coisa que foi feita, foi um vídeo com o rosto de cada um que estava lá dentro", completou a autoridade. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.