sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Doze presos da Cadeia Pública de Arraias (TO) conquistam vaga na Universidade pelo SISU



A educação é um dos fortes eixos para a reintegração social. Diante disso, por meio do Exame Nacional Para Jovens e Adultos Privados de Liberdade (ENEM PPL), onze presos da Cadeia Pública de Arraias foram selecionados na segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para cursar o ensino superior na Universidade Federal do Tocantins (UFT), campus de Arraias.

Este ano, 478 pessoas privadas de liberdade do sistema prisional fizeram as provas do Enem PPL e 269 tiveram pontuações aptas para efetuar inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Em janeiro deste ano, após um apenado da unidade ter sido aprovado em 6º para o curso de Matemática, outros onze reeducandos também conseguiram ser selecionados. 

Seis deles obtiveram nota suficiente para cursar Turismo Patrimonial e Socioambiental, três para Pedagogia e outros dois para cursar Licenciatura em Matemática na UFT. 

Os apenados cumprem pena em regime fechado e aguardam autorização judicial para frequentar as aulas presencialmente na universidade.

Oportunidade

Segundo o diretor da Cadeia de Arraias, Weudes Taveira Araújo, possibilitar que os apenados tenham acesso à universidade auxilia no processo de ressocialização dos mesmos. 

“Para os reeducandos, ter a oportunidade de cursar ensino superior é uma ótima maneira de serem reintegrados na sociedade, tendo assim a chance de construir um futuro promissor em sociedade após o cumprimento de sua pena,” explicou o gestor.

Para a pedagoga Antelina Isaías Vieira, que auxiliou os adultos privados de liberdade no processo de preparação para o Exame, a educação pode ser um instrumento capaz de transformar vidas. 

“Trabalhamos com os alunos maneiras para que eles possam mudar seus destinos, ressaltando que através do estudo eles podem conquistar todos os seus objetivos,” elucidou.

A pedagoga explicou ainda que os apenados se preparam para as provas mediante material disponibilizado pela Escola Estadual Silva Dourado. 

“Fornecemos excelentes livros de Literatura e Gramática atualizada para que eles pudessem se capacitar para as provas e Redação, tanto do Enem PPL como Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos Privados de Liberdade, o Encceja PPL,” disse Antelina.

Mudança de vida

Entre os aprovados está o reeducando A. B. R., 39 anos, que realizou o Enem PPL pela primeira vez no ano passado e foi aprovado na segunda chamada para o curso de Pedagogia. 

“Os professores traziam os livros e eu lia aqui dentro da cela. No início senti dificuldade para estudar o Inglês, mas trouxeram um dicionário que facilitou para tirar algumas dúvidas,” relatou o apenado.

Ainda segundo o reeducando, “estou terminando de cumprir minha pena e quero sair daqui cursando ensino superior. Isso facilitará para que eu consiga um emprego lá fora,” finalizou.

Fonte: Governo Tocantins 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.