segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Homem, natural de Divinópolis de Goiás, mata ex-companheira e comete suicídio em São Desidério (BA)





Um homem, inconformado com a separação, matou a ex-esposa, Pedrina de Jesus Lima, 30 anos, em um crime cruel que abalou a cidade de São Desidério, Oeste da Bahia. 

Joaquim Pereira dos Santos, 43 anos, conhecido com Quinca, natural de Divinópolis de Goiás, entrou na residência dos pais da vítima, que fica no bairro São José do CTI, e a retirou a ex-mulher a força da residência  

Em seguida, a levou em seu veículo, um VW Voyage, de cor verde, para a estrada do povoado de Penedo, próximo ao Sítio do Rio Grande, no mesmo município.

Segundo o irmão da vítima, Gilvan de Jesus Lima,  Pedrina de Jesus foi acordada e puxada pelos cabelos, em seguida, colocada dentro do automóvel, que seguiu destino por uma estrada vicinal, onde capotou. 

Depois do acidente, o criminoso executou Pedrina com vários golpes de faca, e em seguida suicidou-se com um tiro de rifle em um dos ouvidos.

O casal de idosos, Lourenço de Souza Lima de 83 e sua esposa Maria de Jesus Lima de 70 anos, ficou desesperado com o rapto de Pedrina e informou o caso ao filho Geferson de Jesus Lima.

Ele acionou a Polícia Militar e, à bordo de duas motocicletas, pediu ajuda aos vizinhos para tentar localizar a irmã, mas infelizmente já chegaram ao local tarde demais.

Gilmar informou que a convivência da vítima com Joaquim durou menos de cinco meses por causa das brigas, motivadas por ciúmes e ameaças. 

“Ele não se conformava com a separação e prometia matar minha irmã, mas não imaginamos que o mesmo fosse capaz de fazer uma coisa dessas”, comentou.

Os corpos de ambos foram encaminhados para realização de exames no Complexo Policial de Barreiras.

Com informações do Blog Alô Alô Salomão, de Barreiras (BA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.