terça-feira, 24 de março de 2020

Político de peso: Jesus Côrtes é considerado um dos melhores prefeito de Campos Belos (GO), desde sua criação. Foi vereador por duas vezes e vice-prefeito de Ranufo

Década de 70: Jesus e seus secretários - Brasibal e Zé Januário 

A lenda: Jesus Côrtes de Brito, aos 91 anos

Por Jefferson Victor, 

Morreu neste domingo(22), aos 91 anos, em Caldas Novas (GO), o ex-prefeito de Campos Belos (GO), Jesus Côrtes de Brito.

Ele fez uma das mais brilhantes administrações e que até hoje suas realizações contemplam a comunidade local e até mesmo a região.

A causa morte foi insuficiência renal e falência múltiplas dos órgãos, isso tudo, devido a um câncer que aos poucos foi minando sua resistência por 10 sofridos anos, o que lhe prendeu a uma sala de hemodiálise, até que essa interferência já não foi mais possível em virtude do seu estado de saúde.

Por volta de 1955 conheceu dona Helena, filha de seu Elpidio e de dona Zumira, ambos já falecidos.


Com ela teve sete filhos: Orsom Mardem e Jesus Carlos , ex-vereadores de Campos Belos, Marcus Aurélio, ex-vereador de Caldas Novas e atual assessor parlamentar da deputada Magda Mofato; Mércia Cristiane, Claudiane Alves de Brito, Claudiene Alves (in memorian), e Claudivânia Alves de Brito.

De outros dois relacionamentos nasceram: Julio Cesar (in memorian), Paulo Roberto F. de Brito, ex-prefeito de Cachoeira Dourada (GO), Marcia Fernandes de Brito, José Godoy Jesus, Isabela Estrela de Brito e Marys Ohane de Brito.

Nascido no Maranhão, Jesus morou inicialmente em Niquelândia (GO), Arraias (TO) e em seguida mudou-se para Campos Belos (GO) onde iniciou a sua brilhante carreira como político. 


E diga-se, um político de peso, com "P" maiúsculo. 

Foi vereador por dois mandatos, presidente da Câmara, foi vice-prefeito de Ranulfo Cordeiro e prefeito de Campos Belos no período de 1973 a 1977.

Homem do bem, honesto e muito honrado, pegou um tempo de imensa dificuldade. O município tinha uma população de cerca de três mil pessoas, com muitas dificuldades de abastecimento de água, luz. Faltava emprego, escolas de qualidade e uma absurda deficiência na área de saúde.

Os casos mais graves eram encaminhados para Taguatinga, hoje Tocantins, e principalmente acesso aos grandes centros. Ele governou em uma das piores épocas, quando o nordeste de Goiás era denominada de corredor da miséria.

Era um período de muitas dificuldades e ainda concorria com Arraias, que tinha maior representação política. 


As obras necessárias ao desenvolvimento prioritariamente eram direcionadas ao município de Arraias, mas por questão de localização estratégica, importantes obras foram implantadas em Campos Belos, sob sua administração.

Em 1973 veio o Consórcio Rodoviário Intermunicipal (Crisa), órgão de suma importância para toda região. Com ele Campos Belos e municípios vizinhos puderam encascalhar suas ruas, as quais, antes, formavam enormes atoleiros dentro das cidades e prejudicava a circulação dos poucos carros daquele tempo.

Além disso, passou a conservar as estradas da região, passou a ter socorro em trechos com atoleiros. Às vezes uma viagem até Brasília durava dias e com a chegada do Crisa, essas viagens passaram a ter duração dentro da normalidade.

Outra importante construção de Jesus Côrtes foi a Casego, o que permitiu que grandes produtores pudessem armazenar suas colheitas, e com isto houve um crescimento significativo da produção de grãos na região.


Implantou o Hospital Regional 

Naquela época, havia a liberação de um hospital regional que seria implantado em São Domingos. 


Mas Jesus agiu rápido e com a ajuda do então deputado federal Resende Monteiro, e do então deputado estadual Coronel Pereira, conseguiu junto ao governo de Goiás a transferência para o município de Campos Belos.

A ação levou a uma pequena crise e desconforto ao prefeito Rosendo, de São Domingos, que havia perdido o Consorcio e também essa importante obra.

O Colégio Polivalente, até hoje o mais importante da região, foi implantado na administração de Jesus. 


O prédio ficou pronto, porém sua inauguração aconteceu já não no governo do seu sucessor, Domingos Cardoso.

A Saneago, a merenda escolar, o atual Aeroporto também foram implantados em seu mandato.


Jesus fez uma administração humanizada, distribuiu lotes para as pessoas necessitadas, e isto causou alguns conflitos políticos, vez que pessoas com alto poder aquisitivo queriam ser contemplados. Mas o fato de não serem atendidos rendeu muitos desafetos.

Após a conclusão de seu mandato, o prefeito de Arraias, Rivalino Teixeira, ofereceu a Jesus uma casa mobiliada para ele voltar para Arraias.


Jesus Côrtes preferiu continuar em Campos Belos onde construiu sua vida e sua família. 

Não houve espaço para homenagens 

Devido às proibições por conta do coronavirus, não houve velório, seu corpo saiu do IML direto para o cemitério local, onde foi sepultado na tarde de ontem, dia 23 de março.

A família informa que o corpo não foi removido para Campos Belos em função das proibições.

Externamos à família os nossos mais sinceros sentimentos, pedindo ao bom Deus que console cada um neste momento de muita dor.

A família perde um grande pai, avô e marido. Campos Belos perde uma lenda.

3 comentários:

  1. Minhas homenagens a Jesus Côrtes de Brito, um campo-belense de coração.
    Eu o conheci na minha adolescência, quando minha mãe, Felipa dos Santos e Silva, servidora da Prefeitura Municipal, exercia a função de Agente Postal, numa parceria entre o então Departamento de Correios e Telégrafos – DCT e o Município de Campos Belos.
    Último prefeito quando da minha residência em Campos Belos, permanece vívida na minha memória a forte imagem de um homem humilde e correto, que foi Jesus Brito, um gestor de muitas realizações em tempos de precária infraestrutura econômica e social em todo o nordeste goiano.
    Condolências à Família Côrtes Brito

    João Filon dos Santos Silva

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.