sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

UEG divulga locais de prova do Vestibular 2020


Na última  quarta-feira (11), a Universidade Estadual de Goiás (UEG), divulgou os locais de prova do Vestibular 2020/1. 


As provas serão aplicadas no próximo domingo (15), das 13h10 às 17h10 para todos os cursos, exceto Medicina, que terá provas até as 18h10. Para conferir o local da prova, acesse o site nucleodeselecao.ueg.br.

As provas serão aplicadas em Anápolis, Aparecida de Goiânia, Caldas Novas, Campos Belos, Ceres, Crixás, Edéia, Formosa, Goianésia, Goiânia, Goiás, Inhumas, Ipameri, Iporá, Itaberaí, Itapuranga, Itumbiara, Jaraguá, Jataí, Luziânia, Minaçu, Mineiros, Morrinhos, Niquelândia, Palmeiras de Goiás, Pirenópolis, Pires do Rio, Porangatu, Posse, Quirinópolis, Sanclerlândia, Santa Helena de Goiás, São Luís de Montes Belos, São Miguel do Araguaia, Senador Canedo, Silvânia, Trindade, Uruaçu. 

Para Medicina só haverá provas em Goiânia e Itumbiara.

Concorrência e Vagas

Com 20.174 inscritos no Vestibular 2020/1, a UEG tem Medicina como o curso mais concorrido: 193,83 candidatos por vaga. Em seguida estão Medicina Veterinária, com 24,87 candidatos por vaga e Psicologia, com 20,65 candidatos por vaga.

Estão sendo oferecidas 3.694 vagas para 40 opções de cursos, divididos em diversos campus. Das vagas a universidade reserva 50% para o sistema de cotas, sendo distribuídas da seguinte forma: Estudantes de escolas públicas (25%), Negros (20%) e Indígenas e pessoas com deficiência (5%).

Para o curso de Medicina as vagas são apenas para a cidade de Itumbiara. A oferta é de 24 vagas, sendo 12 para a ampla concorrência e as outras 12 para os cotistas.

Resultado

A UEG deve divulgar o resultado final do processo seletivo no dia 11 de fevereiro de 2020, e as matrículas devem ser realizadas em 19 e 20 de fevereiro. Para mais informações acesse o edital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.