sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Alto Paraíso de Goiás receberá ações do Projeto Rondon em 2020



Criado em 1967 com um caráter mais assistencialista e, na época subordinado ao Ministério do Interior, o Projeto Rondon visa à soma de esforços entre governos federal, estadual e municipal, lideranças comunitárias e população, a fim de contribuir com o desenvolvimento local sustentável, com a construção e promoção da cidadania. A primeira etapa do programa durou até 1989.

A segunda fase foi relançada em 2005 e permanece até os dias atuais, agora com a coordenação do Ministério da Defesa. 

O objetivo principal migrou do assistencialismo para a capacitação. 

O intuito, agora, é impactar as lideranças comunitárias, os agentes multiplicadores, os difusores e os replicadores, professores, agentes de saúde, servidores públicos, organizações da sociedade civil e comunidade geral, capacitando-os em diversas áreas de conhecimento, como saúde, educação, direitos humanos e justiça, cultura, trabalho, meio ambiente, entre outras.

“São ações que temos buscado para nosso município ao longo desse nosso período de gestão, mas que, em alguns pontos, esbarram nas dificuldades financeiras e na burocracia do sistema político nacional. 

Com o Projeto Rondon teremos a oportunidade de oferecer para nossa comunidade esse conjunto de importantes ações, em parceria com o governador Ronaldo Caiado e com o Governo Federal, através do Ministério da Defesa.” disse o prefeito Martinho Mendes ao assinar o termo de cooperação.

As operações do Projeto Rondon são realizadas nos meses de janeiro, fevereiro e julho, quando equipes de universitários e professores são enviadas a dezenas de municípios para executar o trabalho planejado ainda nos bancos acadêmicos e aprovados pela Comissão de Avaliação de Propostas do Projeto Rondon (CAPPR). 

Essas equipes priorizam áreas que apresentam maiores índices de pobreza e exclusão social, como é o caso do nordeste goiano, bem como áreas isoladas do território nacional que necessitem de maior aporte de bens e serviços.

A atuação dos universitários tem por prioridade o desenvolvimento de ações transformadoras e duradouras para a população e a administração municipal, ampliando as forças e os valores da sociedade local por meio de atividades participativas, democráticas e emancipadoras.

Desde o relançamento, em 2005, o projeto realizou 84 operações, em 1.237 municípios de 24 unidades da federação, com a participação de 2.355 instituições de ensino superior e 23.401 “rondonistas” (universitários e professores), alcançando cerca de 2 milhões de pessoas.

Fonte: MD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.