sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Liminar ao MP suspende serviços irregulares de assessoria jurídica à prefeitura de Campos Belos (GO)




Acolhendo em parte pedidos do Ministério Público de Goiás (MP-GO), o juiz Fernando Marney de Carvalho suspendeu os contratos firmados entre a prefeitura de Campos Belos e as empresas Garcez Sociedade Individual de Advocacia e Tiago Custódio dos Santos ME e o advogado Josiniro Coelho, até julgamento final do processo. 


A decisão também proíbe o prefeito Carlos Eduardo Terra de fazer qualquer procedimento para contratação de assessoria jurídica na forma dos contratos questionados.

No início desta semana, o promotor Bernardo Frayha propôs ação civil pública de nulidade de contratação de prestação de serviços advocatícios e obrigação de fazer e não fazer contra o prefeito e os contratados. 

Isso porque o gestor, por meio de inexigibilidade de licitação, contratou três empresas para prestação de serviços de assessoria jurídica, cujos custos atingem o valor de R$ 254.718,00, somente em 2019.

Ele observa que vigora no município a Lei nº 870/2004, que criou a Procuradoria Jurídica do município, com os cargos de procurador-geral, assessor jurídico I, assessor jurídico II, chefe de Gabinete, chefe de Divisão de Processos e motorista, sendo que, em 2018, em razão do advento da Lei nº 1.291/2018, a Procuradoria Jurídica do Município passou a ser integrada pelo procurador do Município e pelo assessor jurídico da Procuradoria. 

“Não obstante a criação do órgão e dos respectivos cargos, o prefeito de Campos Belos praticou a irregularidade”, afirma o promotor.

No processo, é requerida a rescisão dos contratos, determinando-se que apenas o ocupante do cargo de procurador jurídico do município exerça as atribuições previstas pela norma. 

Foi pedida, por fim, a deflagração de concurso público para o provimento dos cargos de procurador e assessor jurídico municipal, no prazo de 180 dias. 

Caso não haja orçamento para a providência, que seja incluída a verba necessária no exercício seguinte ao da determinação. 

Procurada, a prefeitura de Campos Belos se posicionou:

Após elevar votos de Estima e Apreço, venho por meio desde falar sobre “Liminar ao MP suspende serviços irregulares de assessoria jurídica à prefeitura de Campos Belos” com isto informamos que a prefeitura vê com naturalidade o pedido do Ministério Público porém, não concorda com os termos alencados, tendo em vista que, a jurisprudência que vem sendo adotada pelos tribunais é no sentido de que a questão da necessidade e da obrigação de implantar as procuradorias do município, já estão pacificadas que não há a obrigatoriedade, tendo em vista, que a constituição não prevê. 

E quanto a questão sobre a contratação dos advogados está dentro do que estabelece os padrões da OAB, e com isto o município irá recorrer da decisão nos próximos dias para tentar reverter o que foi determinado Desde já agradecemos e nos colocamos a vosso inteiro dispor para sanar quaisquer dúvidas que por ventura possam surgir.

Com informações do MPGO 

Um comentário:

  1. São Braz!!!!
    Representante da prefeitura fugiu da escola.
    A língua portuguesa padrão, que deveria ser utilizada em ambientes formais, foi terrivelmente maculada nessa nota.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.