quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Evento discute atividade turística nas Serras Gerais


O Ministério do Turismo participou, na última sexta-feira (20.09), Natividade (TO), do Fórum “Efeitos do Turismo no Desenvolvimento Regional”. 

O evento, promovido em parceria com o Sebrae local, reuniu cerca de 200 pessoas entre pequenos empresários, instituições do trade turístico e poder público.

Dentre os temas debatidos, o turismo como fator de desenvolvimento regional, o associativismo e o cooperativismo como agentes de desenvolvimento e as oportunidades de crédito e financiamentos para o turismo.

Para a coordenadora-geral de Mapeamento e Gestão Territorial do Turismo, Ana Carla Fernandes, que participou do Fórum, o debate foi construtivo para o desenvolvimento da Política Pública de Turismo da Região Turística das Serras Gerais. 

“Foi de grande valia discutirmos, junto aos representantes do setor público e privado de toda a região, a estruturação e o ordenamento do turismo, bem como sobre a regionalização e os programas de financiamento do MTur. 

Precisamos unir forças para criar soluções eficazes e que agreguem no âmbito do turismo da região”, ressaltou a coordenadora.

Também estiveram presentes a coordenadora-geral de Sustentabilidade e Turismo Responsável, Gabrielle Nunes, e o chefe de gabinete do ministro do Turismo, Hercy Filho.

SERRAS GERAIS 

Localizada entre os municípios de Aurora do Tocantins e Taguatinga (sudeste do Estado), as Serras Gerais do Tocantins fazem parte da maior cadeia de serras do Brasil. 

Além das maravilhas naturais, guardam tradições, arquitetura colonial, história e cultura, como as Cavalhadas, as festas do Senhor do Bonfim e do Divino Espírito Santo. 

Essas festas folclóricas e religiosas foram herdadas do colonialismo e da era do ciclo do ouro, como em Natividade, quando o município era grande produtor de joias.
Fonte: MTur

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.