domingo, 15 de setembro de 2019

Dianópolis (TO): Mulher mata cunhado a facadas para defender irmã de suposta agressão do marido


Monalisa Lopes Carvalho, 30 anos, está presa desde a madrugada deste sábado, 14, em Dianópolis, suspeita de ter matado o cunhado Wanderson Fernandes Lustosa a facadas na noite de sexta-feira, 13.

Ao delegado Clezio Lima Neves, a mulher contou que dividia a casa com a irmã, o cunhado e um sobrinho, e acertou o cunhado porque ele estaria agredindo sua irmã. 

Disse ainda que ele a agredia também, por ser um suposto traficante de drogas, e teria lhe atacado primeiro com um golpe que lhe atingiu a perna. 

A prisão dela ocorreu no hospital da cidade, onde buscou tratamento após o episódio.

Sua irmã, porém, contou outra versão à polícia.

Morgana Carvalho, 29, conta que estava deitada com o esposo e que este gemia com dores quando a irmã lhe questionou se estava sendo agredida pelo homem na frente do filho e ela negou. 

 Mesmo assim, disse no depoimento, que o marido e a irmã iniciaram uma discussão que se agravou quando ele jogou objetos do quarto na parte da casa onde morava a cunhada.

Além disso, afirmou ao delegado, que a irmã estava bêbada na hora da briga, e já entrou no quarto com as facas quando acertou seu marido no peito, e depois que o homem correu para a rua e caiu ainda o atingiu com outros golpes, além de ter ameaçado matá-la quando tentou defender o marido que estava sem reação.

Na versão de Monalisa, entretanto, ela diz que após ser avisada por uma pessoa que a irmã sofria agressão, entrou na casa abriu a porta do quarto, viu a irmã e o cunhado em luta corporal, o sobrinho chorando, e criticou a irmã por permitir ser agredida na frente do filho. 

Após sua intervenção, Wanderson teria atirado objetos da casa sobre ela, que se protegeu com a cortina do quarto. 

Só então se armou com duas facas na cozinha para se defender do cunhado, que estaria armado com outra faca, e lhe acertou um golpe na perna primeiro.

No depoimento, assume que acertou uma facada no cunhado, que teria sido retirado da luta pela esposa para fora da casa, onde as duas discutiram e sua irmã também tentou acertá-la já no meio da rua, onde o cunhado caiu e morreu. 

Por fim, a suspeita negou que tenha golpeado o homem no chão.

O promotor de Arraias, João Neumann Marinho da Nóbrega, pediu a prisão preventiva da mulher na tarde deste sábado.

Fonte: Jornal do Tocantins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.