quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Exemplo a ser seguido: reeducandos trabalham na revitalização da Cadeia Pública de Taguatinga (TO)





A Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) busca constantemente a melhoria das instalações e dos serviços prestados em unidades prisionais, incentivando a ressocialização através da atividade laboral. 

Na Cadeia Pública de Taguatinga, por exemplo, a mão de obra de reeducandos (presos) da unidade possibilitou a revitalização do espaço físico. A reforma da unidade, localizada na região sudeste do estado, foi concluída no fim do mês de julho.

Foram 20 reeducandos que trabalharam na revitalização que contou com pintura de paredes, trocas e reparos na parte elétrica e hidráulica, além da pintura de grades e celas. 

A obra contou com a experiência em construção civil de servidores e apenados que contribuíram no acompanhamento e conclusão da reforma, como mestre de obras, pedreiro, eletricista e pintor. 

Os apenados serão beneficiados com a remição da pena pelo trabalho prestado.

De acordo com o diretor da unidade, Myller Bispo de Assis, a ideia da reforma teve o intuito de melhorar o ambiente carcerário e proporcionar um ambiente mais confortável para todos. 

”Após assumir a gestão da unidade, em janeiro desse ano, fomos correr atrás de verbas para a obra. Agora com a obra concluída já conseguimos ver muitas mudanças, o ambiente é outro! Foi possível reformar toda parte administrativa, inclusive o alojamento dos plantonistas”, informou.

Para o diretor, a reforma também foi importante para contribuir com a ressocialização, qualificação e diminuição da ociosidade dos reeducandos. 

“A maioria dos reeducandos quer fazer algo, mesmo que seja somente para sair da monotonia”, disse Myller, informando que avançarão nas obras da unidade, com a construção de mais duas celas e muro em volta do estabelecimento penal.

O reeducando, K.T.L,39, que trabalhou na reforma da unidade, diz que se sente útil contribuindo para a melhoria do espaço físico. 

“Além da oportunidade de diminuir a pena, a gente se sente valorizado, em receber um voto de confiança. E também sei que agora sou uma pessoa melhor”, garantiu.

A obra foi iniciada em maio de 2019, com recursos oriundos do Poder Judiciário, através de transações penais e de doações de materiais. 

A reforma ainda recebeu apoio direto e indireto da vara criminal, da Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministério Público Estadual (MPE), Igreja Universal, cerâmica Imperial, gráfica modelo e de servidores da unidade.

Fonte: SSP TO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.