segunda-feira, 17 de junho de 2019

Upa de Dianópolis (TO) vira elefante branco e famílias sofrem com a falta de atendimento médico

Upa pronta e sem funcionamento há muito tempo. Elefante Branco, diz leitor 
"Caro Dinomar Miranda, 

sou um leitor assíduo de seu blog, eu o vejo como principal ferramenta de Comunicação do Nordeste Goiano e o Sudeste do Tocantins.

Por isso, eu gostaria que houvesse alguma matéria retratando a calamidade do Hospital Regional de Dianópolis-TO.

A situação está muito crítica, pois muitas das vezes, não há médicos no hospital.

Outro grande problema é a UPA, que está pronta há muito tempo, mas por descaso com o povo, nunca foi inaugurada.

Os moradores de Dianópolis e região têm que se deslocar para Palmas (TO) ou Luiz Eduardo Magalhães (BA), se quiserem algum atendimento que preste.

Diversas vezes, minha família e eu precisamos de atendimento e tivemos que nos auto medicar ou ir para outras cidades para recebermos cuidados médicos.
Quero que esta denúncia seja anônima, pois sei que eu e minha família sofreremos retaliações dos "donos" da região.

Do jeito que está, a UPA de Dianópolis é mais um " elefante branco " do Brasil."

Um comentário:

  1. Antes de se propor a repassar uma informação sendo anônima ou não tem que ir atrás para ver se está abandonada ou se os responsabeis estão atrás para tentar transformar o prédio uma vez que em todo Brasil ocorreu isso construíram upas isso inalguraram mas as prefeituras não tem como comprar e arcar com materiais e funcionários desta forma ainda tem uma cláusula que impede para outro uso o prédio mas no sentido me pareceque em Dianopolis já entraram na justiça para derrubar a cláusula e tentar utilizar o prédio na área da saúde não sendo upa mas pelo menos não ficará perdido. Investige antes ou será só um blogue de fofoca...

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.