quinta-feira, 6 de junho de 2019

Polícia Civil de Campos Belos (GO) prende idoso acusado de cometer diversos abusos sexuais contra menores



A Polícia Civil de Campos Belos (GO) prendeu um idoso acusado de cometer diversos atos de abuso sexuais contra menores, principalmente usando como moeda de troca bens materiais, a exemplo de cestas básicas e presentes.


De acordo com as informações, Policiais Civis cumpriram o mandado de prisão contra o homem, nesta semana, após determinação judicial.

Participaram das investigações e prisão do criminoso os agentes Edson Diniz de Souza e Tuila Ramos França, que deram cumprimento ao mandado de prisão preventiva contra ele, por ter descumprindo medida cautelar de afastamento de menores de 14 anos.

Segundo as investigações, o idoso era conhecido por praticar atos libidinosos, diversos de conjunção carnal, em troca de ajudas humanitárias, como cestas básicas e roupas.

Apos tomar conhecimento da ações criminosas reiteradas, a Autoridade Policial de Campos Belos instaurou procedimento apuratório e representou pela prisão preventiva.

No entanto, a prisão foi negada pelo Poder Judiciário Judiciaria, aplicando medidas cautelares.

Ocorre que meses depois o investigado continuou com suas condutas criminosas, o que levou à revogação da medida cautelar imposta e a consequente decretação da prisão preventiva.

"Foi graças à atuação do Conselho Tutelar, que fiscalizou a atuação do preso contra as menores é que foi possível convencer o juízo a mudar de ideia em relação ao deferimento da prisão", disse uma fonte da PC. 

Cientes do mandado, foi expedido ordem de missão policial para o cumprimento da determinação judicial, que foi cumprida nesta quarta-feira (6).

Ao encontrá-lo, foi lido o mandado expedido em desfavor dele e garantidos seus direitos constitucionais e legais. Após os procedimentos protocolares foi recolhido a Agência Prisional de Campos Belos e colocado a disposição da justiça.

3 comentários:

  1. Na reportagem não divulgou o nome do infrator e nem a foto do rosto do individuo,Assim para min a informação fica incompleta, não tem como conhecer o meliante,acaba q pode ser qualquer cidadão.

    ResponderExcluir
  2. Concordo, com o relato do Unknown. Se não pode mostrar o rosto, mais o nome deveria ser divulgado.

    ResponderExcluir
  3. No Estado democrático de direito, inquérito é o primeiro procedimento para investigar a culpa. Depois, tem denúncia e, por fim, julgamento. Não se expõe ninguém sem culpa formada. Muita calma nessa hora. ...

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.