sexta-feira, 7 de junho de 2019

CREA/GO contrata banca organizadora e divulga cargos para novo concurso. Há vagas para Campos Belos e Formosa (GO)


Foi divulgada a banca organizadora contratada para realização do novo concurso público do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA/GO). 

O Instituto Quadrix será a responsável pela organização do certame, que ofertará vagas para cargos de nível médio e superior. A quantidade de vagas ainda não foi divulgada.

Para nível médio serão ofertadas vagas de agente de fiscalização e assistente administrativo, para receber remunerações de R$ 3.037,36 e R$ 2,057,33, respectivamente. 

Já para nível superior os candidatos poderão optar entre as áreas de TI, administrativo e contador onde receberão remuneração de R$ 4.444,03. 

Também haverá vagas para advogado que receberá R$ 7.900 e R$ 8.483 para os aprovados nas áreas de engenheiro - agrônomo, eletricista e mecânico.

As lotações serão para as cidades de Águas Lindas de Goiás, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Aragarças, Caldas Novas, Campos Belos, Catalão, Ceres, Cristalina , Formosa, Goianésia, Goiânia , Goiás, Goiatuba, Ipameri, Iporá, Itumbiara, Jataí, Luziânia, Minaçu, Mineiros, Morrinhos, Palmeiras de Goiás, Pires do Rio, Porangatu, Quirinópolis, Rio Verde, Santa Helena e Uruaçu.

 Provas nas cidades: Campos Belos, Catalão, Formosa, Goianésia e Goiânia.

Último concurso

Em 2014 foi realizado o último concurso do CREA/GO que ofertou 38 vagas e foi organizado pelo Instituto Nacional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Ineaa).

Os candidatos puderam optar entre os cargos de assistente administrativo, agente de fiscalização e analista nas áreas de advogado, psicólogo, engenheiro civil, engenheiro eletricista, engenheiro da modalidade elétrica e engenheiro da modalidade mecânica e metalurgia ou química.

Fonte: Agência Estado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.