quinta-feira, 2 de maio de 2019

Sistema Faeg Senar recebe policiais que reforçarão segurança no campo


A Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), o Conselho de Segurança Rural de Goiás (CONSEG-Rural) e o Policiamento Rural da Polícia Militar se mobilizaram para grandes ações de combate ao crime no campo. 


Já que de acordo com o relatório de ocorrências da zona rural da Secretaria de Segurança Pública, Rio Verde e Bela Vista de Goiás foram os municípios apontados com mais registros de crimes no campo, nos últimos dois anos. 

O furto de bovinos aparece no topo da lista sendo 1280, em 2017, e 1.183, em 2018.

Para isso, desenvolveram o Curso de Formação de Praças (CFP), com o objetivo de capacitar os alunos na modalidade de policiamento rural e no Programa Patrulha Rural Georreferenciada. Cerca de 30 alunos irão se apresentar na próxima sexta-feira (03), a partir das 08h, no auditório da Faeg, localizado na Rua 87, nº 662, no Setor Sul.

O assessor jurídico da Faeg, Augusto César Andrade informou que a parceria é para apresentar a importância do rural na sociedade goiana e colocar à disposição para contribuir com o aumento de segurança pública no estado. “Vamos receber estes novos PMs com alegria porque serão os primeiros lotados diretamente no Batalhão de Policiamento Rural,” conta ele.

De acordo com o chefe da seção de Comando e Controle Rural da Coordenação do Policiamento Rural da Polícia Militar, 1º tenente da PM, Vinícius de Melo Roldão, os novos policiais militares estão em formação na Academia de Polícia Militar.

“Durante o curso de formação, os alunos passam por três meses de estágio operacional nas unidades da Polícia Militar de Goiás. Como esse efetivo irá trabalhar no Batalhão Rural após esse período, já irão iniciar o estágio para capacitação. 


O batalhão vai apoiar todas as regiões do estado de Goiás. O objetivo dessa apresentação será para participarem de uma palestra sobre a importância do agronegócio goiano e nacional, e também para contextualizá-los sobre a importância da implantação de um Batalhão especializado em Policiamento Rural,” esclarece Roldão.

O coordenador das Patrulhas Rurais em Goiás, tenente-coronel Daniel Galvão ressalta que a qualificação específica é uma modalidade de patrulhamento especializado. 


“Estes alunos soldados foram disponibilizados pelo Comandante Geral, com o objetivo de estarem formados e comporem o efetivo na nova unidade que será inaugurada no dia 25 de julho. 

Essa ação é bastante significativa já que demonstra uma demanda antiga da Faeg e Sindicatos Rurais, além de demonstrar o interesse do governador do Estado, do secretário geral e do comandante em ter o primeiro efetivo incorporado em prol do homem do campo,” afirma.

Programação do evento

08h - Café

09h- Abertura com pronunciamento das autoridades

09h30 - Palestra sobre a importância do Agronegócio Goiano e Nacional com o engenheiro agrônomo e analista técnico do IFAG, Alexandro Alves dos Santos

10h10 - Apresentação do Conselho de Segurança Rural de Goiás (CONSEG-Rural) com o assessor jurídico da Faeg e presidente do Conselho, Dr. Augusto César de Andrade

10h40 - Encerramento


Viaturas entregues para reforçar patrulhamento rural


No dia 29 de março, foram entregues 50 viaturas pelo governo do estado, na Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) renovando parte da frota da Patrulha Rural, no atendimento a aproximadamente 200 municípios goianos. Desde 2015, o Sistema Faeg Senar atua como parceiro do Programa Rural da Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), no combate aos crimes praticados nas propriedades rurais, como furtos e roubos. São utilizados GPS e até drone, proporcionando agilidade aos atendimentos.


Serviço:

Pauta: Apresentação na Faeg do I Efetivo da PMGO que irá trabalhar no Batalhão Rural

Data: 03 de maio (sexta-feira)

Horário: 08h às 10h40

Local: Auditório da Faeg (Rua 87, nº 662, Setor Sul)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.