sexta-feira, 24 de maio de 2019

Advogados negociaram rendição de homem que agrediu brutalmente sua companheira em Posse/GO; ela continua hospitalizada, sem previsão de alta


Os policiais civis da Delegacia de Polícia (DP) de Posse deram cumprimento, nesta terça-feira (21), ao mandado de prisão em desfavor de L.S.S. Ele é suspeito de ter agredido a própria companheira.

A vítima relatou à Polícia Civil que teve uma discussão com o homem na última quinta-feira (16 de maio), ocasião em que foi brutalmente agredida, enforcada, além de ficar por horas amarrada e com a boca amordaçada com fitas adesivas. Nesse período, Leandro aproveitou para dormir e só libertou a vítima horas depois, quando acordou.

Ele ainda impediu que a companheira pedisse socorro, uma vez que tomou o celular dela. Para se defender das agressões, ela lutou contra o agressor e lesionou seu rosto na região ocular, mas não conseguiu fugir.

No sábado, o autor fugiu da cidade, deixando a companheira com sua irmã, que então ligou para o SAMU. A vítima foi socorrida e levada para o hospital municipal de Posse com os dois olhos roxos e várias escoriações pelo corpo.

Durante exames no hospital, constatou-se também que ela está com um coágulo no seio em decorrência das lesões. Por isso a vítima ainda continua hospitalizada, sem previsão de alta.

A Polícia Civil representou pela prisão preventiva do autor junto ao Poder Judiciário. Foram feitas diligências para localizá-lo, mas na manhã desta terça-feira, os advogados do agressor negociaram sua rendição.

Ele se apresentou à Delegacia de Alvorada do Norte acompanhado de familiares e advogados. O crime teve grande repercussão na região, devido ao nível da violência empregada pelo autor.

O rapaz já tinha outras passagens pela polícia, também por agressão a companheiras. Preso, ele agora está à disposição do Poder Judiciário.

Fonte: Polícia Civil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.