terça-feira, 16 de abril de 2019

Uma casa, uma história de Campos Belos e de uma família da comunidade


Por Isvaldino Santos,

Residência oficial do casal Pedro & Messias, na Rua 7 de Setembro 54, Campos Belos (GO). 


Aqui começa praticamente a história da família Oliveira e Santos, nas décadas de 1940 e 1950. Pedro dos Santos era filho de Felipe Neres dos Santos e Brígida Martins Chaves. 

Messias era filha do casal Emídio José de Oliveira e Rosa da Costa Madureira. De Pedro e Messias nasceram os seguintes filhos: Rosemira, Felipa, Antenor, Maria, Camerino, Orlandino, Pedro (Pedrinho) e Isvaldino Oliveira dos Santos. 

A residência foi construída por Pedro e Messias dos Santos, proprietários, na ocasião, da Fazenda Petrolina. 

Após o falecimento de Pedro dos Santos, em 18/12/1966, Messias continuou morando na mesma até se mudar para Brasília, onde passou a morar com o filho mais novo, Isvaldino dos Santos. 

Esta casa foi alugada por algum período para o MPAS - FUNRURAL, que instalou aí a sua representação local. 

A foto acabou passando ao domínio público, sendo vista pela internet. Com o falecimento de Messias, a residência ficou com o filho Pedro dos Santos Filho. 

Com o seu falecimento, a casa passou para a sua família, que a vendeu posteriormente. Ela poderia ser, culturalmente, um patrimônio tombado. É uma das primeiras construções da cidade de Campos Belos. ©Isvaldino dos Santos

Nota:
1. Recentemente, esta foto foi publicada no Blog de Dinomar Miranda, filho de Orlandino, neto de Pedro e Messias.

2. Em frente à esta residência morava o clã dos Adelino Santos: Adelino e Aurora, que mantinham a grande pensão da cidade. 

Do casal nasceram os filhos: Merença, Ninha, Joviniano, Adelino, Edi, Adi, Francisco (Checo), Iaci e Genesi. Ninha e Adelino tornaram-se, futuramente, prefeitos da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.