sexta-feira, 29 de março de 2019

Seu dinheiro e da Saneago em malas de dinheiro: José Eliton está em Posse/GO e foi alvo de pedido de prisão, negada pelo juiz




O ex-governador José Eliton (PSDB) foi alvo de pedido de prisão (preventiva ou temporária) por parte da Polícia Federal, mas o juiz federal Rafael Ângelo Slomp indeferiu na decisão da Operação Decantação 2, deflagrada nesta quinta-feira (28).

A manifestação do Ministério Público Federal, do procurador Helio Telho, foi contrária à prisão, alegando falta de atualidade nos fatos imputados a ele.

"A medida não se mostra adequada, embora haja fundadas suspeitas de que integre a organização criminosa e tenha efetivamente agido para beneficiar a empresa Sanefer possivelmente em troca de propina", diz.

Em nota, a assessoria de José Eliton informou que ele está em Posse, no nordeste goiano, numa audiência como advogado, mas retorna nesta tarde para Goiânia. 


Conforme o texto, o ex-governador "confirma que a PF cumpriu mandado de busca e apreensão em seu apartamento na capital, em que foi apreendido um computador, usado por seu filho mais novo". 

Ele informou ainda que dará uma declaração assim que tiver acesso ao inquérito da continuação da Operação Decantação.

Foram presos durante a operação:



Luiz Alberto de Oliveira - chefe de Gabinete de Gestão da Governadoria até meados de 2017;


Gisella Silva de Oliveira Albuquerque - filha de Luiz Alberto;


Carlos Eduardo Pereira da Costa - sócio da Sanefer Construções e Empreendimentos;


Nilvane Tomás de Sousa Costa - sócio da Sanefer Construções e Empreendimentos;


Robson Borges Salazar - ex-diretor de gestão corporativa da Saneago.

Malas de Dinheiro da Saneago 

De acordo com a Polícia Federal, empresários, dirigentes da empresa e agentes públicos são investigados pelos desvios, cometidos entre os anos de 2012 e 2016.

Ao todo, a operação cumpre cinco mandados de prisão temporária e oito de busca em endereços de investigados e pessoas ligadas ao ex-governador, em Goiânia e Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

Durante as buscas, os policiais acharam uma mala de dinheiro na casa de uma das mulheres detidas. Segundo a PF, há R$ 800 mil.

A polícia informou que os desvios investigados na operação realizada nesta manhã ocorreram na gestão de José Eliton, que ficou no lugar de Marconi Perillo (PSDB) quando ele renunciou para concorrer à eleição de 2017.

Os mandados judiciais também envolvem sequestro de 65 imóveis, avaliados em R$ 35 milhões.

De acordo com a PF, foi constatado que três empresas, de um único dono, foram beneficiadas em contratos com a Saneago, mesmo com impedimentos fiscais e não sendo especialistas na prestação dos serviços demandados, o que indica direcionamento de licitação.

Fonte: O Popular e G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.