segunda-feira, 11 de março de 2019

Em Campos Belos (GO), mulher é atropelada e SAMU não comparece. Vítima foi transportada na carroceria de uma caminhonete




No último dia 28 de fevereiro, em Campos Belos, na rodovia GO-118, ao lado da rodoviária, por volta das 18h, uma idosa foi atropelada por uma moto.

Segundo testemunhas, a moto estava sendo guiada por um menor, que teria  fugido sem prestar socorro. 

Populares que estavam em frente à Montana Distribuidora de Bebidas prestaram os primeiros socorros e acionaram a PM e o SAMU (Serviço de Assistência Médica de Urgência). 

Diante da demora, uma viatura da Polícia Militar se deslocou até à sede do SAMU e foram informados de que o veículo estava quebrado. No ínterim, solicitaram uma ambulância para socorro, que também não estava disponível.

Diante da sequência de obstáculos, os militares levaram funcionários do SAMU na viatura da PM, junto com material, onde finalmente conseguiu-se fazer o resgate da vítima

Improvisado, o  socorro durou cerca de meia hora e a idosa gemia com fortes dores e com suspeita de fratura no braço e reclamava também de dores na perna. 

Um netinho da vítima, com cerca de 8 anos de idade, ficou o tempo todo ao lado da avó e, por óbvio, muito assustado. Ele foi amparado por populares, que  entraram em contato com parentes, ainda durante do atendimento. 

A criança, apesar de assustada, nada sofreu.

Diversas pessoas que estavam no local ficaram indignados com a demora e questionaram as responsabilidades.  

A pergunta que não quis calar foi: o que ocorreu de fato com a ambulância do SAMU? há apenas uma ambulância? 

Quais medidas devem ser tomadas para que este tipo de situação não volte a ocorrer?

O blog entrou em contato com a secretaria municipal de saúde, que até agora não respondeu às indagações. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.