terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Barragem de mineradora em Arraias (TO) e Campos Belos (GO) é uma preocupação. Ativista procura MP de Goiás, após nada ser feito no Tocantins

Barragem de Brumadinho (MG)
Arquivo: peixes mortos no Rio Bezerra
Depois do gravíssimo "acidente" com a Barragem da mineradora Vale, em Brumadinho (MG), que matou mais de 350 pessoas e causou prejuízo ecológico só comparado ao de Mariana (MG), é mais que salutar se perguntar a quantas anda as barragens feitas pela mineradora Itafós, no município de Arraias, às margens do rio bezerra. 

O rio, um patrimônio natural que divide Goiás e Tocantins, foi tomado pela mineradora, que construiu duas barragens. 

Uma no leito, para a captação de água e uma outra, mais distante, para o depósito dos rejeitos da extração do fosfato. 

Para além dos prejuízos ecológicos, sociais e econômicos trazidos pelo barramento do rio, inclusive com a mortandade de peixes, como já mostrado várias vezes aqui no blog, uma outra preocupação inquieta: a barragem de rejeitos. 

A quantas anda o controle dessa barragem? 

Essa preocupação é compartilhada por muita gente, inclusive pelo ativista social professor Oscar Souza Alves.

Em outras oportunidades, o ativista procurou órgãos ambientais do Tocantins para denunciar os possíveis crimes ambientais promovido pela empresa na localidade. 

Foi, inclusive, ao Ministério Público Federal, com sede em Gurupi (TO), que chegou a realizar uma audiência pública para discutir o assunto com as comunidades locais. 

Mas tudo continua como antes e nenhuma providência foi tomada. As preocupações só aumentam. 

Na semana passada, o professor Oscar Souza Alves foi pedir socorro ao Ministério Público de Goiás, em Campos Belos e solicitou ao promotor da Comarca uma audiência pública para trazer o assunto à baila e colocar a sociedade à par das ameaças ambientais e inclusive à vida, caso ocorra acidente semelhante com a barragem de rejeitos. 

No documento, o professor que saber, por intermédio da audiência pública,  informações atuais, impactos, riscos e danos advindos da barragem de rejeitos instalada próximo a afluentes do rio bezerra. 


Até o momento, o Ministério Público de Goiás ainda não divulgou quais a medidas que irá tomar diante da solicitação. 




3 comentários:

  1. Itafós é vítima de uma sociedade corrupta q mesmo sendo beneficiada com tantos investimentos do Setor Privado, insiste em derrubar o empreendimento.
    Nunca se viu tanto controle e preocupação com o Meio Ambiente nessa região como essa empresa tem.
    Nunca se viu tanto poder de compra nessa região.
    Não há evolução e desenvolvimento sem impactos.
    Vamos nos tornar uma região de referência nacional e mundial com tanta produção de Fertilizantes.
    JuntosJuntos mais forte.
    #itafos
    #brasil

    ResponderExcluir
  2. Pode até desenvolver a região, mas quando suas atividades encerrarem vai ser um cenário de louco.. quem imagina o impacto causado pela ITAFOS tá imaginando pouco , e sobre o anónimo de cima , deve largar de hipocrisia , a empresa como todas capitalistas , âncora seus pensamentos , primeiramente em LUCROS

    ResponderExcluir
  3. Que lucro tem Arraias com essa itafos? A não ser poucos privilegiados que devem estar enchendo o bolso politicos e judicarios. por isso a negligencia

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.