sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Vídeo do Dia: Corrupção mata... e mata muito!



Quem são os militares que estarão no coração do poder do governo Bolsonaro



Em junho, quando o cenário eleitoral ainda estava indefinido, o general Carlos Alberto dos Santos Cruz deixou discretamente o comando da Secretaria Nacional de Segurança Pública para mergulhar na campanha do capitão da reserva Jair Bolsonaro, visto por muitos naquele momento como um azarão. 


Neste mês, na segunda-feira dia 26, o agora presidente eleito anunciou num inesperado tuíte que Santos Cruz será o futuro chefe da Secretaria de Governo, um dos dois cargos mais importantes na estrutura da Presidência da República. Caberá ao general gerenciar os ministérios e fazer a interlocução do futuro governo com os grupos da sociedade civil.


Santos Cruz será o terceiro general com um lugar estratégico na próxima configuração do Palácio do Planalto — os outros dois confirmados serão o vice-presidente, Hamilton Mourão, e o chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno. Para a Esplanada dos Ministérios, mais um militar foi nomeado nesta sexta-feira (30). 

Bolsonaro anunciou pelo Twitter – como tem divulgado seu ministério – o diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior, para Minas e Energia. É o primeiro nome da Marinha para uma pasta.

A ascensão de Santos Cruz ao coração do poder foi uma surpresa, porque ele havia sido convidado pelo ex-juiz Sergio Moro a voltar à Secretaria de Segurança Pública do Ministério da Justiça. Por que Bolsonaro escolheu esse general para ocupar um cargo político como a Secretaria de Governo? Para ex-colegas de caserna, essa dúvida não existe. 

Santos Cruz se credenciou a um gabinete no Planalto pelo extenso currículo internacional, pela proximidade com o presidente eleito e, sobretudo, porque seu histórico pessoal coincide com o perfil de austeridade e dureza que Bolsonaro idealiza para o governo.

Tido como um linha-dura entre os linhas-duras do Exército, o general é quase uma lenda entre os militares das três Forças, sobretudo entre os mais jovens. “Ele é faca na caveira”, resumiu um militar a uma assessora do governo quando o general retornou ao Brasil, depois de passar dois anos — entre 2013 e 2015 — como chefe da missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) na República Democrática do Congo. 

“Ele não tem medo de matar ou morrer quando está em ação. Sabe que isso faz parte do trabalho. Ele é simplesmente pragmático”, explicou um oficial experiente, que conhece bem a carreira de Santos Cruz.

Com a imagem de homem simples e rigoroso, Santos Cruz viu a fama crescer quando chefiou a tropa internacional da missão de paz da ONU no Haiti, entre 2007 e 2009, num dos períodos mais críticos de um país arrasado pela extrema pobreza, por desastres naturais e por conflitos de grupos políticos e gangues armadas. 

Num dos momentos mais tensos, a casa onde o general morava foi cercada por uma gangue. Ele sacou uma arma e rechaçou os inimigos a bala. “Quantos morreram?”, perguntou um oficial tempos depois, ao ouvir o relato. “E você acha que eu fui lá fora contar?”, retrucou Santos Cruz.

O episódio foi narrado a ÉPOCA por dois oficiais. Um ex-colega de Exército disse que o general teve de partir para o tudo ou nada porque do outro lado estavam criminosos a serviço de grupos empresariais contrários à presença forte da ONU no Haiti. Seriam integrantes de quadrilhas similares ao Primeiro Comando da Capital (PCC) no Brasil. Segundo o oficial, esse tipo de embate não é incomum nas ruas de Porto Príncipe. 

No Congo, onde chefiou uma missão de mais de 20 mil militares de vários países, o general testou sua coragem num grau de risco ainda mais elevado. A situação era tão complicada que, pela primeira vez, a ONU autorizou uma missão de paz a fazer a guerra, caso fosse necessário. E foi isso que aconteceu. Em alguns casos, as tropas de paz tiveram de entrar em combate com grupos armados.

Numa das operações, em maio de 2015, o helicóptero onde estava o general foi atacado a tiros e teve de fazer um pouso forçado. O risco de morte não abalou o comandante. “Essas coisas fazem parte do trabalho. 

O fato de termos sido atingidos mostrou que estávamos perto do local onde(os grupos armados) se escondiam. O nível de emoção não tem importância”, minimizou Santos Cruz numa entrevista pouco depois de sobreviver ao ataque.

O lado impetuoso do general também pesou em sua decisão de deixar repentinamente a Secretaria de Segurança para se engajar na campanha de Bolsonaro. No comando da Secretaria, Santos Cruz defendia que as tropas militares subissem os morros do Rio de Janeiro, sob intervenção federal, e se necessário partissem para o confronto armado com criminosos, com liberdade inclusive para matar. 

O ministro da Segurança, Raul Jungmann, discordou, com o argumento de que confrontos de militares nos morros poderiam gerar forte reação. Insatisfeito, Santos Cruz se manteve em silêncio, mas pediu o boné e foi fazer fileira nas hostes de Bolsonaro. “Não me sinto confortável aqui”, desabafara o general a um amigo.

Como secretário de Governo, ocupará um cargo um degrau acima dos demais ministérios da Esplanada. Amigo de Bolsonaro desde que participaram juntos de competições de pentatlo nos anos 80, Santos Cruz será um dos principais conselheiros do presidente eleito. 

O núcleo de apoio militar a Bolsonaro no Planalto ainda é reforçado por outros dois generais linha-dura: o vice-presidente, Hamilton Mourão, e o futuro ministro do GSI, Augusto Heleno. Mourão e Augusto Heleno se destacaram ao fazer, quando ainda estavam na ativa, duras críticas ao governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Os dois tornaram pública uma forte insatisfação de setores das Forças Armadas com os governos do PT.

Ex-professor de Bolsonaro na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), Heleno é o militar com maior influência sobre o presidente eleito. “A relação entre eles é de pai para filho”, disse um general da ativa. Da mesma forma que o pupilo, Heleno não tem receio de entrar em polêmicas. 

Em outubro, com o clima ainda quente por causa das eleições, o general declarou que “direitos humanos é para humanos direitos”. O general Mourão não fica atrás. Durante a campanha, o vice-presidente eleito, sem medo de parecer politicamente incorreto, disse que o Brasil “herdou a cultura de privilégios dos ibéricos, a indolência dos indígenas e a malandragem dos africanos”.

Um pouco mais distante do Palácio do Planalto, mas ainda assim próximo a Bolsonaro, está o futuro ministro da Defesa, Fernando Azevedo. Mais contido que os futuros colegas de ministério, o general foi, até recentemente, assessor do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. 

Com tantos generais em postos estratégicos, este é ou não é um governo militar? Para Santos Cruz, não. “Simplesmente são pessoas conhecidas dentro de um ambiente profissional. Não estão representando ali as Forças Armadas. As escolhas foram decisões pessoais. Não pode confundir a escolha de pessoas que são militares da reserva com um governo militar. São coisas completamente distintas”, afirmou.

Outros militares confirmados até agora na Esplanada do governo Bolsonaro são o general Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e o tenente-coronel da reserva e astronauta Marcos Ponte (Ciência e Tecnologia).


Fonte e texto: Revista Época

Colégio da Polícia Militar do Tocantins divulga locais de prova e concorrência para processo seletivo em cinco cidades



Os locais de prova do Processo Seletivo dos Colégios da Polícia Militar – CPM nas cidades de Palmas, Araguaína, Arraias, Araguatins e Colinas foi divulgado nesta quarta-feira, 28, e publicado no Diário Oficial do Tocantins, Edição nº 5.246. 

Mais de 3.500 estudantes concorrem às vagas. A publicação lista ainda todos os alunos inscritos no seletivo e a concorrência.

As provas do concurso serão aplicadas em única fase, no dia 02 de dezembro de 2018 (domingo), com 04 (quatro) horas de duração, horário local. 

No período matutino, os portões serão abertos às 07h e serão fechados às 08h, no período vespertino serão abertos às 13h e fechados às 14h. 

O candidato deverá realizar a prova na cidade da unidade escolar para qual concorrerá à vaga. Os candidatos deverão comparecer ao local específico das provas com antecedência de 30 minutos.

Orientações

As provas do concurso terão quatro horas de duração, horário local. No período matutino, os portões serão abertos às 7h e serão fechados às 8h, horário que inicia a aplicação das provas para o ensino fundametal. Já as provas para o ensino médio, os portões serão abertos às 13h e fechados às 14h.

O candidato deverá realizar a prova na cidade da unidade escolar para qual concorrerá à vaga. Os candidatos deverão comparecer ao local específico das provas com antecedência de 30 minutos.

Para realização da prova o candidato deverá portar o documento de identidade, comprovante de inscrição e caneta esferográfica transparente de tinta preta.

Não será permitido a entrada do candidato na sala de prova portando bonés ou similares, óculos escuros, máquinas calculadoras, rádio, telefone celular, bip, aparelhos eletroeletrônicos ou similares, livros ou quaisquer materiais didáticos para consulta.

Resultados


O gabarito provisório da prova será divulgado em até 24 horas do horário de encerramento da seletiva; e o definitivo no dia 06 de dezembro. Os prazos para recurso estão estabelecidos no edital.

Já o resultado definitivo da seleção está previsto para dia 17 de dezembro, a partir das 18 horas, nos endereços eletrônicos da PM e da Secretaria de Educação, que podem ser acessados nos endereços eletrônicos http://www.pm.to.gov.br e http://www.seduc.to.gov.br, sendo de inteira responsabilidade do candidato à obtenção da informação, pois não haverá comunicação pessoal.

Ao todo estão sendo oferecidas 956 vagas, distribuídas entre as cinco cidades. 

A Unidade I de Palmas disponibilizará 115 vagas para o 6º ano do Ensino Fundamental – nos dois turnos, e a Unidade II 140 vagas para 1ª Série do Ensino Médio Regular Integral. 

A Unidade III de Araguaína ofertará 280 vagas para o 1º ano do Ensino Médio Regular nos dois turnos. 

Na Unidade IV em Arraias, são 66 vagas para o 6º ano do Ensino Fundamental - dois turnos. Já na cidade de Araguatins a oferta é de 230 vagas para os dois turnos da 1ª Série do Ensino Médio Regular. 

A Unidade X em Colinas disponibilizará 35 vagas para o 6º ano do Ensino Fundamental – dois turnos, e 30 vagas para a 1ª Série do Ensino Médio Regular- dois turnos.

Confira os locais de prova: 


CPMTO - Unidade I- Ensino Fundamental- Palmas. Telefone: (63)3233- 6468. Endereço: Quadra 604 Sul, Alameda 06, Al. 13. Palmas/TO.

CPMTO - Unidade II: Ensino Médio- Palmas. Telefone: (63) 3218-6216/ (63)99221-1667. Endereço: Quadra 206 Norte, AV.lo- 04, Palmas/TO.

CPMTO - Unidade III- Ensino Médio-Araguaína. Telefone: (63)3412-3120. Endereço: UFT, Av. Paraguai, esquina com Rua Uxirama, setor Cimba, Araguaína/TO.

CPMTO - Unidade IV- Ensino Fundamental- Arraias. Telefone: (63) 3653-1356. Endereço: Rua 03, Quadra F, lote 04, setor Campino, Arraias/TO.

CPMTO - Unidade VI- Ensino Médio - Araguatins. Telefone: (63) 3474-3068. Endereço: Rua 06, SN, Nova Araguatins. Araguatins/TO

CPMTO - Unidade X - Ensino Médio e Fundamental - Colinas. Telefone: (63) 3476-1480. Endereço: Rua Elias Lopes da Silva, nº 1466, Praça João XXIII. Colinas/TO.


Fonte: PMTO

Câmpus da UFT de Arraias promove XVII Seminário de Estágio do Curso de Licenciatura em Matemática


O XVII Seminário Semestral de Estágio do Curso de Matemática (XVII Secmat) da Universidade Federal do Tocantins (UFT), com o tema: "A formação do Professor de Matemática para atuar na Educação de Jovens e Adultos"


O evento será realizado nos próximos dias 10 e 11 de dezembro. 

As inscrições para o evento são gratuitas já podem ser realizadas pela internet (clique no link).

O evento, que ocorre semestralmente, é um momento de avaliação e reflexão das atividades desenvolvidas em todas as etapas do estágio curricular do curso de Licenciatura em Matemática. 

Esse ano terá a presença do professor Cesar Belmar, que desenvolve pesquisas a respeito do tema do Seminário.

De acordo com o professor Kaled Khidir, "os trabalhos apresentados pelos estudantes são no formato de relato de experiência. 

Acreditamos que o evento é de suma importância para a formação dos nossos estudantes e um rico momento de diálogo entre a Educação Básica e a Universidade", enfatizou.
Programação

Data: 10 de dezembro
Horário: 14h às 18h - Relatos dos estagiários

Data: 11 de dezembro
Horário: 14h às 18h - Relatos dos estagiários
Palestra de encerramento: 19h

Fonte: UFT

Escola de Arraias homenageia músico e escritor Nilo Alves com montagem de espetáculo


Alunos da Escola Brigadeiro Felipe, em Arraias, farão às 9 horas desta sexta-feira, 30, uma homenagem ao escritor, músico e jornalista Nilo Alves, através de um espetáculo extraído do livro do artista “Fogoió, o Rei da Confusão”.

A montagem do espetáculo faz parte do projeto Divertilê, que já está na 3ª edição e foi idealizado pela professora de língua portuguesa Gleice Freitas.

No projeto, os alunos fazem a leitura das obras literárias e produzem paródias, poemas, teatros, danças, desenhos, escritas, cordéis, cartazes e histórias em quadrinhos unindo o lúdico ao pedagógico. 


Todas as atividades acontecem no contraturno, sendo um dos nossos objetivos, tirar os alunos das ruas e das situações de vulnerabilidade, trazendo- os para a escola.

A escola

A Escola Estadual Professor Apoenan de Abreu Teixeira fica no Setor Buritizinho, em Arraias, e atende alunos de 6º ao 9º ano do ensino fundamental nos turnos matutino e vespertino. São 106 alunos residentes no próprio setor. 

Trata-se de bairro periférico onde grande parte dos alunos vivem em condições precárias e estão expostos à drogas lícitas e ilícitas, sem atrativos que oportunizem lazer e cultura.

Conforme a diretora da escola, Analice Pereira dos Santos, dificuldades de leitura e escrita levaram à implementação do projeto Divertilê. 

Ela contou que a sua idealização surgiu da necessidade de fomentar o interesse dos alunos pela leitura literária, enfocando a importância da proficiência para o bom desenvolvimento durante toda sua vida.

Fonte: Cleber Toledo

II Jornada Goiana dos Direitos Humanos 2018. De 1˚a 13 de dezembro


O Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, formado por cerca de 80 entidades dos movimentos sociais da cidade e do campo, de universidades, sindicatos, coletivos, associações e comissões, realizará uma ampla programação de debates, atos públicos, mostra de cinema, rodas de conversa e a divulgação da segunda edição do Relatório de Violações dos Direitos Humanos em Goiás, no período de 1˚ (sábado) a 13 de dezembro (quinta-feira).

O Relatório 2018 será entregue no dia 13 de dezembro, às 9 horas, na Assembleia Legislativa, para os governos estadual e municipal, secretarias de Segurança Pública; da Mulher, do Desenvolvimento Social, da Igualdade Racial, dos Direitos Humanos e do Trabalho; Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas; Ministério Público; MP-CAO DH; Ministério Público Federal; Comissões de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Goiânia e Assembleia Legislativa; Defensoria Pública Estadual; Comissões de Direitos Humanos do Senado e Câmara Federal; Conselho Nacional de Direitos Humanos.

Entre as principais violações de direitos humanos relatadas, estão o extermínio da população jovem e periférica preta; a violência e a discriminação contra a população em situação de rua; ameaças à integridade do Território Kalunga; o caso dos dez jovens queimados vivos no CIP; desapropriação urbana de famílias de quatro bairros próximos ao Jardim Botânico; criminalização de militantes do MST e da luta contra as OSs na educação e militarização de escolas públicas; violência e discriminação contra LGBTIs e mulheres;impactos da mineração em Goiás, entre outros.

Um dos destaques da programação é o Dia DH, em 10 de dezembro, data oficial da adoção e proclamação da Declaração Universal dos Direitos Humanos pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). 


Será dedicado a diversas ações de conscientização sobre os direitos humanos em Goiânia como o Ato Interreligioso na Catedral Metropolitana (20h), que vai reunir representantes de diversas religiões e movimentos sociais pelos 70 anos da Declaração, momento em que também será lançado o Grupo Mães pela Paz, movimento em defesa da cidadania, justiça e dos direitos humanos em políticas públicas de segurança pública.

Cinema e Jornalismo

Além disso, as atividades da programação desse ano têm o objetivo não apenas de dar visibilidade para os 70 anos da Declaração Universal, mas de propor ações concretas e investir em linguagens diferentes para uma mudança de mentalidade da sociedade sobre como os direitos humanos têm impacto direto na vida de cada um. 

Algumas das formas encontradas para estimular uma reflexão foi a aproximação com iniciativas educativas, artísticas e a valorização do jornalismo.

O Comitê vai premiar produções audiovisuais dessa temática na Mostra da UEG de filmes de encerramento do ano letivo do Curso de Cinema; na Mostra Escola do Festival Audiovisual Vera Cruz, onde alunos da rede pública apresentam seus curtas; a realização de cine debates em parceria com a 12˚ Mostra de Cinema e Direitos Humanos da América do Sul, organizada pelo Ministério de Direitos Humanos e Icumam; e o lançamento do Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos para as melhores reportagens publicadas pela imprensa de Goiás abordando o tema dos direitos humanos.

Regionalização

Outra novidade desse ano é a regionalização de comitês. Será criado o Núcleo de Direitos Humanos/UFG de Catalão com ações importantes para o monitoramento de violações como a criação de um Observatório de Direitos Humanos do Sudoeste Goiano, oficinas para a constituição de núcleos permanentes de relatoria de violações, e uma Conferência sobre Democracia e Autoritarismo. 

E ainda iniciado o processo de fundação de um núcleo no Território Kalunga localizado no município de Cavalcante.

Comunicação Popular


Várias iniciativas de comunicação popular irão contribuir para levar o tema dos direitos humanos até a população e impulsionarão a divulgação das atividades da programação desses 13 dias: 

Programa Antena Ligada da CUT, transmissão 24 horas de webrádio e webtv pela Magnífica Mundi, emissora comunitária da Faculdade de Informação e Comunicação da UFG, Programa Voz da Mulher (Rádio Universitária) e uma roda de conversa com ativistas e comunicadores populares de Goiás.

Vladimir Safatle

O Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em Direitos Humanos da Universidade Federal de Goiás (UFG) irá inaugurar sua nova e exclusiva sede no Campus II (Avenida Esperança) com a Conferência “Organizar Dinâmicas de Transformação diante do Fascismo” proferida pelo filósofo e professor da USP, Vladimir Safatle.

Vandana Shiva

O I Seminário Internacional – III Seminário Nacional sobre Agrotóxicos, Impactos Socioambientais e Direitos Humanos, organizado pelo Gwatá – Núcleo de Agroecologia e Educação do Campo, da Universidade Estadual de Goiás (UEG), levará para a Cidade de Goiás, a pesquisadora e ativista indiana Vandana Shiva, referência mundial na temática dos agrotóxicos e da Agroecologia.

Ninguém Solta a Mão de Ninguém

Inspirado nos gestos de solidariedade representados pela frase “Ninguém solta a mão de ninguém”, que surgiram em meio à violência política e aos discursos de ódio disseminados no período eleitoral e pós-eleitoral, com a ascensão da extrema direita ao poder no Brasil, o Comitê ilustrou a II Jornada Goiana dos Direitos Humanos 2018 com o desenho minimalista “Ying Yang” do artista, designer e diretor de arte suiço, Wuukasch. 

Com poucas linhas e muita simplicidade, ele é capaz de transmitir com grande força ideias essenciais sobre valores humanos.

Veja a programação completa, acesse a página do Comitê no facebook - @comitegoianodedireitoshumanosdomtomasbalduino

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

UEG: parceria do Curso de Agroecologia com o Projeto Ser Natureza resulta em reflorestamento do córrego Baunilha, em Campos Belos (GO)



A convite do Ministério Público - MP, junto ao projeto “Ser Natureza”, alunos do curso de Tecnologia em Agroecologia da UEG- Campus Campos Belos participaram como parceiros ativos da recuperação da área de reflorestamento do córrego Baunilha, principal fonte de abastecimento de água da cidade. 

A ação dos estudantes é parte do Projeto de Extensão “Produção de Mudas Frutíferas do Cerrado” coordenado pelo professor Engenheiro Agrícola Carloeme Oliveira. 

Este projeto é realizado nas nascentes da Bacia Hidrográfica do Rio Montes Claros, após diagnóstico do estado de preservação e de degradação dos mananciais locais. 

Durante o trabalho de reflorestamento eles puderam observar in loco a situação da nascente, em sinais visíveis de degradação. Sendo possível, após isso sugerir novas práticas que promovam a recuperação de outras áreas, consideradas críticas na referida bacia. 

Na oportunidade os estudantes coletaram sementes nas áreas afetadas, com o objetivo de produzir mais mudas, cada vez mais adaptadas aos biomas atingidos por desmatamentos. 

Entre as espécies coletadas por meio de doação dos proprietários, se destacam o angico branco, o bacupari, o cajá do cerrado e a caraíba. 

Ao lado do MP, para fortalecimento do “Ser Natureza”, participaram também alunos do curso Técnico em Agropecuária do IF Goiano - Campus Campos Belos, representantes do Rotary Club de Campos Belos, Emater, Saneago e Secretaria Municipal de Meio Ambiente local.

As ações deste “dia de campo e preservação do futuro do planeta”, reforçam a ideia de que juntos podemos devolver a terra onde moramos, para novas gerações em melhores condições. 27 de novembro de 2018, marca o início de um grande movimento em favor da bacia hidrográfica do Rio Montes Claros.

Fonte: UEG




Cubanos deixam Brasil divididos pela vontade de ficar e a saudade. Médica ganha festa de despedida em Teresina de Goiás



A vida da médica Kenia Flores Perez, de 35 anos, ganhou outro ritmo a partir do meio desta semana – um ritmo indesejado por ela. 


No fim da tarde de quarta-feira, Kenia terminou de empacotar suas coisas. 

À noite, participou de uma festa de despedida, regada a música sertaneja. Acordou cedo na quinta e recebeu a visita de moradores da pacata Teresina de Goiás, de 4 mil moradores.

O policial apareceu, a vizinha apareceu, a dona da casa ficou o tempo inteiro ao lado. Num clima quase fúnebre, deu um longo abraço no secretário de Saúde da cidade. 


Às 10h, rumou para Brasília, a 280 quilômetros do município. Foi direto para um hotel, e passou as últimas horas no Brasil esperando o voo que a levaria para Cuba, na sexta.

Kenia é um dos milhares de médicos cubanos que precisaram deixar às pressas seus postos de trabalho e suas vidas no Brasil – já consolidadas, para muitos deles – em razão da decisão do governo de Cuba de abandonar o Mais Médicos, depois das ofensivas do presidente eleito, Jair Bolsonaro, contra o modelo do programa. 

A médica se preparava para tirar férias neste mês. 

Já são dois anos no Brasil, sempre em Teresina de Goiás, uma cidade encravada na Chapada dos Veadeiros, na região mais pobre e isolada do território goiano. Um e-mail mudou tudo. 

As férias viraram um retorno atabalhoado e definitivo.

As decisões sobre o destino dos médicos cubanos foram comunicadas em e-mails curtos, disparados diretamente aos profissionais, sem passar pelos secretários de saúde. 

Os contatos foram feitos pelos cubanos que estão à frente da área responsável na Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) no Brasil, entidade que gerencia os contratos do Mais Médicos, e pelo próprio governo cubano.

Kenia foi pega de surpresa. Seu contrato venceria somente no fim de 2019. Por e-mail, foi avisada da necessidade de voltar a Cuba. 

Primeiro, informaram a ela que era preciso estar num hotel em Brasília após as 14 horas de quinta. Depois, a informação repassada foi para ela chegar ao hotel antes do meio-dia. E assim foi feito.

A outra médica cubana que fazia atendimentos em Teresina, Mabel Hernandez Gonzalez, deixou a cidade antes de Kenia. 

Foi uma saída ainda mais apressada, sem chances de despedida dos pacientes e da comunidade local. As médicas são adoradas pelas pessoas – não há um único relato contrário à atuação profissional das duas. 

Mabel foi a Brasília para o voo a Cuba antes mesmo de Kenia.

O improviso e a pressa no retorno surpreenderam o secretário de Saúde do município, Josene Pereira Lopes. Ele planejava uma festa de despedida para as duas. Conseguiu fazer a festa apenas para uma delas. 

A música sertaneja não abafou a frustração e a tristeza das pessoas que foram à despedida.

Kenia não disfarçava a frustração em ter de antecipar o encerramento de um contrato previsto para durar até o fim do ano que vem. 

A médica já estava adaptada ao Brasil, à pequena comunidade onde vivia e trabalhava. Parcelou o pagamento da compra de diversos móveis, que ficaram para trás. Empacotou o que foi possível, seguiu para Brasília sem saber se conseguiria despachar todos os seus pertences.

A experiência no Brasil é a segunda dela no plano internacional. Antes, trabalhou como médica em Maracaibo, na Venezuela, entre 2008 e 2011. 

Voltou para Cuba e, desde novembro de 2016, atendia pacientes de uma das regiões mais pobres e isoladas do Centro-Oeste brasileiro, onde raramente um médico se dispõe a morar na cidade. 

Encontrou um Brasil diferente do que ela via nas novelas brasileiras transmitidas em Cuba.

– Aqui existe demasiada desigualdade social. É muito diferente do que eu via nas telenovelas brasileiras. Eu tinha outra noção. 

Deveria existir o básico em saúde e educação. Mas na zona rural, onde está uma comunidade quilombola, quase todos são analfabetos, por exemplo – diz Kenia.

Segundo a médica, o primeiro ano no Brasil - de busca por aceitação dos moradores da cidade - foi o mais difícil. 

O segundo ano foi de adaptação completa. Por isso o sentimento de frustração, diante da decisão repentina comunicada por e-mail.

Kenia voltará para sua cidade, Las Tunas, e reencontrará a filha de sete anos, que ficou com os pais. Ela planejava uma visita da filha e dos pais ao Brasil, plano que não foi possível em razão do alto preço das passagens aéreas.

A médica, apesar da contrariedade com o retorno apressado, não critica o modelo adotado para os cubanos no Mais Médicos. 

Por outro lado, ela critica a posição de Bolsonaro em relação aos profissionais de Cuba que vieram ao Brasil. O presidente eleito já disse mais de uma vez que os médicos cubanos oferecem atendimento inferior ao oferecido por brasileiros, e lançou dúvidas até mesmo sobre serem médicos de fato.

– Ele nos depreciou, mas é a população que vai sentir os efeitos, principalmente da Amazônia, indígenas, quilombolas, que nunca tiveram atendimento médico. Nós não viemos ao Brasil enganados. Assinamos um contrato – afirma Kenia.

O fato de ficarem apenas com uma parte do dinheiro repassado a Cuba pelo Mais Médicos também é minimizado pela médica:

– O governo não pega o dinheiro para eles, mas usa em equipamentos, em saúde, em educação.

Kenia descarta pedir asilo no Brasil e não vê possibilidades de um visto de residência, uma vez que não há facilitadores como ter se casado com um brasileiro. 

Ela voltará a trabalhar na mesma unidade básica de saúde onde atuava em Las Tunas antes de se mudar para o Brasil. 

Receberá 1.550 pesos cubanos, ou cerca de 60 dólares. No Brasil, recebia R$ 3 mil (788 dólares) dos R$ 11,8 mil destinados a cada profissional do Mais Médicos.

– Pode parecer pouco, mas em Cuba todos trabalham. Na minha casa, por exemplo: meu pai é professor, minha cunhada é médica, meu irmão trabalha numa estatal de exploração de níquel.

Depois das despedidas que foram possíveis, um carro levou Kenia e uma colega médica que atuava em Cavalcante, cidade vizinha, para Brasília. Os consultórios dela e da outra médica cubana de Teresina de Goiás estão fechados.

– Foi tudo muito rápido, não deu para acomodar nada. Estava esperando as férias, agora estou de volta em definitivo. Mas se uma porta se fecha, outra pode abrir – diz ela.

O secretário de Saúde de Teresina resumiu o clima da cidade diante da saída de cena repentina de Kenia, após o abraço de despedida:

– Uma psicóloga nossa passou num concurso em Nova Roma. É uma cidade aqui do lado. Com Kenia é diferente. Ela está indo para Cuba. Esta deve ser a última vez que nós a vemos.

Fonte: Jornal O Globo

Edital do Mais Médicos disponibiliza 202 vagas para Goiás. Há vagas para Alto Paraíso, Alvorada, Campos Belos, Divinópolis, Flores, Guarani, Mambaí, São Domingos, Teresina



O Ministério da Saúde (MS) publicou, na terça-feira (20), o novo edital do programa Mais Médicos agora destinado a médicos formados em instituições de educação superior brasileiras ou com diploma revalidado no Brasil. 

No total, são 8.517 vagas para atuação em 2.824 municípios e 34 áreas indígenas que antes eram ocupadas por médicos cubanos. Apenas em Goiás são 202 vagas distribuídas em 95 municípios (confira abaixo).

O novo edital foi publicado no Diário Oficial da União, na seção 3, página 134 e tem como objetivo garantir a assistência nos locais que antes eram ocupados pelos profissionais cubanos. 


Isto porque, o Ministério da Saúde Pública de Cuba, por meio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), anunciou o rompimento do acordo de cooperação no Mais Médicos.

A medida foi tomada após declaração do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) de que não poderíamos “admitir escravos cubanos no Brasil nem continuar alimentando a ditadura cubana”.

A remuneração prevista é de R$ 11.865,60 e o tempo inicial de 36 meses poderá ser prorrogado. 

Os médicos também deverão cumprir oito horas acadêmicas teóricas e 32 horas em Unidades Básicas de Saúde. 

Os interessados podem se inscrever aqui. A previsão é de que os profissionais comecem a trabalhar no próximo dia 3 de dezembro.

No próximo dia 27 de novembro deve haver abertura de nova chamada, desta vez para médicos brasileiros formados no exterior e estrangeiros.

Vagas para Goiás


Abadia de Goiás –1 vaga

Acreúna – 1 vaga

Águas Lindas de Goiás – 8 vagas

Alexânia – 6 vagas

Alto Paraíso de Goiás – 1 vaga

Alvorada do Norte – 1 vaga

Amaralina – 1 vaga

Anicuns – 1 vaga

Aparecida de Goiânia – 10 vagas

Barro Alto – 2 vagas

Bom Jardim de Goiás – 2 vagas

Bonópolis – 1 vaga

Brazabrantes – 1 vaga

Britânia – 1 vaga

Buriti Alegre – 1 vaga

Buriti De Goiás – 1 vaga

Cachoeira Alta – 1 vaga

Caiapônia – 1 vaga

Caldazinha – 1 vaga

Campinorte – 2 vagas

Campo Alegre de Goiás – 1 vaga

Campos Belos – 3 vagas

Carmo do Rio Verde – 2 vagas

Catalão – 3 vagas

Cavalcante – 2 vagas

Cezarina – 2 vagas

Chapadão do Céu – 1 vaga

Cidade Ocidental – 6 vagas

Cocalzinho de Goiás – 2 vagas

Córrego Do Ouro – 1 vaga

Corumbaíba – 1 vaga

Cristalina – 3 vagas

Crixás – 3 vagas

Cromínia - 1 vaga

Damianópolis – 1 vaga

Divinópolis de Goiás – 1 vaga

Doverlândia – 1 vaga

Edealina – 1 vaga

Flores de Goiás – 2 vagas

Formoso – 1 vaga

Goianésia – 3 vagas

Goiânia – 2 vagas

Goianira – 4 vagas

Guaraíta – 1 vaga

Guarani de Goiás – 1 vaga

Heitoraí – 1 vaga

Israelândia – 1 vaga

Itaberaí – 3 vagas

Itauçu – 2 vagas

Jataí – 3 vagas

Jesúpolis – 1 vaga

Leopoldo de Bulhões – 1 vaga

Luziânia – 9 vagas

Mambaí – 1 vaga

Minaçu – 3 vagas

Mineiros – 1 vaga

Moiporá – 1 vaga

Morrinhos – 3 vagas

Morro Agudo de Goiás - 1 vaga

Mundo Novo – 1 vaga

Mutunópolis – 1 vaga

Nerópolis – 1 vaga

Niquelândia – 4 vagas

Nova Crixás – 1 vaga

Nova Glória – 2 vagas

Novo Gama – 3 vagas

Novo Planalto – 1 vaga

Piracanjuba – 1 vaga

Pirenópolis – 1 vaga

Pires do Rio – 3 vagas

Planaltina – 4 vagas

Porangatu – 3 vagas

Portelândia – 1 vaga

Professor Jamil – 1 vaga

Rialma – 1 vaga

Rubiataba – 3 vagas

Santa Rita do Araguaia – 1 vaga

Santa Tereza de Goiás – 1 vaga

Santo Antônio do Descoberto – 1 vaga

São Domingos – 2 vagas

São Francisco de Goiás – 1 vaga

São João D'Aliança – 2 vagas

São Luiz do Norte – 1 vaga

São Miguel do Araguaia – 2 vagas

Serranópolis - 1 vaga

Silvânia – 2 vagas

Sítio D'Abadia – 1 vaga

Teresina de Goiás – 2 vagas

Turvânia – 1 vaga

Uruaçu – 7 vagas

Uruana – 1 vaga

Valparaíso de Goiás – 16 vagas

Vianópolis – 1 vaga

Vila Boa – 2 vagas

Vila Propício – 1 vaga

Fonte: O Popular

Divinópolis de Goiás passa a integrar o Sistema Nacional de Cultura



O Prefeito de Divinópolis de Goiás, Charley Tolentino, e o Secretário de Cultura, Cleomário Pimentel, assinaram recentemente, com a Secretaria de Articulação e Desenvolvimento Institucional do Ministério da Cultura, um Acordo de Cooperação Federativa.

A intenção é o desenvolvimento do Sistema Nacional de Cultura.

"Nosso município, com a assinatura deste acordo, passou a integrar ao Sistema Nacional de Cultura.

A adesão ao SNC permite que estados e municípios aprimorem a gestão cultural, com a criação do órgão de gestão local, do conselho de política cultural, da conferência e do plano de cultura, além do sistema de financiamento", disse o prefeito.

A assinatura do acordo se compromete a estruturar o sistema de cultura.

O Sistema Nacional de Cultura é um processo de gestão e promoção das políticas públicas de cultura, em regime de colaboração de forma democrática e participativa entre os três entes federados (União, estados e municípios) e a sociedade civil, tendo por objetivo promover o desenvolvimento humano, social e econômico com pleno exercício dos direitos culturais.


Com informações de Antônio Carlos

Programa Ser Natureza do MP e parceiros levam Fica Itinerante a Campos Belos/GO na próxima semana



O Programa Ser Natureza em Campos Belos, em parceria com as Secretarias Estadual e Municipal de Educação, realiza entre os dias 26 e 30 de novembro a Mostra Itinerante do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica).

O evento, que conta ainda com o apoio da Secretaria de Assistência Social do município, traz uma programação relacionada à temática ambiental, com atividades ligados ao Programa Ser Natureza. 


Confira aqui a programação completa.

A mostra acontecerá no Salão Paroquial Dom Alano e vai apresentar atividades desenvolvidas pelas escolas da rede pública, e particulares, além de exibição de diversos filmes premiados.

A parceria com a Mostra Fica Itinerante foi articulada pela Coordenadoria de Assessoramento à Autocomposição Extrajudicial (Caej) do MP para os municípios que possuem o Programa Ser Natureza.

Fonte: MPGO

Vaqueiro é morto com tiro na área de casa, em Niquelândia (GO); segurança de festa é suspeito do crime


Um vaqueiro de 22 anos foi morto após ser baleado na área de casa, em um povoado de Niquelândia, região norte de Goiás. 

Segundo o relato do pai da vítima à Polícia Civil, que consta no boletim de ocorrência, a vítima foi alvejada pelo segurança de uma festa, que ocorria próximo da residência.

O crime ocorreu na noite de sábado (24), no povoado de "Faz Tudo". Ainda conforme o relato, o rapaz, após trabalhar, saiu com o irmão, de 18 anos, em uma moto para comprar algo para comer. Quando voltaram, foram abordados por três seguranças da confraternização.

O pai da vítima afirmou, segue a ocorrência, que os homens pediram aos jovens que encostassem na parede e que, em dado momento, um deles pegou o rapaz mais novo pela gola da camisa.

O registro informa que, neste momento, o irmão questionou a ação e foi alvejado por um dos seguranças.

O jovem chegou a ser socorrido, mas já chegou morto ao hospital. O pai dele afirmou à polícia que ele nunca teve envolvimento com o crime ou usava drogas.

A Polícia Civil investiga o caso. A corporação procura o suspeito de efetuar o disparo.

Fonte: G1

MP deflagra terceira fase da Operação Mãos à Obra, em Formosa (GO)



O Ministério Público de Goiás (MP-GO) deflagrou na madrugada desta quinta-feira (29/11) a terceira fase da Operação Mãos à Obra, para apurar irregularidades detectadas em contratos na Câmara Municipal de Planaltina de Goiás.

A operação ocorre na cidade de Formosa, na região do Entorno do Distrito Federal, onde estão sendo cumpridos quatro mandados, sendo dois de prisão e dois de busca e apreensão, em residências do ex-gestor de Contratos da Câmara Municipal de Planaltina de Goiás e de um gerente do Banco do Brasil.

A operação é coordenada pelo promotor Rafael Simonetti, da 4ª Promotoria de Planaltina de Goiás, em parceria com o Centro de Inteligência do MP-GO e conta com a participação de três promotores de Justiça. 


Há ainda o apoio da Polícia Civil, com dois delegados e sete agentes.

Durante as investigações, o MP detectou que o ex-gestor utilizou-se de ligações com o servidor do Banco do Brasil para descontar cheques da Câmara, com fraude no endosso para sacar dinheiro em espécie e repasse de uma porcentagem para o gerente.

Fases


Esta é a terceira etapa da operação, que foi deflagrada inicialmente no começo de novembro, em Planaltina de Goiás, e culminou na prisão do então prefeito da cidade, Pastor André, que, na época dos fatos apurados, era presidente da Câmara de Planaltina. 


Ele teria fraudado contratações de empresas e superfaturado obras, além de ter desviado recursos do erário. Além dele, empresários e servidores da Câmara de Planaltina também foram presos.

Já a segunda fase da ação foi deflagrada na última semana em Planaltina, quando foram cumpridos mandados de busca e apreensão na sede da Câmara Municipal.

Fonte e texto: MPGO

Iaciara (GO): Leilão de Touros Santa Cruz fecha com média de R$ 10,3 mil por animal



Pelas mãos de Paulo Brasil o Leilão de Touros Santa Cruz foi exemplo de venda com agilidade e excelente média. 

A batida do martelo durou pouco mais de 4 horas e segundo a leiloeira responsável, somando os touros e bezerros de corte, o pregão arrecadou no total R$ 1,638 milhão.

A média dos touros foi de R$ 10.356,16 e entre os gados de corte fechou em R$ 3.332,89 mil. 

O remate foi realizado em Iaciara (GO), no recinto de eventos da Fazenda Santa Cruz e registrou a venda expressiva dos lotes 02, 10 e 16, que foram comercializados por R$ 30 mil cada.

O sucesso do leilão comprovou a qualidade da seleção de ponta feita por Gil Pereira, titular da Fazenda Santa Cruz. 

A marca Santa Cruz lidera o mercado de gado no estado de Goiás e já se tornou uma tradição, não só na região, mas em todo o país. Segundo o criador, foi colocado à disposição dos pecuaristas a melhor safra da marca.

“Procuramos produzir aquilo que traz o melhor resultado econômico, para que seja um negócio rentável para nosso cliente. 

Realizamos um trabalho nos últimos quatro anos onde conseguimos encurtar o ciclo da pecuária em um ano. 

Nosso foco sempre foi buscar o melhoramento genético que garanta os três itens fundamentais para a pecuária: fertilidade, habilidade materna e precocidade. 

O nosso leilão foi padrão em todos os lotes, não teve escada, começou bem, manteve a qualidade durante todo o remate e fechou bem com lote de alta qualidade, destacou o criador”.

As vendas feitas de forma dinâmica e com preços acima do mercado mostraram a eficiência de Paulo Kamilo, gerente de pecuária do criatório, e sua equipe, que fizeram do evento um verdadeiro encontro de neloristas, com casa cheia. 

Para Paulo o grande diferencial da marca Santa Cruz é vender touros rústicos, comprovados a campo nas novilhas do rebanho, durante a estação de monta do ano anterior. Isso fez a diferença e contribuiu para o resultado do pregão.

“Nós temos convicção que os animais que vendemos serviriam para o nosso criatório. 

No nosso critério de seleção é indispensável que os animais sejam bem avaliados no Programa de Melhoramento Genético, além de ter padrão racial e ser eficiente no campo. São touros de fato testados e que vão produzir o que se propõe”, finalizou Kamilo.

Fonte: Canal Rural

Educação do Campo: divulgada a 2ª chamada para Arraias e Tocantinópolis


A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) da Universidade Federal do Tocantins, em conformidade com o Edital nº04/2018 Prograd/Copese e com o Edital nº05/2018 Prograd/Copese, lançou os editais referentes à 2ª chamada dos candidatos aprovados para os processos seletivos de ingresso no Curso de Educação do Campo 2018/2 e 2019/1.

As chamadas, que se destinam ao preenchimento de vagas para o Curso de Licenciatura em Educação do Campo: Habilitação em Artes Visuais e Música, são para o semestre letivo de 2018-2 em Arraias e o semestre letivo de 2019-1 em Tocantinópolis.

O cadastro e matrícula dos candidatos convocados ocorrem no período de 28 a 29 de novembro de 2018, nos seguintes locais e horários:

Arraias: Secretaria Acadêmica – Avenida Juraildes de Sena e Abreu s/nº, Setor Buritizinho. Telefones: (63) 3653-3486/3483. Horário: das 08h30 às 11h30 e das 14h30 às 17h30.

Tocantinópolis: Secretaria Acadêmica - Avenida Nossa Senhora de Fátima, 1588, Centro. Telefone: (63) 3363- 6015. Horário: das 08h30 às 11h30 e das 14h30 às 17h30.


Fonte: UFT

Alto Paraíso de Goiás: Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge conquista prêmio Unicef



O projeto Turma que Faz, da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, em Alto Paraíso de Goiás, conquistou o segundo lugar no Prêmio Itaú UNICEF, parceria entre o Banco Itaú e o Fundo das Nações para infância-Unicef. 

A premiação aconteceu na última terça-feira (27), no Auditório Ibirapuera, em São Paulo.

O Turma Que Faz realiza um trabalho social na região da Chapada dos Veadeiros por meio de atividades educativas, artísticas, culturais, esportivas e ambientais, que utilizam arte e meio ambiente como linguagem profissionalizante. 


O projeto está sob a coordenação da arte-educadora e musicista Doroty Marques e recebeu o prêmio no valor de R$ 200 mil.

Outro projeto goiano também estava selecionado e participou do prêmio, intitulado Arte, Circo e Cidadania, do Circo Laheto. 

Ambos concorreram na categoria Organizações da Sociedade Civil (OSC) em Ação.

O Prêmio Unicef premia anualmente OSC e escolas públicas que foram mais efetivas no desenvolvimento de projetos de educação integral com crianças e adolescentes no Brasil.

Com apoio apenas de voluntários e membros da comunidade, a Casa de Cultura Cavaleiro Jorge surgiu em 1997 com o desejo de realizar festivais independentes de cultura.

Erguido em paredes de pedra toá, típica da região, a Casa de Cultura é um dos principais mecanismos de atuação sócio-cultural da região da Chapada dos Veadeiros, com projetos que proporcionam encontros que valorizam a biodiversidade, a força da fé e a memória da Chapada.

Fonte: O Popular

Alunos de Arraias mobilizam comunidade para participar da V edição do GincoNegra


Com o espírito de cooperação e solidariedade, os alunos do Centro de Ensino Médio Professora Joana Batista Cordeiro, de Arraias, realizam, nos dias 27 e 28, a V Edição do GincoNegra.

De acordo com a gestora da escola, Sandra Maria Ferreira Cunha Soares, a tradicional gincana objetiva trabalhar o projeto de vida do aluno, desenvolve competências para o século XXI, combate ações discriminatórias e promove a valorização e o orgulho de ser negro.

Durante a gincana, que acontece no período vespertino, os alunos são divididos em duas equipes. 


Os grupos organizam gritos de guerra e exibem peças teatrais. Neste ano, as obras A escrava Isaura e Memórias póstumas de Brás Cubas serão expostas em sala temática. 

O momento contará ainda com apresentações de paródias, circuito e dança da família, com a participação dos pais e responsáveis.

Na brincadeira torta na cara, os grupos respondem a questões sobre os conteúdos vistos no decorrer do ano. Quem não sabe, leva torta! 

A solidariedade também está presente na ação da escola. Em uma das provas, os estudantes arrecadam alimentos que serão distribuídos às famílias carentes e confeccionam casinhas com material reciclado.

Sueli Alcântara, idealizadora do projeto, destacou a importância da gincana para a aprendizagem. 

“A gincana permite que os estudantes desenvolvam habilidades socioeducativas, interpessoais e contribui para a fixação dos conteúdos estudados durante o período letivo”.

Para Ana Cláudia Cardoso de Morais, aluna da 1ª série do ensino médio, a disputa motiva as equipes e mostra que a união faz a força. 

“As atividades ajudam no nosso desenvolvimento, pois estudamos mais os conteúdos trabalhados nas aulas, e promovem a solidariedade”, concluiu.

A Escola Professora Joana Batista Cordeiro oferta o ensino médio integral e faz parte do Programa Jovem em Ação. 

A unidade conta com 163 estudantes matriculados.

Fonte: Governo

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Campos Belos: procura-se Gabriela



A cadelinha Gabriela (Gabi), da raça Shih Tzu, está desaparecida em Campos Belos (GO).



Os donos estão desesperados. 

Ela tem porte médio, cor caramelo, e sumiu no dia 24 de novembro, há quatro dias.

Ela fugiu por volta das 20h, no setor Tomazinho, próximo ao fórum. 

Se você viu a Gabriela, entre em contato com a Karol ( 62- 99969-1058). É zap!

Só quem perdeu um animal deste, sabe a dor que se sente. Vamos ajudar a Karol a encontrar a doce Gabi. 

Encontro de Amigos: Festão em Novo Alegre será no fim do ano



No próximo dia 29 de dezembro,  daqui a um mês, a cidade de Novo Alegre (TO) vai realizar um encontro de conterrâneos da cidade.


"Faremos uma carreata, após a carreata, o jogo dos filhos de pessoas que são de Novo Alegre e moram fora, contra as crianças que moram na cidade. Logo após, um jogo entre adultos de várias gerações. 

Conterrâneos entre 18 e 60 anos de idade", convida um dos organizadores. 

Você que é de Novo Alegre, se ligue no convite. Vai ser um festão 

Redação: programa Agrinho, do Senar e Faeg, premia escola pública de Campos Belos



O programa Agrinho, em Goiás, teve início no ano de 2008 pelo Senar Goiás (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural )juntamente com a Faeg (Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás )e demais empresas parceiras. 

Este programa constitui-se em um conjunto de ações que envolve o ensino público e privado formando agentes educacionais (gestores, coordenadores pedagógicos e professores) no desenvolvimento de projetos tendo como enfoque principal o meio ambiente. 

Acreditamos que o programa Agrinho tem como objetivo incentivar a prática pedagógica visando melhorias constantes de hábitos e atitudes nas pessoas para com o meio ambiente. 

Nesse sentido é que nós enquanto profissionais da educação precisamos ser e contribuir para estas mudanças de hábitos e atitudes no ambiente escolar no que se refere ao meio ambiente.

Para a Escola Niedja, o Programa Agrinho é mais uma das ricas oportunidades que temos para contribuir na formação de nossos alunos, conscientizando-os da importância de cuidar do nosso planeta. Para mim enquanto professora, foi um prazer trabalhar com mais uma temática do programa Agrinho intitulada:

O Brasil que queremos:Seja protagonista! Nossa escola trabalhou a alimentação saudável.

Fiquei imensamente feliz de poder orientar mais uma campeã na categoria redação,pois nos anos de 2013,2014 e 2016 tive outros alunos que foram premiados também através do desenvolvimento do projeto na escola ,e posteriormente de minha orientação. 

Neste ano a premiada foi a aluna Naylla do terceiro ano que escreveu uma belíssima carta sobre a importância de sermos protagonistas da alimentação saudável.

Agradecemos a parceria da Secretaria Municipal de Educação na pessoa da secretária Geisa, juntamente com a Diretora Regi Galvão, coordenadoras Elane e Eleny e toda equipe pedagógica da Escola Niedja por abraçar a causa mais importante de uma escola, que é o aprendizado das crianças.

Fonte: Assessoria 

Fundo de desenvolvimento da região de Terra Ronca, em Goiás, é aprovado em Comissão do Senado


A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) aprovou nesta quarta-feira (28) o PLC 33/2018, que cria o Fundo Nacional de Apoio à Região de Terra Ronca (Funter), para promover o desenvolvimento dessa região, nos municípios de São Domingos (GO) e Guarani de Goiás (GO). 


O projeto segue em regime de urgência para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) por conta de pedido do senador Romero Jucá (MDB-RR) também aprovado pela comissão. 

De acordo com Jucá, a ideia é que a proposta passe rapidamente pela CAE e possa ser aprovada até o final do ano no Plenário.

Durante a reunião, Jucá leu o relatório do senador Waldemir Moka (MDB-MS), favorável ao projeto.

— É um projeto importante, pois é uma área extremamente deprimida. 

O fundo tem o objetivo de promover o desenvolvimento da Terra do Ronca, preservar a cultura local, fomentar a qualificação dos trabalhadores locais, estimular produtos feitos pelas comunidades locais, criar condições para a instituição de cooperativas e viabilizar a cooperação entre os moradores e entidades públicas e privadas de turismo — ressaltou Jucá.

O relatório argumenta que o Fundo irá beneficiar a exploração racional e ecológica da região. 

Para ele, a simples criação do Funter já irá atrair verbas de instituições internacionais voltadas para a ecologia e para a cultura, tendo em vista a originalidade e a beleza natural da região.

O Funter contará com receitas de operações de crédito internas e externas, firmadas com entidades privadas, públicas, nacionais e internacionais, convênios firmados entre os estados da Federação e outras fontes previstas em lei.


Parque estadual

O Parque Estadual de Terra Ronca, com área aproximada de 57 mil hectares, está localizado nos municípios de Guarani de Goiás e São Domingos. 

O parque abriga um dos maiores sítios de cavernas e grutas da América Latina, muitas delas ainda não mapeadas. 

A formação do complexo deve-se à ação dos rios que nascem na Serra Geral, ganham volume sobre os maciços de quartzito e erodem as rochas calcárias. O nome Terra Ronca deriva do rugido dos rios que atravessam as cavernas e do burburinho das cachoeiras que se formam no seu interior.

A gruta mais conhecida é a que dá nome ao parque, Terra Ronca, que se caracteriza pelo seu enorme pórtico e pela grandiosidade dos salões. 

O vão de entrada atinge 96 metros de altura e 120 metros de largura, com salões medindo 760 metros de comprimento e 100 metros de altura. Na gruta, ocorre anualmente a cerimonia religiosa de Bom Jesus da Lapa. 

Destacam-se também a gruta de São Mateus, uma das maiores do país; a gruta Angélica, que pode ser contemplada depois de uma travessia de sete horas por suas infindáveis galerias subterrâneas; e a gruta São Bernardo/Palmeira, com salões repletos de curiosidades e em cujo interior unem-se dois rios. 

A região é coberta pela vegetação do cerrado e cortada por vários rios.

— Tudo isso faz do turismo uma atividade vital para o desenvolvimento social e econômico dos municípios da região de Terra Ronca. 

Todavia, para que o turismo possa prosperar e efetivamente beneficiar as comunidades do lugar é necessário valorizar a cultura local, fortalecer a capacidade dessas comunidades para produzirem artigos e produtos que atendam às demandas do mercado turístico, e capacitá-las para prestarem os serviços que caracterizam a atividade — observa o deputado Pedro Chaves, autor do projeto, na justificativa da proposta.

Fonte: Agência Senado 

IF-Goiano faz plantio de 250 mudas e visa recuperação da nascente da Baunilha


O IF Goiano - Campus Campos Belos, buscando sempre destacar a sua responsabilidade no que diz respeito ao meio ambiente, é uma das instituições componentes do projeto Ser Natureza, encabeçado pelo Ministério Público.


O principal objetivo do projeto é promover o diálogo com o Legislativo, Executivo, Judiciário, os segmentos organizados da sociedade e comunidade, para garantir a primazia dos interesses coletivos difusos na área ambiental sem a necessidade da judicialização, por meio da metodologia adotada pela Coordenadoria de Apoio à Atuação Extrajudicial (CAEJ) e outras que favoreçam soluções de problemas por meio do diálogo.

O IF Goiano - Campus Campos Belos intensificou a produção de mudas neste ano de 2018. 

Aos poucos, a quantidade e diversidade de mudas produzidas, entre frutíferas e nativas do cerrado só vem aumentando. 

Hoje, pela manhã, foram plantadas 250 mudas na nascente do Baunilha, o principal afluente do Rio Montes Claros e que é o responsável pelo abastecimento da cidade de Campos Belos.

Há alguns meses a área de recarga da nascente foi cercada e protegida para evitar que o gado pastasse no local e que durante o período das águas fosse realizado o plantio. 

Estiveram presentes na ação de hoje alunos do curso Técnico em Agropecuária do IF Goiano - Campus Campos Belos, os alunos do curso Tecnológo em Agroecologia da UEG - Câmpus Campos Belos e representantes do Rotary Club de Campos Belos, Emater, Saneago e Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Para visualizar mais fotos do plantio das mudas, clique aqui.

Fonte: IF-Goiano 

De Campos Belos (GO): Escolinha K10 mede forças com o Goiás e Atlético Goianiense

Por Morgana Tavares, A Escolinha de Futebol K10, presidida pelo ex-jogador de futebol profissional Kássio Fernandes, compareceu pe...